segunda-feira, dezembro 31, 2007

Bom 2008!!!

Com 2007 já muito perto do final, resta esperar que 2008 seja um ano positivo a todos os níveis. Sejam amigos uns dos outros e divirtam-se o mais que puderem. Em breve colocarei aqui os meus desejos para o novo ano...


sábado, dezembro 29, 2007

Duas ideias

Duas ideias sobre acontecimentos recentes no nosso país. Primeiro sobre o balanço feito à operação de Natal nas estradas portuguesas. Vi na televisão falarem de um balanço positivo nessa operação porque aconteceram menos acidentes e morreram menos pessoas. Na minha opinião o balanço será sempre negativo enquanto morrerem pessoas nas estradas portuguesas.

A segunda consideração tem a ver com o fecho de serviços hospitalares em algumas localidades do interior. Ora, se dizem que o interior de Portugal tem cada vez menos pessoas, acho que em vez de fecharem serviços deviam era criar mais e promover o desenvolvimento da região para atraírem mais pessoas para essas zonas. Com estas medidas, o Governo só está a piorar a situação. Se calhar o melhor mesmo é as pessoas do interior mudarem-se para Espanha.

Pensamento do dia

«Cut your hair
Change your name
Every end is a new beginning
It's over now
But it will never be the same»

Jay-Jay Johanson

quinta-feira, dezembro 27, 2007

Coisas fantásticas

Hoje quando regressava a casa de carro, com o rádio ligado, obviamente, decidi mudar para a Antena 3 para ouvir o programa do Fernando Alvim. Por vezes tem conversas interessantes, sem nexo é certo, mas servem para entreter na viagem até casa.

Segundo consegui perceber, o programa tinha como convidados dois dos ouvintes mais participativos, em termos de telefonemas, nesse mesmo programa. Como habitual falaram de tudo e mais alguma coisa, inclusive conversaram com os pais de um deles, e pelo meio surgiu a seguinte frase: "o amor não escolhe idades". E basicamente, os minutos seguintes foram passados a dizer constantemente esta frase.

Apesar de ser uma frase feita não deixa de ser uma grande verdade. Quantos de nós já não sentiram uma paixonite pela professora primária, quando eramos mais novos, ou simplesmente apreciou aquela mulher casada que vê no café de vez em quando. Acho até que temos a natural tendência para apreciarmos as mulheres mais velhas. Algumas, pelo menos. Eu, por exemplo, namoro com uma mulher mais velha. Uns meses, mas mais velha. E gosto...muito...

Amar

«Nunca devemos amar em silêncio, nada é mais perigoso do que dividir com outrém os pensamentos vividos em silêncio. Um amor feliz precisa do turbilhão das palavras, das frases aparentemente inúteis e sem sentido, precisa de adjectivos, de elogios, do ruído das banalidades. Não há felicidade que não seja tantas vezes fútil, tantas vezes inútil»

MST - "Não Te Deixarei Morrer, David Crocket"

segunda-feira, dezembro 24, 2007

FELIZ NATAL e BOM 2008!

Um bom NATAL para todos os leitores do blogue e respectivas famílias. Que 2008 seja o ano de concretização de muitos sonhos. Aproveitem cada momento junto daqueles que realmente são importantes!

domingo, dezembro 23, 2007

Monstros

Estava no You Tube à procura de um videoclip e encontrei isto. A criança é simplesmente uma gracinha e é uma opinião dela sobre monstros. Vejam...

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Apologize

Gosto desta música. "Apologize"de um tal de One Republic

Antes de ir dormir

Uma última coisa antes de ir dormir. Algo que anda na minha cabeça há uns dias e que agora vou passar para o papel. É Natal e como tal é a época em que recebemos mais presentes. Como já não acredito no Pai Natal, vou recebendo algumas prendas por antecipação.

Uma dessas prendas foi um GPS que o meu Pai Natal trouxe para mim. E o curioso é que os meus pais sempre me orientaram ao longa da vida, desde que nasci, dando-me os melhores conselhos e basicamente mostrando-me sempre o caminho mais correcto a seguir.

Agora que já estou crescido, e como tal vou "fugindo" mais de casa, eles resolveram oferecer-me um GPS. Ou seja, ao fim e ao cabo deram-me mais uma forma para eu me orientar. A orientação dos pais é sempre importante! Mesmo que através de um GPS...

A sorrir...

Algumas pessoas ainda conseguem surpreender-me pela positiva. E alguns momentos de conversa descomprometida podem ser muito divertidos e hilariantes. Sentimo-nos mais perto das pessoas mesmo quando estamos com elas todos os dias. É giro!

E fico um pouco mais preenchido e realizado. É só isso e algumas tiradas que me deixam a sorrir. Esta semana, por exemplo, recebi um e-mail no emprego, com um texto para publicar, em que o autor escrevia o seguinte: "Bruno, segue em anexo o texto, dá-lhe aquele teu toque matador e corrige os erros". Delirei completamente e coloquei um sorriso de orelha a orelha. Às vezes não tenho a noção de que aquilo que faço é lido ou visto por alguém...

E o "toque matador" é uma expressão que não esquecerei tão cedo!

quarta-feira, dezembro 19, 2007

Respirar fundo

Às vezes a vida corre tão depressa que nem temos tempo para respirar fundo. Tempo para por exemplo contemplar a linha no horizonte que separa o mar do céu. Tempo para navegar em águas calmas e... respirar bem fundo...

terça-feira, dezembro 18, 2007

Quase Natal...

Estamos praticamente em cima do dia de Natal. Como é habitual, nesta época do ano escrevo alguns postais para as pessoas que me são mais chegadas. Mas acho que esse hábito de se escrever um postal de Natal está a perder-se aos poucos. Os postais são substituídos pelas mensagens sms ou pelos e-mails.

E a prova disso mesmo foi que num destes dias pensei em comprar postais e foi difícil encontrar um sítio que os vendesse. Aliás, eu procurava daqueles postais da Cruz Vermelha ou da Unicef e não consegui encontrar. E acho que é muito mau as pessoas perderem esse bom hábito que era escrever um postal no Natal. Façam como eu e escrevam postais, dizendo às pessoas o quanto lhes queremos bem nesta quadra.

domingo, dezembro 16, 2007

The End

Não consigo deixar de pensar nisto como o fim. O fim de um tempo memorável e cheio de conversas partilhadas, aventuras e desventuras, trabalho. Jamais voltará a ser a mesma coisa porque as circunstâncias e o pano de fundo nunca mais se poderão repetir. Só noutros cenários.

E vamos perder o contacto muitas vezes mesmo que insistas em dizer o contrário. E com quem vou ter reuniões de trabalho com a duração de um cigarro? Quem terá as grandes ideias e a vontade de inovar? Quem estará lá sempre que precisar? Tudou mudou!

Os dias vão passar mas sentirei a tua falta. Sentiremos...

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Frase do dia

«O que não me mata, deixa-me mais forte»

Nietzsche

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Ana Lourenço outra vez

A edição desta semana da revista Focus traz uma reportagem sobre esta jornalista da SIC Notícias. Fiquei a saber que tem uma paixão por cavalos e que adora a sua profissão, apesar de quase não ter vida pessoal e só estar com a filha e o marido ao fim-de-semana. Gostos não se discutem.

De tudo o que li, a parte que mais gostei foi desta: "Nos últimos tempos, entra às duas (enquanto está a substituir Mário Crespo, pois normalmente seria às quatro) e o resto da tarde é passado a ler jornais, organizar dossiês, preparar o jornal das nove".

O jornal das nove termina às 22h30 e Ana Lourenço sai às 23 horas dos estúdios da SIC.

Para além de muitas outras informações, parece que o ar sério e algo frio é só para as câmaras porque a Ana Lourenço revela-se uma pessoa simpática quando não está em directo. Recomendo a leitura da reportagem na Focus desta semana, num trabalho assinado pela também jornalista Sara Barata.

Um sentimento

Estou e estarei mais triste...

sábado, dezembro 08, 2007

Tempos difíceis

Que os tempos estão complicados já todos sabíamos. Mas fiquei surpreendido com uma notícia que li esta semana no Correio do Minho. Já estou habituado a ler e a ouvir falar sobre todo o tipo de roubos, mas este caso específico surpreendeu-me.

Não é que em Serzedelo, perto de Guimarães, alguém roubou um boi. Pois é, leram bem. Roubaram um boi de um agricultor durante a noite. Já nada escapa aos ladrões e até o gado sofre as consequências. Enfim...

Bem verdade

«Em grupos de trabalho maioritariamente femininos, os homens servem apenas para resolver conflitos e tomar decisões em caso de dúvida»

Suby

Aqui está uma frase repleta de verdade. É mesmo assim e certamente não faltarão provas disso caso pensem um pouco. Já agora visitem o blogue "Pensamento do Dia", de onde retirei esta frase. A ligação está mesmo aqui ao lado.

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Atitudes

Cada um tem o seu tipo de atitudes e é responsável por elas. Podemos não compreender determinada atitude mas por vezes fazemos aquilo que o coração nos manda, sem olhar à razão. E por isso às vezes temos atitudes parvas. Que por sua vez provocam reacções estúpidas.

Ultimamente procuro colocar-me mais no lugar das pessoas. Tentar colocar-me na mesma situação e imaginar como reagiria. E se calhar compreendo melhor certas atitudes. E acredito que ainda existem pessoas demasiado puras em termos de sentimentos que ficam sempre mal nas fotografias. Mas revelam algum carácter.

E ainda existem atitudes bonitas que mostram ao fim e ao cabo a formação das pessoas.

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Mutações

Somos seres mutantes. Ou melhor, somos mutáveis. Vamos mudando à medida que avançamos na vida e na proporção desmedida daquilo que ela nos proporciona. Estamos em constante mudança, ajustando as nossas ideias e formas de estar àquilo que vivenciamos.

Somos diferentes todos os dias, para o bem e para o mal. Vamos ficando mais experientes, maduros, marcados pelas pequenas contrariedades que fazem de nós mutantes. Somos mudáveis. Daí termos outros tipos de gostos ou pensamentos, diferentes de há uns anos atrás, e formas de reagir perante mesmas situações. Até no visual que se vai adequando às últimas tendências e modas.

Somos mutáveis em muitas coisas. Quase tudo. Mas há sentimentos que jamais mudarão. E permanecem, eu diria, eternamente...

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Frase da tarde

Imaginem uma Redacção com algumas pessoas e outras tantas conversas cruzadas. E no meio disto tudo a seguinte tirada:

"Este ar está rarefeito de punhais" - JH

O que dizer?

domingo, dezembro 02, 2007

Em grande

Está mesmo parecido com o Scolari. Ora vejam lá...

Frase do dia

«Nádegas é importantíssimo. Grave, porém, é o problema das saboneteiras. Uma mulher sem saboneteiras é como um rio sem pontes»

Vinícius de Moraes

quinta-feira, novembro 29, 2007

Será?

Será que colhemos tudo o que semeamos?
Será a noite igual ao dia?
Será que podemos confiar nas pessoas?
Será que a perfeição existe?
Será possível viver sem maldade?
Será um adeus ou em até já?
Será possível viver sem saudade?
Será a vida sempre difícil?
Será diferente daqui para a frente?

Será?

quarta-feira, novembro 28, 2007

Eternamente

«E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter.

Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito na continuidade das coisas que amamos, acredito que para sempre ouviremos o som da água no rio onde tantas vezes mergulhámos a cara, para sempre passaremos pela sombra da árvore onde tantas vezes parámos, para sempre seremos a brisa que entra e passeia pela casa, para sempre deslizaremos através do silêncio das noites quietas em que tantas vezes olhámos o céu e interrogámos o seu sentido. Nisto eu acredito: na veemência destas coisas sem princípio nem fim, na verdade dos sentimentos nunca traídos.

E a tua voz ouço-a agora, vinda de longe, como o som do mar imaginado dentro de um búzio. Vejo-te através da espuma quebrada na areia das praias, num mar de Setembro, com cheiro a algas e a iodo. E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.

Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre».

MST

Eu acredito que há coisas que duram eternamente.

terça-feira, novembro 27, 2007

Balanço

Esta semana parei. E por vezes sabe bem parar. Para pensar, acalmar um pouco, descansar ou pura e simplesmente fugir da rotina diária. E faço uma espécie de balanço dos últimos tempos, imaginando o que trará o futuro.

Acho que deviamos ter sempre uma semana por mês para estarmos por casa e fazermos todas aquelas coisas que não podemos quando estamos a trabalhar. Seja estar uma tarde inteira sentado no sofá a ver o que dá na televisão, seja passear num jardim durante uma manhã de Outono.

E por isso durante esta semana vou assentar ideias e retemperar forças para voltar menos cansado e com melhor aspecto do que o habitual. As férias têm sempre um sabor especial...

segunda-feira, novembro 26, 2007

Pensamento do dia

Não há caminho certo ou errado. Há o nosso caminho e o nosso destino. E quem os traça somos nós e mais ninguém...

sexta-feira, novembro 23, 2007

A chave

Certamente que muitos de nós gostariam de ter a chave para o sucesso. Seja na vida pessoal, seja na vida profissional, seja nas simples tarefas diárias que temos de cumprir. Existe sempre uma chave, uma forma, uma base que acaba por determinar se somos bem ou mal sucedidos.

E por aquilo que vou lendo e vendo, a grande chave do sucesso profissional resume-se a uma palavra: liderança. E consequentemente, se existe uma boa liderança, todos têm sucesso, se não existe, ninguém tem. Mas para haver boa liderança é preciso um bom líder e por conseguinte esse líder tem de possuir as características certas. Nem todos nascem líderes ou com espírito para a liderança.

Com isto da liderança surge-me desde logo o nome de um líder nato. José Mourinho é o exemplo perfeito de um bom líder. Mas existem mais exemplos. Sendo que me parece que a chave do sucesso profissional está na liderança.

quinta-feira, novembro 22, 2007

Ai ai Telma...

Não me canso de ver este anúncio publicitário na televisão. Não só porque o conceito e a ideia estão bem conseguidas, mas também porque gosto muito da Telma Monteiro. Vejam esta publicidade e reparem bem no sorrisinho dela e na cara fofinha. Aliás, ela é toda muito fofinha. Tem qualquer coisa que não consigo explicar. Nem parece uma miúda que anda sempre à pancada.

O pior é que só conheço mais uma pessoa que partilha da mesma opinião que eu. E não percebo porque a Telma Monteiro é mesmo qualquer coisa. E então quando ela coloca aqueles totós na cabeça enquanto combate. Acho que deixava que ela me fizesse um ippon...

Telma, ensinas-me judo? :)

Há dias assim

Ontem, quarta-feira, acordei muito mal disposto e deu-me para implicar um pouco com tudo. Estava mais calado do que o costume, quase não respondia às provocações e nem sequer conseguia articular duas ou três palavras seguidas.

Como se isso não bastasse, tinha olheiras de quase dois quilómetros (como se isso já não fosse habitual) e barba, que segundo dizem é pouca, de três ou quatro dias. Portanto, mau de mais para ser verdade. Sei que não sou bonito, mas ontem estava com um aspecto deplorável.

E é nos dias maus que os nossos defeitos ou feitiozinhos complicados estão mais à flor da pele. E certamente que nessas ocasiões as pessoas acham que somos impossíveis e têm muita vontade de nos dar umas palmadas. Acho que ninguém consegue estar todos os dias de bom humor. Depois quem paga, muitas vezes sem razão, são aqueles que nos rodeiam, seja em casa ou no trabalho.

Por isso, a todos os que me aturam nesses dias: obrigado!

domingo, novembro 18, 2007

Solidão

Nos mesmos dias e nas mesmas horas. Ao balcão, um idoso morde a sua sandes de panado acompanhado pelo fino. Fuma, lancha e não conversa com ninguém. Está sozinho ao contrário de nós os dois que nos encontramos para alimentar um final de tarde tranquilo, terminado mais um dia de trabalho.

Faz confusão viver assim. Abandonado, ou talvez não, num balcão de café sem companhia. Apenas a companhia da comida. Deve ser difícil estar só. E a solidão é dura de viver e perceber. Principalmente quando a idade não dá grandes margens de manobra. E fico triste só de observar. Só espero que neste caso a imagem não corresponda à realidade.

«Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão» (Vinícius de Moraes)

quarta-feira, novembro 14, 2007

Frase do dia

«Deixa o coração correr à tua frente e procura alcançá-lo»

Provérbio árabe

Poema

Enquanto vai faltando a inspiração (e o tempo) fica aqui o excerto de um dos poemas que mais gosto. É de Eugénio de Andrade e intitula-se "Procuro-te".


"Procuro-te: fruto ou nuvem ou música.
Chamo por ti, e o teu nome ilumina
As coisas mais simples:
O pão e a água,
A cama e a mesa,
Os pequenos e dóceis animais,
Onde também quero que chegue
O meu canto e a manhã de Maio.

Um pássaro e um navio são a mesma coisa
Quando te procuro de rosto cravado na luz.
Eu sei que há diferenças,
Mas não quando se ama,
Não quando apertamos ao peito
Uma flor ávida de orvalho.

(...)

Porém eu procuro-te.
Antes que a morte se aproxime, procuro-te.
Nas ruas, nos barcos, na cama,
Com amor, de dia, triste, alegre, procuro-te."

Eugénio de Andrade

segunda-feira, novembro 12, 2007

Frase do dia

«Por mais longa que seja a caminhada o mais importante é dar o primeiro passo»


Vinicius de Moraes

sexta-feira, novembro 09, 2007

Descobri

O vento sopra. O mundo pára, como se algo de grandioso fosse brotar da força de uma espada. O vento sopra e o mundo pára novamente. Fica só o silêncio das nuvens que correm, o momento do tempo que passa.
Choram as pedras sensíveis que tão marcante momento presenciam, ri o cavalo alcançando o seu dia de glória. Passa o vento tão veloz, sem sequer pedir licença, e deixa tudo para trás. As montanhas escutam todo este silêncio e permanecem inertes no seu canto sem interferirem.
O vento sopra e a vida continua…


Descobri este texto num caderno antigo da Universidade e refere-se a um exercício que fizemos para a cadeira de Técnicas de Expressão.

quarta-feira, novembro 07, 2007

Foi assim

O fim-de-semana que passou foi proveitoso e interessante. Primeiro porque me diverti com algumas situações e segundo porque o local e as pessoas estavam na medida certa. E a propósito desse fim-de-semana, convém dar algum destaque a três situações. Ou melhor, quatro.

1. Primeira, e a mais importante, é que perdi apenas um jogo no PES 6, entre algumas partidas disputadas. Boas exibições e sem dar hipóteses à concorrência. Para quem não sabe, PES significa Pro Evolution Soccer, um jogo da Playstation.

2. A frase desta jornada foi: "Ah...esta estrada é de dois sentidos, também". Dita por mim durante a viagem até Macieira perante os avisos constantes do Luís de que as estradas eram todas estreitas. E eram...

3. De seguida foi a vez da dislexia atacar. Se alguém conseguir adivinhar o que "çacadeira" quer dizer, vale um prémio. Pronto, fica uma ajudinha: "uma çacadeira de canos serrados". De rir.

4. Numa conversa de almoço falava-se da forma como se faz aguardente. E ninguém se lembrava do nome do equipamento de destilação simples que serva para fazer essa bebida. Até que um ser de horizontes mais alargados disse alambique. E apareceu quem dissesse alpendre e lagar.

Para terminar, fiquei a saber que em qualquer terrinha existe um café central e que ainda se usam aqueles mata moscas eléctricos que deixam tostados os ditos insectos. O barulho que produz é no mínimo hilariante. E interrompem qualquer conversa.

P.S. Quem não perceber este post, não ligue. Mas foi assim...

segunda-feira, novembro 05, 2007

Tranquilidade

Devem estar a perguntar o que tem esta imagem a ver com tranquilidade. Aparentemente, nada. Mas se vissem o local onde estava situado este aerogerador, então iriam perceber. Imaginem o topo de uma montanha, céu azul, boa visibilidade e à volta o sossego. Só se ouvem as hélices do aerogerador a cortar o vento. E o resto era só tranquilidade.

Já agora, um aerogerador é um dispositivo com um gerador destinado a converter energia eólica em energia eléctrica. Este tipo de gerador é muito popular devido ao facto da energia eólica ser um tipo de energia renovável, diferente da queima de combustíveis fósseis. E na minha opinião torna a paisagem mais bonita.

sábado, novembro 03, 2007

A Ana Lourenço

Conversávamos à mesa como três jovens adultos do sexo masculino. Normal. Banalidades, prós e contras, vida, trabalho…e a conversa solta-se. Naturalmente. E não existe qualquer troca de palavras entre três jovens adultos do sexo masculino que não passe, nem que por mero acaso, pelo assunto chamado mulheres. Sim, nós falamos sobre mulheres.

A conversa chegou até uma jornalista da Sic Notícias (Ana Lourenço) que não gerou consensos. “Só não aprecia a Ana Lourenço quem é bebé e/ou não tem Tv Cabo”, disse um. “Sendo que no teu caso, as duas situações se colocam”, rematou. E na verdade tenho de concordar que a Ana Lourenço realmente mexe. Tem qualquer coisa para além do seu aspecto atraente. Talvez uma bagagem intelectual (que combinação bonita) que atrai os mais perspicazes. Os homens. E por isso só posso estar de acordo que a Ana Lourenço é uma brasa.

A conclusão é simples. À mesa estavam dois homens com Tv Cabo.

quinta-feira, novembro 01, 2007

O meu signo

Embora não acredite muito naquilo que surge escrito no horóscopo, acho que a personalidade padrão de cada signo bate certo com as pessoas desse signo. Pelo menos no meu caso quase tudo bate certo.


Assim, decidi colocar aqui (copiando do blogue da minha amiga Flávia) para que quem me conhece possa comparar...

Já agora ficam aqui algumas personalidades de signo Virgem: Bocage, Deco, Richard Gere, Keanu Reeves, Cameron Diaz, Deco, Tim Burton, Catarina Furtado, Madre Teresa de Calcutá, Jorge Sampaio, José Sócrates, entre outros.

VIRGEM - O Perfeccionista.

Dominante em relações. Conservador. Sempre quer a última palavra. Argumentativo. Preocupado. Muito inteligente. Antipatiza com barulho e caos. Ansioso. Trabalhador. Leal. Bonito. Fácil falar. Difícil de agradar. Severo. Prático e muito exigente. Frequentemente tímido. Pessimista.

Frase do dia

«As crianças são pessoas contentes»

Bruna Mariana


É caso para dizer que quando os genes são bons, saem frases inteligentes...

segunda-feira, outubro 29, 2007

Para relaxar

Quando mais um fim-de-semana chega ao final, fica uma música que me relaxa. Acho que estou a ficar cada vez mais velho porque aprecio estes ritmos mais, como hei-de dizer, sofisticados. É uma boa palavra, sem dúvida...



Michael Bublé - Me and Mrs Jones

sábado, outubro 27, 2007

Passagens

Aqui ficam umas passagens de uma das histórias do livro que estou a ler. Chama-se "Não Te Deixarei Morrer David Crocket" e é do meu escritor preferido, Miguel Sousa Tavares.

«E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter. Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas»

(...)

«E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre»

Frase do dia

«As raparigas boas vão para o céu...as más vão para todo o lado»

Vi por aí...

quinta-feira, outubro 25, 2007

Sabedoria popular

Esta tarde estava a olhar para um calendário do mês de Outubro (a pensar na marcação do que resta das férias) e reparei numa particularidade do mesmo. Em cada mês tinha algumas indicações viradas para as questões agrícolas e até alguns ditados populares. Uma espécie de sabedoria popular.

Então, tinha lá um item designado por gado. E lá estava escrito o seguinte: "mês favorável para a cobrição das porcas". Por isso, quem tiver criação de porcos não se esqueça de durante este mês levar o porco até perto da porca.

Mas o calendário não se ficava por aqui. Tinha um ditado: "Quanto Outubro for ervilheiro, guarda para Março o palheiro". Nada mais verdadeiro...

domingo, outubro 21, 2007

Detesto

- Detesto que pensem mal de mim

- Detesto viver com o pensamento no passado

- Detesto quando as semanas se sucedem sem darmos por elas

- Detesto ser contrariado quando quero muito fazer qualquer coisa

- Detesto passar a vida a dizer palavrões

- Detesto ver televisão ao domingo à noite

- Detesto as segundas-feiras de manhã

- Detesto a chuva miudinha

- Detesto esperar por quem nunca chega

- Detesto chorar pelo tempo que acabou

sábado, outubro 20, 2007

Histórias do mundo

«A polícia de Phnom Penh, no Camboja, prendeu no dia 12 uma vaca por reincidir em causar graves acidentes de viação. Desta vez, provocou a morte de um motociclista de 64 anos que embateu no animal parado numa estrada sem luz.

Em Janeiro, provocou cinco mortes após despiste do autocarro que evitou chocar com ela. O dono também incorre em seis meses de cadeia por negligência».


Acho que as vacas deveriam ser obrigadas a usarem coletes reflectores. E não deve ser nada agradável embater numa vaca parada no meio da estrada...

sexta-feira, outubro 19, 2007

Frase do dia

«Há momentos que deviam durar para sempre e outros que nunca deveriam ter acontecido»

Mas se alguns momentos durassem para sempre certamente que perderiam toda a piada. E aqueles que nunca deveriam ter acontecido por vezes ensinam-nos alguma coisa. O melhor mesmo é existirem momentos de todos os géneros e feitios nas nossas vidas...

segunda-feira, outubro 15, 2007

Frase do dia

"O caminho é sempre em frente mesmo que seja a subir"

Outra coisa, nunca fiquem pelas metades. Quando começam algo vão sempre até ao fim. Porque o caminho é sempre em frente e a mesma oportunidade pode não se repetir duas ou mais vezes. Por isso, tudo o que comecem...acabem...

sábado, outubro 13, 2007

Desencontros

Ontem acabei de ler um livro ("A Lua Pode Esperar" de Gonçalo Cadilhe) onde o autor menciona uma frase de Vinicius de Moraes que me chamou a atenção. O livro é sobre as viagens do escritor pelo mundo e escreve ele, citando o brasileiro, que "a vida é a arte do encontro".


E faz todo o sentido porque ao longo da vida estamos constantemente a encontrarmo-nos com pessoas. Cada situação da vida promove encontros com diversas pessoas. Seja na altura em que vamos à escola ou à universidade e até no emprego e consequentes relações profissionais. E por vezes torna-se até como que um capricho, na medida em que conhecemos pessoas ou revemo-las nos sítios mais improváveis do universo.

Pior do que aquelas pessoas que conhecemos e gostamos, muito, é o exercício de imaginar todos os encontros que nunca se irão verificar. Apesar de sabermos que iriamos gostar de encontrar esta ou aquela pessoa. Daí a frase de Vinicius de Moraes só ficar completa desta forma: "a vida é a arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida".

quinta-feira, outubro 11, 2007

Navio Hospital Gil Eannes

Durante as minhas férias de Setembro tive oportunidade de viajar por Portugal. Um dos destinos escolhidos foi Viana do Castelo, uma cidade muito interessante. Nessa incursão por Viana visitei o Navio Hospital Gil Eannes que está em exposição na antiga doca comercial de Viana do Castelo.


E vale muito a pena visitarem o navio por dentro e para além disso estão a ajudar a Fundação Gil Eannes que resgatou este navio para operações de reabilitação e restauro. «O navio hospital Gil Eannes constitui para os vianenses um precioso símbolo da notável tradição de qualidade da construção naval na Foz do Lima e, é uma memória viva da assistência prestada aos nossos pescadores da frota bacalhoeira nos mares gelados do Atlântico Norte, sendo igualmente, uma venerável relíquia da frota oceânica nacional do século XX de que é o único exemplar ainda existente».
Se subirem a bordo podem ver a ponte de comando, cozinha, casa das máquinas, consultório médico, gabinete de radiologia, bloco operatório, diversos camarotes e salas de exposições temporárias. Sabiam que em cada época de pesca se realizavam entre 4000 e 4500 consultas médicas? E cerca de 70 operações de grande cirurgia. Vale a pena visitarem!

Se estiverem interessados em saber mais consultem o site da Fundação em http://www.fundacaogileannes.pt/

quarta-feira, outubro 10, 2007

Chato

Queixo-me frequentemente de dormir poucas horas e andar com sono durante o dia, especialmente de manhã cedo e ao início da tarde. Mas a verdade é que quando durmo muitas horas fico ainda pior. Fico chato, mesquinho e de poucas falar. E toda a gente se queixa.

Hoje foi um desses dias, já que dormi até mais tarde porque estive de folga. E não aproveitei de forma conveniente um dia de descanso a meio da semana e depois de um fecho de jornal. É pena, mas é assim a vida.

Melhores dias virão.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Memória

Existem certos acontecimentos nas nossas vidas que ficam marcados. Ou melhor, passagens que ficam registadas no baú das memórias e que nos vão acompanhando ao longo dos anos. Algumas ficarão sempre guardadas.

E na maior parte das vezes não atribuímos grande importância no momento em que as vivemos, mas posteriormente assumem um significado maior. Ou porque sentimos saudades ou porque achamos que jamais voltaremos a vivê-las daquela forma. E se pensarem bem, encontrarão esses momentos. Por muito banais que possam ser.

Por exemplo, recordo-me das bolachas com queijo, magníficas, que a minha avó preparava com tanto cuidado. Não tinha grande segredo, já que se tratavam de duas bolachas Maria com um pouco de queijo no meio, mas tinham um sabor único. Tinha eu uns dez anos e quando me ia despedir dela era presenteado com essa oferta.

Agora, com alguns anos de distância, sei que as bolachas com queijo nunca mais terão o mesmo sabor. Um sabor que está guardado num cantinho especial...

sábado, outubro 06, 2007

Kuduro

Por mero acaso, e graças a um convite inesperado, assisti ao vivo a um espectáculo de Kuduro. Mais concretamente ao "Frederic Galliano and the African Divas" no Theatro Circo em Braga. E se na televisão aquele ritmo e aquela dança me pareceram interessantes, ao vivo fiquei no mínimo sem palavras.


Gostei de ver, e até gostava de saber dançar, e conta quem viu que a minha expressão era de verdadeiro espanto.

segunda-feira, outubro 01, 2007

Ainda pode piorar?

Domingo à noite. Sentado no sofá numa casa sem TV Cabo. Apesar das poucas possibilidades em termos de canais, o comando está constantemente em funcionamento. A RTP tem uma repetição do Gato Fedorento, a Dois está com as notícias, a SIC com a Familia Superstar e a TVI com o novo programa dos noivos.

Constato que todos agora apostam nos dotes artísticos, entenda-se vocais, das pessoas e por isso na televisão é só cantorias. A primeira pergunta que me surge é: isto ainda pode piorar?

Fica pelo menos a certeza que as noites de domingo junto à televisão são deprimentes. Quando não há alternativas para além dos quatro generalistas.

domingo, setembro 30, 2007

Vinte e um gramas

«Quantas vidas viveremos nós?
Quantas vezes morremos?
Dizem que todos perdemos vinte e um gramas no exacto momento da morte.
Todos nós.
E que caberá em vinte e um gramas?
Quanto é perdido?
Quando perdemos as vinte e um gramas?
Quanto se perde com elas?
Quanto se ganha?
Vinte e um gramas...
O peso de cinco moedinhas.
O peso de um beija-flor.
De um chocolate.
Quanto pesam vinte e um gramas?»

sexta-feira, setembro 28, 2007

A cor dos olhos

A cor dos olhos de uma pessoa pode revelar muita coisa. E pode ser também um inegável ponto de beleza. Quanto a isso, posso dizer que gosto muito de olhos verdes. São os meus preferidos.


Os olhos castanhos são provavelmente os mais vulgares. Ter olhos de cor castanha não confere uma característica especial a alguém, mas as diversas tonalidades, mais claras ou escuras, podem encerrar os seus mistérios. A cor avelã é sem dúvida das mais interessantes.

Quanto aos olhos azuis são aqueles pelos quais a maior parte das pessoas suspiram. Confesso que não me atraem. Bem como as pessoas que os possuem que geralmente têm a pele e os cabelos claros. Mas nos países latinos têm grande número de fãs. Talvez por transmitirem serenidade.

Os olhos negros são raros. Mas sinal de mistério e poder. Reagem pouco, são graves e suportam todos os ataques, como por exemplo o excesso de claridade. Pode dizer-se que são o oposto dos azuis.

Falemos dos verdes. São puros, inocentes e inexplorados. As esmeraldas são verdes e também os olhos dessa cor são pedras preciosas. Valiosos, por isso. Porém menos valorizados do que os azuis. Porquê? Porque pouca gente já perdeu tempo a apreciar uns belos olhos verdes.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Há 11 anos atrás

Não sei muito bem porquê mas deu-me para colocar Jon Bon Jovi no leitor do carro. O álbum Crossroad. E tenho andado todo contente, para trás e para a frente, a ouvir música de adolescentes. É um facto que me podia dar para pior ou então é sinal que estou definitivamente a avariar da cabeça.

Recordo-me que comprei o álbum no dia seguinte a uma festa de aniversário quando tinha, imaginem, 14 anos. E lembro-me que nessa festa dancei com a miúda que gostava que fosse minha namorada na altura (que felicidade, meu Deus!). E adivinhem qual o cd que estava a tocar! Pois é, Crossroad do Bon Jovi...

Belos tempos. E 11 anos depois continuo a lembrar-me desta história e continuo a ouvir Bon Jovi. Será bom sinal?

terça-feira, setembro 25, 2007

A última

Mais uma...

"A minha neta não dá para as contas mas sabe o analfabeto de trás para a frente"

Acho que queria dizer alfabeto...

sexta-feira, setembro 21, 2007

Os inhos...

As nossas vidas estão cheias de situações curiosas. Ultimamente tenho frequentado uma padaria em que as pessoas que estão no atendimento ao público, que são também as donas do estabelecimento, são muito muito mas mesmo muito simpáticas.

São até excessivamente simpáticas, mas isso para mim não chega a ser defeito. O cliente deve ser sempre bem tratado e ter do outro lado a simpatia como cartão de visita. Outra situação engraçada, e penso que devido a essa simpatia, as pessoas que referi têm por hábito dizer tudo no diminutivo, ou seja, usando e abusando dos "-inhos".

Para verem como são as coisas, esta semana comi um "panadinho" dentro de um pedaço de "cacetinho", regado por um belo "iceteazinho" de limão. Já para não falar na "torradinha com manteiguinha" ou no "bolinho de limaozinho" acompanhados por um "suminho" de "frutinha" qualquer.

Acho piada a esta questão dos "-inhos" e por isso vou continuar a frequentar este sítio porque sou tratado com carinho e simpatia. Isso é importante.

O jogo

Amar - Sofrer

Sorrir - Chorar

Lutar - Desistir

Vencer - Perder

Viver - Morrer


Chamem-lhe o jogo da vida...

quarta-feira, setembro 19, 2007

Inspiração de alguém

"O reconforto da alma nasce da experiência,
O caminho que espreita até a sabedoria corrói
E aquando da feliz ocorrência
Já o negro luar se instalou.
Gritar até a voz lutadora sucumbir,
Mergulhar no silêncio eterno do destino e
Delegar o inevitável adeus ao mundo"

sábado, setembro 15, 2007

Paris je t'aime

"- Deixa-me fazer-te uma massagem nos pés...

- Que raio de ideia...mas porquê uma massagem nos pés?

- Porque andaste toda a noite a passear nos meus sonhos!"

Aquele fim-de-semana

Não sei muito bem porquê mas não consigo deixar de pensar no último fim-de-semana com um sorriso nos lábios. Primeiro, e mais importante, porque estive rodeado de pessoas que me dizem bastante.

Depois porque nunca pensei que seis pessoas conseguissem fazer tanto barulho, em duas esplanadas distintas, a discutirem os melhores filmes e bandas de música de todos os tempos. Entre risos histéricos, muitas asneiras e insultos carinhosos à mistura as pessoas que estavam nas outras mesas devem ter-se divertido à brava. Isto na noite de sexta-feira que começou com um mega jantar e terminou embalado em caipirinhas e coxas de frango tiradas do frigorífico.

Não esquecer que houve quem anotasse os filmes que queria ver num envelope tirado à pressa de dentro da carteira. Ah e que há pessoas que fazem coisas estranhas com os braços. Só visto!

Se estas emoções já parecem muita coisa imaginem o que é dormir poucas horas e partir no sábado de manhã para Espanha. Destino: Vigo. Conhecemos a cidade, entre montras de lojas conhecidas e trocas de perfumes já ultrapassados no prazo, inclusive umas praias com armadilhas aquáticas, onde meti o pé. Local onde as gémeas fizeram um carrapito no cabelo...

Baiona seguiu-se no mapa do passeio com a visita à muralha (ler post anterior). Foi giro, mas o passeio só terminaria em Portugal com um repasto no Restaurante Baluarte, dentro da muralha de Valença. Boa forma de terminar a viagem. E o prego estava mesmo à maneira, certo Jorge?

Parador de Baiona

Um sítio que recomendo para passar um belo final de tarde. Principalmente em boa companhia. Basicamente trata-se de uma muralha em Baiona, acho que é essa a tradução para "parador", que tem qualquer coisa de místico.

Principalmente se a visita for feita com um misto de nevoeiro e frio. Dá um aspecto mais medieval e torna as coisas mais interessantes ainda. Já para não falar nas fantásticas vistas e paisagens que poderão servir para belas fotografias.

E depois a conversa flui naturalmente, as brincadeiras sucedem-se, as gargalhadas também e no final ficamos com a sensação de que seríamos capazes de andar às voltas naquela muralha por mais algum tempo. Estranho mas verdade. Ficou na minha memória este Parador de Baiona...

segunda-feira, setembro 10, 2007

Coisas boas

Há locais, pessoas, viagens, conversas e momentos que ficarão sempre guardados...




sexta-feira, setembro 07, 2007

Frase

«A noite é fresca e tenra como a pele de uma mulher, como a mão dum amigo, como um avião que plana na direcção do infinito»

Jacques Brel

quinta-feira, setembro 06, 2007

As últimas

Aqui ficam os últimos falhanços que me chegaram aos ouvidos. Para descontrair.

"Eu costumo pagar sempre tudo no pichishop" - uma pessoa a tentar dizer que paga tudo no payshop.

"Eles agora andam a fiscalizar tudo por causa da pitaria" - outra tentativa de dizer uma coisa acertada, mas novamente ao lado. A referida pessoa queria dizer que a TV Cabo anda atenta à pirataria.

"Encha-me aqui este telemóvel" - nova forma para pedir o carregamento nos telemóveis.

Nada a fazer

O local onde vivemos por vezes é pequeno de mais. Pior do que isso é a pequenez de algumas pessoas que pode ser causada por alguma frustação em crianças ou por qualquer outro motivo. Nada que me incomode por aí além, mas uma situação que não consigo compreender.

Mas também sempre ouvi dizer que para o bem ou para o mal é sempre bom sermos falados. É sinal que estamos a fazer alguma coisa. Pelo menos a mexer.

quarta-feira, agosto 29, 2007

As grandes questões

Os desenhos animados que nos habituamos a ver na televisão levantam algumas questões pertinentes. Basta pensarmos um bocadinho.


Por exemplo, como é que o pato Donald tem sobrinhos, se não tem irmãos?
Ou como é que o canário Tweety consegue manter o equilíbrio com uma cabeçorra daquelas?

Por fim, e reportando-me ao Popeye, porque é que a policia não investiga o sujeito que vende os espinafres ao Popeye? ...com aquele efeito serão mesmo espinafres?

Levantar cedo

As manhãs são normalmente uma coisa terrível. Principalmente quando nos levantamos às 8 da manhã. E se durante cinco dias da semana a situação é complicada, então que dizer das segundas-feiras? São duas vezes pior.

Quem nunca passou por aqueles momentos logo a seguir ao toque do despertador em que pensamos: "só mais cinco minutos e já me levanto!". E depois ficamos naquele impasse de quem tem de trabalhar mas ao mesmo tempo tem demasiado sono para sequer estruturar uma ideia. Bem, eu sou assim praticamente todos os dias de manhã.

E talvez por isso quase todos os dias sou obrigado a tomar o pequeno almoço em andamento, ou seja, a bordo da minha viatura e a caminho do emprego. Para poupar tempo e não chegar atrasado. Curioso é que chego sempre a horas e às vezes até antes do tempo. O percurso também é curto e isso ajuda...

Mas a razão de tanto sono não podia estar mais à vista. Já passa da meia-noite e onde estou eu? A escrever no meu blogue! Boa Noite!

domingo, agosto 26, 2007

Quote

«Todos os dragões da nossa vida são talvez princesas que esperam ver-nos um dia, belos e corajosos. Todas as coisas aterradoras não são mais, talvez, do que coisas indefesas que esperam que as socorrámos»

Encontrei esta citação algures por aí. Não sei a quem pertence nem em que circunstâncias surgiu. Mas gostei e cá está!

Por isto e por aquilo

Por todas as pessoas que nunca iremos conhecer, por todas as coisas que nos vão passar sempre ao lado, por tudo o que já vivemos e gostavamos de viver outra vez, por todas as palavras que ficam por dizer, por tudo aquilo que nunca iremos fazer.

Pelas pessoas que conhecemos e já não vemos, por todas as insatisfações, por tudo aquilo que nunca há-de bater certo, pelas conversas que nunca teremos.

Pelas semanas que passam ser darmos conta, pelas noites mal dormidas, pelo que dissemos e depois nos arrependemos, pelas mudanças drásticas na vida, pelos sonhos nunca cumpridos, por tudo aquilo que jamais iremos controlar.

Por estas razões e mais algumas somos os seres mais completos do universo e simultaneamente os mais insatisfeitos e menos preenchidos...

sábado, agosto 25, 2007

Grande som

Não é novidade, mas não deixa de ser uma grande música...



The Cure - Lullaby

terça-feira, agosto 21, 2007

o GRANDE dia aproxima-se

Com pézinhos de lã o GRANDE dia aproxima-se. Espero eu. E vai saber muito bem colocar o preto no branco, por um lado, e será um mar de dores de cabeça por outro. Mas dores de cabeça saudáveis e que vão dar muita responsabilidade.


É um passo importante e cheio de significado para mim. E para a metade da minha felicidade.

A Saudade

«As coisas vulgares que há na vida não deixam saudade
Só as lembranças que doem ou fazem sorrir
Há gente que fica na história da história da gente
E outras de quem nem o nome lembramos ouvir
São emoções que dão vida
A saudade que traz
Aquelas que tive contigo e acabei por perder
Há dias que marcam a alma e a vida da gente
E aquele em que tu me deixaste não posso esquecer»

Faz parte de um fado da Mariza e de ouvir traz saudades. Assim de uma assentada lembro-me de muitas pessoas que deixam saudades. Principalmente aquelas que já partiram, mas que ficam marcadas cá dentro. Quero acreditar que a vida é mesmo assim. Tanto dá como nos tira. No entanto, as marcas ficam connosco.

domingo, agosto 19, 2007

Quote

«É sina do mundo serem só notados os extremos, os do bem como os do mal»

sexta-feira, agosto 10, 2007

Surreal

Há coisas que pensamos que nunca acontecerão. E o que aconteceu numa das minhas últimas madrugadas só tem um nome: SURREAL.

Nunca pensei ouvir: "gosto muito da tua voz" ou "és lindo de morrer". Principalmente às quatro da manhã, depois de uma insistência com cinco chamadas e o visor do telemóvel a indicar "anónimo". E com sono, meio a dormir e sem responder, ficar a saber que o intuito da pessoa que estava do outro lado era repetir a gracinha na noite seguinte.

E mais, pediu-me que lhe escrevesse um poema. O anonimato ou as possíveis admiradoras até são coisas engraçadas quando não acontecem a meio de uma bela noite de sono.

terça-feira, agosto 07, 2007

A casa

Sinto-me orgulhoso. Perto de concretizar o sonho de ter um cantinho meu e da minha mais do que tudo. E está mesmo perto de ser uma realidade, devendo acontecer este mês.

Para já fica o nome da rua onde irei viver. Rua Mário Cesariny nº 27, em Famalicão. Um nome muito chique.

terça-feira, julho 31, 2007

Gostava de...

Gostava de...poder ir trabalhar de calções e havaianas.

Gostava de...ter sido escolhido para assumir a comunicação do FC Porto.

Gostava de...sentir menos calor.

Gostava de...continuar a jogar futsal apesar das férias.

Gostava de...não ter de aturar o Pedro Sá que anda muito chato.

Gostava de...ter tempo para me dedicar a outros projectos.

Gostava de...fazer a escritura da nossa casa nova (minha e da Ana) rapidamente.

Gostava de...entrar agora outra vez de férias.

Gostava de...ser treinador de futebol.

Gostava de...estar agora numa esplanada à beira-mar a conversar com amigos até ao pôr do sol.

E gostava também que o Pedro Sá não me estivesse a imitar agora a escrever também um "Gostava de..." mas para o blogue dele.

domingo, julho 29, 2007

The Simpsons

Já vi o filme dos Simpsons e posso dizer que correspondeu às minhas expectativas. Mas como disse uma das pessoas com quem o vi: "é um episódio mais alargado".

Tem momentos hilariantes de comédia, com Homer Simpson no seu melhor. Um filme a não perder porque é diferente do que estamos habituados a ver nas salas de cinema.

quinta-feira, julho 26, 2007

Pirataria

Numa altura em que se fala muito de pirataria e downloads ilegais, ninguém me tira da cabeça que os preços de cds e dvds são o primeiro e principal motivo para este "mercado paralelo".

Se os preços fixados fossem mais acessíveis, não tenho dúvidas que muita gente preferiria adquirir originais. E a solução poderá passar por aí ou então pelo entendimento na indústria discográfica e cinematográfica com a criação de locais para o download de filmes e músicas. Mediante o pagamento de uma taxa ou valor previamente estipulado.

Enquanto assim não for, estas duas indústrias vão continuar a perder rios de dinheiro e a pirataria continuará a proliferar. E com isto não quero dizer que os direitos de autor não devam ser salvaguardados. Acho que os autores, os artistas, os criadores, o que lhes quiserem chamar, devem ser recompensados pelo seu processo criativo.

Manual do Amor

Não existe nenhum livro com regras bem definidas para se ser bem sucedido no amor. Se calhar o filme procura provar isso mesmo. Ainda assim vale a pena ver este filme italiano cujo nome original é "Manuale d'Amore".


A narração é bastante rica e conta a história amorosa de quatro casais, sob o prisma de quatro fases distintas do amor: a "paixão", a "crise", a "traição" e o "abandono". O retrato feito é muito real e ao mesmo tempo divertido e leve.

Outra conclusão a que se chega depois de vermos o filme é que realmente o amor tem razões que a própria razão desconhece. E por muito improvável que a realização de qualquer coisa possa parecer, nada é impossível.

Mas vejam o filme.

domingo, julho 22, 2007

Manic Street Preachers

Sempre gostei desta banda e este novo single é bastante interessante. A começar pela Nina Persson.

Mudanças

Como nunca tinha alterado o aspecto visual do meu blogue, decidi fazê-lo. Está simples, sem dar nas vistas, tal e qual como gosto.

Já agora gostava de ter algum feedback e quem sabe sugestões para mudar isto ou aquilo. Vejam a imagem que coloquei no final. Uma pintura de Van Gogh que acho muito interessante, em tons de azul, tal como o blogue. Por isso decidi colocá-la lá.

Espero que gostem...

quinta-feira, julho 19, 2007

Quote II

«Jornais? O jornalismo é uma troca de favores»

José Cardoso Pires, escritor e jornalista

Quote

«Temos palavras a mais para esconderem ideias a menos»

José Cardoso Pires (1925-1998), escritor e jornalista

terça-feira, julho 17, 2007

É assim

Surpresas, surpresas e mais surpresas. Estamos sempre a ser surpreendidos. Com novidades boas ou más.

Tendo mais ou menos impacto, dependendo também do estado de espírito com que nos apanham, podemos ficar afectados ou não. E sinceramente esta não é uma boa altura para surpresas. Porque estou de regresso de férias e com dificuldades em entrar novamente no ritmo.

E eram tão bons aqueles dias de praia com a mente completamente solta. Foi bom, mas acabou. E agora estas surpresas...

De regresso...

Back to the game...

...e ao trabalho também!

terça-feira, julho 03, 2007

FÉRIAS!

Finalmente chegaram as férias. Até ao meu regresso...

sábado, junho 30, 2007

Saudades

As saudades são uma coisa terrível. Porque mesmo que se possam matar saudades de uma qualquer coisa, sabemos que nunca ficaremos curados desse mal para sempre. Já que mais tarde ou mais cedo elas voltam.

Se bem que há situações das quais não podemos matar saudades. Eu por exemplo sinto saudades dos tempos passados na Redacção do Diário de Notícias no Porto. Sinto saudades do Rui, da Raquel, do Hélder, do António Pedro e do simpático e prestável sr. Vitória que nos levava a qualquer lado sempre que preciso.

Do Amin, da Úrsula e das fotos que tiravam. Das conversas, dos lanches, das subidas e descidas no elevador, dos encontros com os colegas de curso para almoços e do facto de trabalhar quase sempre só da parte da tarde. E do gozo que dava escrever um artigo directamente na página do jornal, tal e qual como seria impressa.

As saudades são isto. Vão e voltam. E o tempo vai passando a correr...

quinta-feira, junho 28, 2007

Apito - Best of

António Araújo: "Quer fruta para dormir (...) O homem que vai ter consigo esta tarde (...) Pediu-me rebuçados para a noite e café com leite"

Pinto da Costa: "Já mandei a fruta (...) Diga que sim senhor. A fruta já foi mandada"


Acima de tudo há que saber receber as pessoas. E dar-lhes aquilo que precisam para que se sintam bem. Quem é que se venderia por uma peça de fruta, um rebuçado ou um café com leite?

quarta-feira, junho 27, 2007

Quote II

Por si só e sem qualquer razão aparente
Este ser nasce da mesma forma que morre...
Assim como morre,
Nasce noutro dia qualquer...

Quote

Há momentos que deviam durar para sempre e outros que nunca deveriam ter acontecido.

quinta-feira, junho 21, 2007

Déjà Vu

É uma sensação interessante e ao mesmo tempo um pouco arrepiante. Intrigante se preferirem. Quem nunca teve um déjà vu?

É a sensação de já termos visitado um determinado local, mesmo quando temos a certeza que é a primeira vez que lá estamos. É parecer que já conhecemos uma pessoa de algum lado quando na verdade trocamos o primeiro olhar. É o reviver sem ter vivido…

“E se tivesses de contar a alguém a coisa mais importante do mundo e soubesses que nunca acreditaria em ti. O que farias?
Tentava.”

Os caminhos

O que caminhei já nem sei,
Se por amor ou devoção,
Numa loucura sem igual.
Só para te dizer,
Sem ti o mundo passa devagar...

domingo, junho 17, 2007

Publicidade II

Já que falo em publicidade, aproveito para deixar aqui aquele que para mim é um dos bons anúncios de publiciade do momento. E que aproveita para dar o apoio à nossa Selecção de rugby que vai disputar o Mundial da modalidade em breve.

Publicidade

Não tenho nada para publicitar, mas se tivesse o local que escolheria para o fazer seriam os cinemas. Por uma série de razões.

Primeiro, porque quando vamos ao cinema estamos mais predispostos para recebermos informações e mais atentos. Já que tivemos a oportunidade de escolher o filme e normalmente quando se vai ao cinema leva-se o espírito mais leve e a cabeça sem os problemas do dia-a-dia.

Depois porque não temos um comando na mão para podermos mudar de canal sempre que começam os anúncios de publicidade. Quem é que em casa fica a ver a publicidade no intervalo de um qualquer programa? Muito pouca gente, salvo se estiver a dormir no sofá ou o comando esteja num local de difícil acesso.

Logo, a publicidade que passa nas salas de cinema atinge mais facilmente os seus objectivos, seja de vender ou deixar simplesmente um apelo, de carácter humanitário por exemplo. Pura e simplesmente as pessoas não têm como não dar atenção ao que está a passar no grande ecrã.

E talvez por todas estas razões, o espaço dedicado à publicidade antes dos filmes tem aumentado cada vez mais. Ontem estive numa sala de cinema e sem exagero passaram 15 minutos bem contados de anúncios publicitários.

quarta-feira, junho 13, 2007

Cool Hipnoise

Em dia de feriado, que não é para todos, um musiquinha vai sempre bem...

sábado, junho 09, 2007

Números

«Este ano, o simbolismo numerológico dos resultados finais era bastante claro. Situando-nos no universo fatídico de 60, tivemos o Benfica com 67, o Sporting com 68 e o Porto com 69. Deixemos de parte a interpretação da caserna, segundo a qual nenhuma equipa conseguiu dar uma bem dada - e só o Porto atingiu a parca consolação do 69.

Centremo-nos nos números. O 67 do Benfica alude claramente aos primórdios dos anos 60 - um tempo inocente e pré-Beatles (e infelizmente ido) em que o Benfica ganhava quase sempre.

Já o 68 que o Sporting obteve em Maio de 2007 remete, sem margem para dúvidas, para o apocalíptico Maio de 68 e à sua fatalidade de "nada será como dantes". O facto de ter sido o Sporting a ganhar a miséria da "discussão do segundo lugar" alerta-nos para o impacto revolucionário da actual situação.

Finalmente, os 69 do Porto são fáceis de interpretar: anunciam o futuro. É certo que não é um futuro particularmente brilhante (sendo a década de 70 aquilo que a gente sabe) mas, mesmo assim, é um futuro. E um futuro sempre á alguma coisa»

Miguel Esteves Cardoso, In "J"

Uma boa explicação dos números do campeonato.

quinta-feira, junho 07, 2007

A lição

É um lugar comum dizermos que devemos aprender com os erros. E há erros que cometemos por sermos demasiado generosos. Sobretudo quando estamos à espera que do outro lado exista alguma contenção.

E é interessante ver o ar de surpresa dos que nos rodeiam ou a dificuldade na contenção de uma gargalhada bem audível. Sim, porque existem situações que são no mínimo hilariantes. E para além de aprendermos a estar calados e a não sermos extremamente simpáticos, vamo-nos divertindo à mistura.

Por isso, aprende!

domingo, junho 03, 2007

Quote

«Não deixes que o tempo volte para trás
E que o futuro seja o eco simples do presente
No fundo vivemos do passado
Passamos pelo presente
E acabamos no futuro desconhecido»

quinta-feira, maio 31, 2007

A Viagem

Ontem fiz uma viagem relâmpago ao Algarve, passando por quatro aviões diferentes. Por isso, tive oportunidade de apreciar todas as questões ligadas à aviação.


Foi agradável, sobretudo as assistentes de bordo. Muito bem escolhidas e todas elas com um palmito de cara. Já para não falar do resto...

E até digo mais, não me importava nada de ir todos os dias para o trabalho de avião! Quanto ao motivo que me levou ao Algarve, a apresentação do novo Mondeo da Ford, tudo correu de forma excelente. Assim sim, vale bem a pena trabalhar como jornalista...

quinta-feira, maio 24, 2007

Em grande!

Vale a pena ver. Eduardo Madeira no "Sempre em pé"! É grande...

quarta-feira, maio 23, 2007

Giro...

Ontem consegui finalmente sentar-me no sofá e ver algumas televisão. Entre o zapping parei por alguns minutos num programa da Dois chamado "Sempre em pé". Lá tive a oportunidade de ouvir uma boa piada. Cá vai...

"Os matraquilhos são o único sítio no mundo em que um homem se pode virar para o outro e fazer esta pergunta: então, vais à frente ou atrás?"

A piada pertence a Guilherme Fonseca, no "Sempre em Pé".

domingo, maio 20, 2007

Por perceber

Fui ver o concerto de Rodrigo Leão na Casa das Artes em Famalicão. Não conhecia muito bem o trabalho, mas gostei bastante do concerto. Foi realmente muito bom e recomendo a toda a gente.


Uma coisa que continuo sem perceber, não só deste concerto, é a razão pela qual os músicos se levantam, "simulam" que o espectáculo já acabou e depois, sob forte aplauso do público, regressam para tocar mais uma ou duas músicas, fechando depois em definitivo o espectáculo. Gostava de perceber a razão destas simulações. Não havia necessidade...

E imaginem, por exemplo, que no futebol os jogadores também faziam o mesmo. Depois de cumpridos os 90 minutos e se os espectadores aplaudissem muito eles voltavam para mais um tempinho extra de futebol.

sábado, maio 19, 2007

Coisas simples

Se há coisas que me satisfazem são as mais simples. Um curto passeio à beira mar chega para animar o pior dos dias. Um belo sorriso é a melhor cura para os males que nos atormentam.

E se repararem tudo o que é simples tem grande significado. Mesmo um silêncio pode significar muita coisa. Uma troca de olhares, um gesto descomprometido, a palavra "diferente"...

E as gargalhadas, simples e espontâneas, são os salpicos de emoção em cada dia. Por isso, respirem cada pedacinho de ar, saltem, dancem, corram, não parem de sorrir...vivam as pequenas insignificâncias da vida!

quarta-feira, maio 16, 2007

Um terror

Este episódio que vou contar passou-se há precisamente uma semana. E é digno dos melhores filmes de terror...


0h38, Redacção do Jornal "Opinião Pública"

Eu e o Jorge Humberto estavamos a terminar o trabalho de uma saída nocturna. Redacção completamente vazia até que do nada ouvimos a campainha tocar. Primeira reacção: olhar um para o outro a ver quem iria abrir a porta.

Após alguma hesitação, o Jorge levantou-se da cadeira e começou a dirigir-se à porta e eu, qual guarda de honra, segui-lhe as pisadas. Qual não é a nossa surpresa quando ao olharmos por entre a porta envidraçada vemos do outro lado um cantor pimba. O terror nos nossos fragéis corações foi ainda maior. E então quando ficamos a saber os motivos daquele inesperada visita, o terror atingiu o seu auge.

Tudo isto numa noite que começou na Casa das Artes a ouvir um grande espectáculo protagonizado por um cantor local. Mas isso fica para uma outra postagem.

terça-feira, maio 15, 2007

Um diálogo

«-Sorri..
- Não tenho motivos para sorrir!
- Vá lá, sorri para mim!
- Por que hei-de sorrir se não me apetece?
- Dentro de seis segundos vou pedir-te em casamento...
- (...)
- Queres casar comigo?»

E ela sorriu...

quarta-feira, maio 09, 2007

Abordagens

Existem formas de abordagem muito engraçadas. Espécies de desbloqueadores de conversa que se não servirem para nada, servem pelo menos para provocar o sorriso no nosso interlocutor.

Conheci uma pessoa que para abordar uma rapariga perguntava: "Arranjas-me um mapa?". E do outro lado surgia: "Porquê?". Resposta: "Perdi-me na tua beleza!". E pode parecer uma situação parva, mas consegue sempre libertar um sorriso. E isso já é positivo...

Outra que gosto particularmente, embora possa soar a mestre de obras, é a dos helicópteros. "És como um helicóptero! Gira e voa...". Interessante, no mínimo.

E se pensarem bem, podem encontrar muitas formas de abordagem/piropo engraçados para todas as situações. Se tiverem pouca imaginação podem sempre utilizar: "Tens planos para os próximos 20 anos?" ou "magoaste-te muito quando caíste do céu?".

domingo, maio 06, 2007

Quote 2

«Viverei feliz numa cabana simples no cimo de um monte, fiando, cosendo e cultivando a terra, ao sol e à chuva, e lavarei nas águas frias da montanha. Basta-me apenas que estejamos juntos»

sexta-feira, maio 04, 2007

Quote

«Não deixes que o tempo volte para trás
E que o futuro seja o eco simples do presente.
No fundo vivemos do passado
Passamos pelo presente
E acabamos no futuro desconhecido.»

O caderno amarelo

Quando frequentava o Externato Delfim Ferreira, tomei uma das decisões acertadas da minha vida. No 9º ano decidi arranjar um caderno, neste caso amarelo, para passar pelos amigos da turma para que me escrevessem umas linhas. Como era uma altura de separação, em que começavamos a seguir caminhos distintos, arranjei esta forma de ter algo palpável sobre eles.

E prossegui com este saudável hábito no Ensino Secundário e só fechei o ciclo na Universidade. Resultado: neste momento tenho em minha posse um caderno amarelo que é um livro de histórias sobre uma fase da minha vida. E nos momentos mais delicados, pego nele, folheio-o e recordo o passado. Aqui fica um exemplo de uma "dedicatória"...

«Ao contrário do que toda a gente faz, não vou dizer o que mais ou menos gosto em ti e na tua personalidade. Por isso, vou antes dizer que estes três últimos anos que podemos "conviver" juntos não foram os mais famosos e divertidos. Contudo, acho que foram, sobretudo, produtivos e delirantes.
Apesar de não sermos muito "comunicativos" um com o outro, penso que o teu inteligente e divertido sentido de humor, juntamente com o teu simpático sorriso atenuaram essa situação. Queria, por fim, desejar-te os melhores votos de beaucoup de felicidades e que a tua vida profissional e afectiva te sorria tanto ou mais do que te tem sorrido.
Pelo menos que te sorria com um sorriso tão bonito e simpático como o teu é...

E.S.»

quarta-feira, maio 02, 2007

O dia do trabalhador

Os feriados sabem sempre muito bem. E como era o dia do trabalhador, resolvi não fazer nenhum. Ou melhor, trabalhei apenas quatro horas, isto é, entre a meia-noite e as quatro da manhã do dia 1 de Maio porque era dia de fecho de jornal. Tirando isso, não fiz nada de produtivo...

Descansar também é preciso...

sábado, abril 28, 2007

Let´s Dance

Os teus olhos são negros
Como a dança que o teu corpo balança
Com ritmo quente
E um pouco de imaginação.

Salta e segura a batida
Que transpira da emoção
E sustém a respiração só por um momento.
Noutro terás o mundo a teus pés...

Segue os teus instintos sem pudor,
Ouve o mundo aplaudir
Sem receios ou desconfianças
Vamos dançar?

quarta-feira, abril 25, 2007

Dois tipos de momentos

Nas nossas vidas existem dois grandes tipos de momentos. Aqueles em que estamos no local certo à hora certa e aqueles em que estamos à hora errada no local errado.

E o grande segredo está em encontrarmos sempre o sítio certo para estar. Se for à hora certa, melhor. Se for à hora errada, é questão de esperar que o nosso momento chegue outra vez...

sexta-feira, abril 20, 2007

Uma verdade...

«Se correr, o bicho pega; se ficar, o bicho come»


Esta frase não faz sentido só nas favelas...

quinta-feira, abril 19, 2007

As últimas novidades

Antes de mais, quero dizer que estou a ficar muito mal da minha cabeça. Esqueço-me constantemente das coisas e agora tenho uma maneira esquisita de falar. Perdoem-me por isso uma vez que está a dificultar a actualização deste blogue.

Apesar de esquecido há uma coisa que tem andado na minha cabeça. Uma pergunta. Será que serei jornalista até ao final da minha vida profissional? Será que conseguirei aguentar o ritmo? E às vezes penso como seria tão agradável ter um horário mais ou menos fixo para sair e poder controlar melhor o meu tempo. Ou seja, ter tudo sobre controlo. E da forma que as coisas estão neste momento, parece que tantos aspectos fogem da minha alçada. E não sei se consigo suportar isto para sempre. É uma questão que me atormenta...

Curioso que já comentei isto com alguns colegas de trabalho. E sim, Sofia, tu compreendes-me bem com aquela coisa de ter um gabinete, ouvir TSF a tarde inteira e sair às seis da tarde. Ah...e ter uma secretária que nos diz os compromissos do dia seguinte. :)

sábado, abril 14, 2007

Mais um poema...

"Vou contar-te,
Os olhos já não podem ver...
Coisas que só o coração pode entender...
Fundamental é mesmo o amor...
É impossível ser feliz sozinho...
O resto é mar...
É tudo que eu não sei contar...
São coisas lindas...
Que eu tenho para te dar...

Vem de mansinho a brisa e diz-me...
É impossível ser feliz sozinho...
Da primeira vez era a cidade...
Da segunda o cais e a eternidade...
Agora eu já sei da onda que se ergueu no mar...
E das estrelas que esquecemos de contar...
O amor deixa-se surpreender...
Enquanto a noite nos vem envolver...
Vou contar-te..."

quarta-feira, abril 11, 2007

Na Casa das Artes

Aqui Há Quelque Chose

Artes Perfomativas (música, poesia, arte circense ….)
2 de Maio Quarta-feira 22h00 Café Concerto
Entrada: Livre
M/3
Duração 90 m

“O amor é o gosto da prostituição. Nem existe prazer nobre que não possa reconduzir-se à prostituição.
Num espectáculo, num baile, cada um frui todos.
O que é a arte? Prostituição.
O prazer de estar nas multidões é uma expressão misteriosa do gozo da multiplicação do número.
Tudo é número. O número está em tudo. O número está no indivíduo. A embriaguez é um número.”
Baudelaire

"O “Aqui há quelque chose” é um espectáculo de artes performativas, que vai de expressões tão diversas como as artes circenses, poesia, música, expressão dramática, voz e afins vocais, vídeo, multimédia, podendo englobar qualquer tipo de acção artística. Este espectáculo nasce de um conceito de palco aberto, ao estilo dos artistas de rua que se concentram num local e que vão fazendo pequenas performances, actuando em diversos espaços urbanos e rodando o chapéu".

Deve valer a pena ver... na Casa das Artes em Maio

Uma frase

Aqui fica uma frase que li por aí e que achei interessante.

«Por mais vezes que tente explicar-te tantas e tantas e tantas vezes, nunca te direi vezes que cheguem como é bom estar vivo»

sábado, abril 07, 2007

Liberdade

Continuando numa onda mais poética, talvez pelo estado de espírito. Cá vai...

Liberdade

Livres voam os pássaros na alvorada,
Fogem de uma liberdade alcançada.
O vento traz a esperança de ser livre,
De viver a vida no limite.

Solta os temores enclausurados,
Mostra ao mundo a tua vontade.
Pensa os motivos encontrados,
As razões que definem liberdade.

Esquece a dor que sentes,
A mágoa que sempre permanece.
Sonha a liberdade clara e pura,
Lamenta a dura realidade da clausura.

Grita liberdade na tua vida,
Deixa correr a ilusão proibida,
Pois nada consegues na vida,
Sem a liberdade apetecida.

sexta-feira, abril 06, 2007

A Lua

Não sei se já repararam, mas a lua é simplesmente magnífica. Gosto muito de olhar para a lua e até, às vezes, andar no mundo da lua. Até tenho um poema...

Lua Cheia

Lua cheia de saudade.
Cais na noite que termina
Tão breve como a verdade,
Que ficou lá onde tudo culmina.

Lua cheia de inspiração.
Chegas com a noite escura,
Como um sobressalto do coração,
Trazes a alma mais leve e pura.

Olho e vejo a luz imensa,
Que me cobre por completo.
Fico quieto a pensar.

Admiro a beleza, o sentido e a razão,
Fico inerte sem respirar
Até que te vás embora...

quarta-feira, abril 04, 2007

Back to the game...

É muito bom estar de regresso à vida, e ao blogue, depois de um início de semana muito intenso. E então ontem, o dia foi mesmo muito trabalhoso...

Alguém dizia aqui pela Redacção que os jornalistas deviam ter a reforma mais cedo por causa do stress a que estão sujeitos no desempenho das suas funções. E é bem verdade.

domingo, abril 01, 2007

Feliz dia das mentiras

Da China chega-nos a história de um beijo muito apaixonado. Um casal chinês, ainda jovem, deu um beijo tão intenso que a dentadura de um dos elementos foi sugada e só parou dentro do estômago da outra metade. Uma viagem até ao hospital onde os médicos recomendaram algum tempo de espera até que a dita dentadura saísse pela "via normal"

Não, esta história não é uma mentira de dia 1 de Abril. Foi mesmo verdade! Peço-vos que avisem os vossos avós para terem cuidado com os beijos intensos. E...feliz dia das mentiras!

sábado, março 31, 2007

Mundo ao contrário


O mundo está constantemente ao contrário. Uns têm coisas que não querem e outras querem coisas que não podem ter. Ou ninguém está satisfeito com o que tem ou o mundo está realmente ao contrário.

Enquanto uns por livre e espontânea vontade deitam fora o que de mais precioso têm, outros contentam-se com o facto de poderem passar uma tarde sentados a apanhar sol.

E entre dizer adeus ou passar tardes aparentemente sem significado, prefiro sempre viver a vida. A vida, esse bem tão precioso...

sexta-feira, março 30, 2007

Regresso às origens

Ontem, tive a oportunidade de regressar a casa. Voltei ao EDF, mas agora para trabalhar. Já lá vão os saudosos anos passados em Riba d'Ave. Mas os sentimentos não mudaram.

A reportagem que me levou lá não podia ter corrido melhor. Mas também estava em casa. E ainda por cima em boa companhia. Agora só falta o produto final. A recolha, essa, foi por demais proveitosa.

quinta-feira, março 29, 2007

Coisas insignificantes

Acho que com a idade vamos ficando com os gostos mais refinados. Ou melhor, vamos dando valor a certas coisas que passavam ao lado na juventude. E há exemplos concretos.

Por exemplo, não dava grande valor a um bonito sorriso ou ao formato e cor dos olhos de alguém. Não reparava no quão bonita pode ser uma simples gargalhada de uma pessoa. Temos tendência para olhar ao aspecto físico, se é "boa" ou não. E agora, a conclusão é que existem uma enormidade de coisas insignificantes que nos distinguem e nos tornam belos.

Daí valorizar mais uma pessoa interessante, isto é, que tenha algo que a distinga das demais. Porque existem muitas raparigas bonitas, mas poucas com uns olhos de determinado formato e de determinado tom de castanho (outra vez a cor dos olhos!), por exemplo. Mas bonitas e com tudo no sítio, conhecem-se aos pontapés.

E é precisamente aí nessas coisas insignificantes que devemos procurar alguém com quem viver o resto dos nossos dias. Se gostarem dos pequenos pormenores e dos detalhes, certamente que vão gostar do todo, exterior e interiormente.

quarta-feira, março 28, 2007

Frase do dia

"Eu é que sou sensível como um gay"

segunda-feira, março 26, 2007

Blue eyes

Uma definição curiosa para os olhos azuis. Pertence ao Pedro Mexia.

«Os olhos azuis são uns olhos muito mariquinhas. Estão sempre encandeados, magoadinhos, não podem com uma manhã mais luminosa que ficam logo de pálpebras semicerradas como um zombie pela cidade»

«A única coisa simpática é que, como disse, a raridade significa alguma estima social. Há olhos azuis bonitos e feios. Pessoalmente, não ligo nenhuma aos olhos azuis, nem me lembro de ter gostado de mulheres com olhos azuis. Afinal, é apenas uma mistura de amarelo com pouco ou nenhum castanho. E, nas fotografias, ficam sempre vermelhos»

E ele escreve mais ainda sobre a cor dos olhos...

«Os olhos verdes são mais raros que os olhos azuis e gozam de um estatuto quase aristocrático (são claramente os meus favoritos)»

Pois. E atenção porque o Pedro Mexia até tem olhos azuis. Logo, a opinião não podia ser mais imparcial. A propósito do tema, também não acho muita piada aos olhos azuis e prefiro os de cor verde. E se juntarem uns olhos verdes a uma pessoa morena, têm uma combinação perfeita.

sábado, março 24, 2007

Escrever

O que gostava mesmo era de ganhar a vida a escrever. Viver só da escrita. Isso era bom. Por isso, acho que os escritores são uns sortudos e devem agradecer esse dom.

E quem vive só da escrita tem ainda a oportunidade de poder percepcionar melhor o mundo que o rodeia e por conseguinte escrever sobre ele. Esse é outro dos aspectos positivos. Por vezes vivemos o dia-a-dia tão stressados que não reparamos nas coisas fantásticas que nos rodeiam.

Já sabem, se alguém me quiser fazer uma proposta para ganhar a vida a escrever, está à vontade. :)

sexta-feira, março 23, 2007

Frase da semana

«O festival não pretende ser essa fábrica de encher chouriços culturais que contrata filmes na "Atalanta", copia críticas no "Público" ou no "Expresso", e arrota postas de pescada estragada contra outros com a impunidade que só a ignorância e a má fé permitem. Não! Não agimos assim»

Lauro António a propósito do Famafest


Acho interessante a forma como ele mistura comida com cinema. Ele fala em chouriços e postas de pescada quando eu no cinema só vejo pipocas. Mas pronto...

Ir a Braga

Estive em Braga faz hoje uma semana a jantar com um grupo de amigas da Universidade. E ir a Braga e estar com elas é como voltar a viver todos os bons momentos passados nessa cidade. É reviver, é reavivar a memória.

E cada rua, cada local tem uma história. Um acontecimento que fica gravado. E estar lá é sentir-me vivo novamente e partilhar sentimentos comuns. Belos tempos esses da Universidade. Episódios inesquecíveis...

É ao mesmo tempo a percepção de que actualmente todos vivemos numa realidade distante daquela que nos uniu durante a vida académica. Sinto falta de muita coisa. E estes jantares servem para atenuar essas saudades. Sabem aquela sensação de que o tempo poderia parar nesse belo período das nossas vidas. E não me importava de viver e viver esses tempos vezes sem conta.

Obrigado por fazerem parte desta história e pelos momentos fantásticos que vivemos sempre que estamos juntos.

Muito mal vai a Justiça

Vai mal, muito mal a Justiça em Portugal. É vergonhoso o que vemos a passar-se todos os dias por esses Tribunais fora. Compensa ser criminoso e levar a vida à custa dos outros.

Basta ver o que se passou recentemente em Famalicão. Uma morte horrível de um jovem por causa de uma brincadeira estúpida e os principais suspeitos saíram com pulseira electrónica. Não se compreende esta Justiça portuguesa...

quarta-feira, março 21, 2007

Uma boa música

Não sei se já disse, mas aprecio bastante a Scarlett Johansson. E depois de ver este videoclip só confirmo mais a minha opinião. Ah, e esta música do Justin Timberlake é muito interessante também.

quarta-feira, março 14, 2007

Dreamgirls

Tive a felicidade (ou não) de no último sábado ver o filme Dreamgirls. Não gosto de musicais e à partida a minha vontade de ver o filme era pouca. Por insistência da minha outra metade, acedi a fazer-lhe companhia na sessão.


Tal como previa, não gostei do filme, porque não gosto do género, mas tenho de admitir que a história e a música eram interessantes. E realmente Jennifer Hudson mereceu o Óscar pela sua prestação neste filme.
O filme tem coisas positivas e por isso recomenda-se a quem gostar de musicais.

domingo, março 11, 2007

No escurinho

No escurinho do cinema pode fazer-se muita coisa. Há aqueles que preferem fazer das cadeiras, camas e dão largas à imaginação. Outros que passam a vida a fazer barulho e a conversar, esquecendo-se que pagaram bilhete para estarem ali.


Depois, e cada vez mais frequente, são aquelas pessoas que não desligam os telemóveis e para além disso conseguem a proeza de os atender em plena sessão cinematográfica. Há ainda os que se levantam durante o filme para se abastecerem de substâncias líquidas e/ou sólidas, quando não há intervalos.

E já me estava a esquecer daqueles que escolhem uma confortável cadeira de cinema para porem o sono em dia e só acordam quando passam as letras finais com os protagonistas da fita.

Bem, eu quando estou no escurinho do cinema o que faço é basicamente ver o filme. Ou então comer pipocas, beber um pouco de água ou trocar uns contactos mais carinhosos com a Ana. Mas quando vou ao cinema é para ver o filme.
Como vêem há muitas coisas para fazer no escurinho do cinema...

sexta-feira, março 09, 2007

Over the Rainbow

Esta música e respectivo videoclip só tem uma palavra: LINDO!

quarta-feira, março 07, 2007

Blogues

Já sabia que existiam todo o tipo de blogues. Sobre diversos assuntos e para todos os gostos. Mas ontem tive conhecimento de um blogue tão original quanto triste.

Uma jovem resolveu criar um blogue e começar a escrever quando descobriu que tinha um cancro no rim. E foi escrevendo nele até ser consumida em definitivo pela doença. Aliás, o último post disponível foi escrito pela amiga no dia do funeral.

Aqui fica o link para o Blogue da Sónia

Ora aí está uma razão triste que pode levar uma pessoa a criar o seu pequeno diário na web. E são histórias como esta que nos deixam a pensar que muitos dos problemas que temos são em toda a medida menores. E que não vale a pena estarmos constantemente a chatear-nos com coisas insignificantes.

terça-feira, março 06, 2007

Corre tempo corre

Quase nem sei o que penso. Neste tempo que corre, nesta chuva que cai e neste pedaço que morre. Às vezes faz-me falta lucidez quando não sei onde estou.

É estranha a forma como corre este tempo. Com tantos significados que não sei e uma dureza que adoptei mas não é minha. Como se dissesse tudo e não dissesse nada...

As horas

Em Portugal nada começa a horas. Nem sei porque existem relógios neste cantinho de terra à beira-mar plantado. Para qualquer sítio onde se vá com horas marcadas é certo e sabido que haverá sempre um atraso por este ou aquele motivo.

E contra mim falo porque também me atraso constantemente. Mas quando sou eu a esperar, não gosto mesmo nada...

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Um apelo

Aproveito este blogue para lançar um apelo acerca de uma questão levantada num das conversas aqui na redacção.


O que é um topping?

Já agora espera-se que a ajuda inclua as várias aplicações dester termo. Porque topping pode ser aquele molho que se põe no gelado, mas segundo ouvi dizer serve para descrever outras coisas. O quê,? Não sei bem...

Digam lá o que é um topping...

O país dos inquéritos

Não sei se já reparam mas Portugal é o país dos inquéritos. Quando algo corre mal, abre-se um inquérito para se apurarem responsabilidades.

O pior de tudo é que se abrem os inquéritos e não se chegam a conclusões. Ninguém fica a saber quem foram os culpados e como tal não existem consequências para quem faz as asneiras.

Então, para que servem os inquéritos? Boa pergunta...

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

É isto...

O mundo salta e corre e a vida segue logo atrás...

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Em defesa das ovelhas

A vocalista da banda The Pretenders trocou o microfone por uma tesoura de poda e foi com a organização PETA para a Austrália. Chrissie Hynde esteve em protesto na Austrália, defendendo as pobres criaturas cobertas de lã. Objectivo: contestar o mulesing, uma prática que serve para defender as ovelhas de doenças, mas que é dolorosa para os animais.

O que é melhor? Uma prática dolorosa que evite que as ovelhas morram ou deixá-las morrer?

Amor à primeira vista

Existem certas coisas na vida pelas quais nos apaixonamos à primeira vista. Um clube, uma casa, um carro, uma pessoa, uma roupa, uma profissão... E por muito que a nossa vontade seja esquecer e partir para outra, é impossível.

E essas coisas são aquelas que realmente valem a pena. As que merecem todo o nosso esforço e dedicação. Pelas quais devemos correr atrás. E uma vez alcançadas temos de tratar bem delas, alimentá-las e preencher todos os vazios.

Também podem ser chamados de sonhos. E concretizá-los um a um dá um gozo enorme. Há que lutar por este tipo de amores. Os outros, esqueçam...

domingo, fevereiro 11, 2007

De sem-abrigo a milionário

O papel de corretor de Wall Street que dormiu nas ruas durante um ano com o filho valeu a Will Smith a nomeação para o Óscar de Melhor Actor. A história real de Christopher Gardner que já estreou nos cinemas e que espero ver em breve.

“Dormiam onde calhava. Comiam o que havia. Caminhavam sempre de mão dada. Lado a lado. Aquele homem – acompanhado de um menino quase bebé – vivia na rua e dependia da caridade das prostitutas o drama familiar: Sem que elas imaginassem, a nota de cinco dólares oferecida à criança amaciava-lhe a fome, já que o sono era enganado em casas-de-banho públicas, bancos de jardim e estações de comboio”.

O filme chama-se “Em Busca da Felicidade” e passa para a grande tela mais uma história verídica. A não perder…



Eu já vi e recomendo. Uma lição de vida!

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Aborto, sim ou não?

Não vou expor aqui a minha opinião sobre o Aborto. Apenas me parece que as pessoas devem votar em consciência e sem quererem impor a sua opinião aos outros. E sobretudo não seguirem cegamente o que defendem os partidos políticos. Aliás, parece-me que os partidos políticos não deveriam fazer campanha pelo sim ou pelo não.

Cada um deve pensar pela sua cabeça, deve estar bem informado e depois exercer o seu dever de votar e contribuir para este referendo do próximo dia 11 de Fevereiro. Sem seguir este ou aquele. Esquecendo cores políticas.

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Últimas...

Agora no OS temos uma página muito interessante. Chama-se "últimas" e tem imagens muito interessantes, tipo esta:

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Jornalismo é romantismo

Fazer jornalismo é um acto puramente romântico. Pelo menos para a maior parte dos jornalistas. Quem o faz é quase sempre apenas pela realização pessoal e profissional, mas esse preenchimento não tem o devido reconhecimento em termos monetários. E se a realização pessoal é importante, sem dúvida, ser-se bem remunerado assume uma importância crescente.

Os jornalistas não são bem pagos. E deviam ser pagos ao nível de outras profissões porque é uma actividade profissional desgastante, de elevado stress e grande exigência mental. Provavelmente a opinião pública adivinha ordenados chorudos para os jornalistas, mas isso deve-se ao facto de grande parte das pessoas imaginarem que todos ganham o mesmo que os pivots das televisões. Acreditem que a realidade não é essa.

Por isso digo que jornalismo é romantismo. Muitos fazem-no quase por amor à camisola. Porque gostam muito do que fazem. De resto, é viver uma profissão retratada tantas vezes em filmes como a dos tipos com estilo e vida fantástica e interessante. Não é, mas eu gosto muito daquilo que faço.

domingo, fevereiro 04, 2007

Quinzena Gastronómica

Não se esqueçam de experimentar alguns pratos típicos do nosso país na Quinzena Gastronómica que já decorre em Famalicão. Esta iniciativa vai já na 5ª edição e conta este ano com 19 restaurantes a concurso e adivinhem quem faz a avaliação. São as pessoas que comem nos restaurantes que aderiram.

Para quem quiser saber mais, pode visitar o blogue da Quinzena Gastronómica e ficar a saber quais os pratos e restaurantes a concurso.

"Não se esqueçam de 1 a 15 de Fevereiro o destino é Vila Nova de Famalicão!"

sábado, fevereiro 03, 2007

Finalmente o fim-de-semana

Finalmente chegou o fim-de-semana depois de mais uma semana de trabalho. E só tenho pena do tempo ser pouco para escrever aqui no blogue que está quase ditado ao abandono. Vou tentar recuperar o tempo perdido.

Quem visita o blogue deixa de cá vir se não postar coisas novas. Por isso, assumo a minha culpa. Vou guardar um espaço do meu dia para actualizar diariamente este blogue. Não prometo que o faça mas pelo menos vou tentar...

domingo, janeiro 28, 2007

É preciso cautela

Num desses programas sobre a vida animal, ouvi algumas afirmações estranhas. O episódio era dedicado aos leões e a certa altura diz o locutor: "alguns leões atacam por trás"! Estranhei...

Passado um bocado, surge no ecrã uma imagem de um búfalo a ser atacado por três leões. Sustenta o narrador: "...três leões atacam um búfalo por trás...". Até para ser búfalo é preciso ter alguma sorte na vida!

Ao mesmo tempo acho que não é de mais pedir a todos os locutores da vida animal espalhados por esse país fora que tenham mais cuidado na escolha das palavras. As mentes pecaminosas deste Portugal ficam logo a pensar coisas estranhas.

sábado, janeiro 27, 2007

Mandamentos

Li isto numa revista por aí e achei alguma piada. Por isso, decidi partilhar...

Os 13 Mandamentos do Século XXI

1. O amor eterno chega a durar seis meses.

2. Não entres no mundo das drogas. Somos muitos e há pouca.

3. Ter a consciência limpa é sinal de má memória. Toma suplementos.

4. No casamento, vale mais enganar que ser enganado.

5. Os honestos são simples inadaptados sociais.

6. Quem luta contra a corrente pode morrer electrocutado.

7. O último a rir não percebeu a anedota.

8. A escravatura não foi abolida. Passou a 8 horas por dia.

9. Se a montanha vem até ti, foge dela. Trata-se com certeza de um desmoronamento.

10. Se não atropelares o tipo da frente, será atropelado pelo tipo de trás.

11. Não tomes a vida muito a sério, não sairás vivo dela.

12. A piada não é ganhar, mas fazer o outro perder.

13. Príncipe encantado só há um e está na cama com a Cinderela.

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Um apontamento

Na semana que passou, eu e o Pedro Sá tivemos a oportunidade de entrevistar um guarda-redes famalicense que recentemente assinou pelo Desportivo das Aves: o Zé Eduardo.

Foi uma entrevista muito fácil de fazer porque o entrevistado era bom, o que facilita, e muito, o trabalho do jornalista. Só para contextualizar, o Zé Eduardo foi formado nas camadas jovens do FC Porto e depois partiu para duas experiências no estrangeiro. A primeira, não tão bem sucedida, onde jogou na Roménia ao serviço do National de Bucareste. A outra, em Israel, onde actuou durante duas épocas ao serviço do Hapoel de Jerusalém.

Entre muitas outras coisas interessantes, o guarda-redes famalicense falou sobre a experiência em Israel e a vivência naquele país que qualificou de "seguro". Ora, certamente que qualquer português pensa em tudo menos nisto porque o que nos chega pelos meios de comunicação social não transmite essa realidade. E Zé Eduardo comprovou isso com números, referindo-se aos atentados em Espanha e nos Estados Unidos que mataram bem mais pessoas do que todos os que foram feitos em Israel até à data.

Foi ainda mais longe, dizendo qualquer coisa como isto: "se em Israel só mostrarem imagens do Casal Ventoso que ideia irão ter os isrealitas dos portugueses?". Bem observado. E isto remete-nos para questões bastante mais interessantes. Porque na verdade nem tudo o que passa na televisão transmite fielmente a realidade das coisas. E daí termos ideias erradas acerca de uma enormidade de assuntos.

Cultura

A expressão "OK" surgiu durante a Guerra da Secessão: se as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem nenhuma baixa, escrevia-se numa placa imensa "O Killed" (zero mortos), ou seja, tudo bem!

Já agora, e como hoje estou um mãos largas, fiquem também a saber que somos incapazes de fazer cócegas no próprio corpo (propositadamente) porque o cérebro prevê os nossos movimentos antes que elas aconteçam...

Outros estudos revelaram que as pessoas louras têm essa capacidade...

domingo, janeiro 21, 2007

Mudanças

A semana que passou foi particularmente feliz. Pessoal e profissionalmente. E por vezes custa até a acreditar que aconteçam coisas boas.

As novidades trazem responsabilidades. E só posso prometer empenho, dedicação e dar o máximo para não desiludir ninguém. Espero que continuem a acreditar e a apostar em mim...

terça-feira, janeiro 16, 2007

Para ti...



You give me something...

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Grandes portugueses

«Ora, esta coisa da eleição dos cem grandes portugueses faz de nós todos pequenos portugueses ou, no máximo, portugueses médios ou assim-assim e essa é a maior das injustiças. Grandes portugueses são aqueles que acordam todos os dias às seis da manhã, para tomarem um banho a correr se quiserem ter água quente para dar banho também aos filhos que já nasceram numa maternidade espanhola e que é preciso agasalhar porque estudam numa escola sem aquecimento aonde chegam depois de duas horas num autocarro comprado em segunda-mão a um sucateiro alemão.

Grandes portugueses são aqueles que apanham sete autocarros para chegar ao emprego a que nunca faltam apesar dos caprichos dos STCP ou da Carris, tanto faz, e cumprem o horário de entrada mas flexibilizam o de saída e não recebem horas extra porque vivem sob a ameaça de deslocalização da empresa para o extremo-oriente.

Grandes portugueses são aqueles que enchem o metro, os comboios e os autocarros no regresso a casa onde todos os dias fazem o milagre da multiplicação dos pães que dividem pela família antes de tentarem esquecer tudo em frente à televisão que lhes explica que é muito bom ser-se pobrezinho e que os ricos são todos muito infelizes.

Grandes portugueses são aqueles que, ao fim de mais um dia destes, têm uma paciência inesgotável para os filhos que sentam no colo, enchem de mimos e educam para também eles poderem ser, um dia, grandes portugueses»


Jorge Maia, in O Jogo

domingo, janeiro 14, 2007

TSF esqueceu-se de Santana

«A TSF não passou esta segunda-feira, dia 8, a crónica de Santana Lopes, apesar de ter sido gravada. Santana ligou ao director da TSF, José Fragoso, que não sabia o que se passara. "Foi uma falha do técnico, que gravou a crónica numa pasta informática com a data de dia 5", assumiu Fragoso à SÁBADO».

Notícia da revista Sábado, semana de 11 a 17 de Janeiro de 2007


Afinal não é só nas rádios locais que existem falhas. Erros e esquecimentos fazem mesmo parte de todas as profissões e de todas as empresas. Por isso, ninguém se fica a rir...