terça-feira, setembro 30, 2014

isto

Entraste na casa do meu corpo,
desarrumaste as salas todas
e já não sei quem sou, onde estou.
O amor sabe. O amor é um pássaro cego
que nunca se perde no seu voo.

Casimiro de Brito

...


:o|

«E que no momento certo se reencontrem e que nada, nada seja por acaso.»


sexta-feira, setembro 26, 2014

...

«Lembrar que estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a tomar grandes decisões. Porque quase tudo - expectativas externas, orgulho, medo de passar vergonha ou falhar - caem diante da morte, deixando apenas o que é apenas importante. Não há razão para não seguir o seu coração. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir seu coração»

Steve Jobs

quinta-feira, setembro 25, 2014

...

«Deixa-me contar-te o mundo como o vejo: um grande contínuo sem divisões nem fronteiras. O ar que respiro é o ar que tu respiras e se bato o pé no chão é no mesmo chão que pisas. Quando olhamos para o céu vemos o mesmo sol e a mesma lua e se formos à beira-mar e molharmos a mão na água, estaremos, ao mesmo tempo, a tocar na mesma coisa. Não interessa onde estás nem onde estou, estamos unidos no mesmo, em pontas contíguas de um mesmo ar e à noite dormimos na mesma cama, não importa quantos quilómetros ela tenha de largura.»

segunda-feira, setembro 22, 2014

Dias sem fim


...

«Que nunca nos deixemos ficar na segurança de não arriscar, por mais que o risco nos faça tremer... Que o medo seja sempre superado, pela certeza de querer alcançar, ou pelo menos querer tentar. Que nunca percamos um beijo, por ter medo de amar, um olhar por ter medo de gostar, um qualquer momento por ter medo de viver. Mas que nunca os tenhamos demais, por medo de estarmos sós ou por querer preencher vazios.»

 Rita Palma

...

«Gosto dos pequenos nadas que ficam entre o teu sorriso e o meu. Gosto das pequenas estórias que escrevemos com os nossos dedos, procurando a pele um do outro. Sem pressas, nem desentendimentos. Sem adereços escusados, porque a simplicidade do gostar é assim mesmo: suficiente. Gosto do horizonte que vemos daqui e da forma como a luz embate em nós. O teu rosto a sorrir-me. O meu rosto a sorrir no reflexo luminoso dos teus olhos. E há dias que parecem eternidades. E há sentimentos que queremos sentir para sempre. Gosto que fiques e gosto de te olhar, sem pressa de ir embora.»

Laura Azevedo

quinta-feira, setembro 11, 2014

...


terça-feira, setembro 09, 2014

...

J

Não me julgues pelas minhas acções.
Julga-me pelos sentimentos no meu peito.
Não me julgues pelo que às vezes pareço ser.
Julga-me pelo que está suspenso no meu sorriso.
Não me julgues por julgares que me conheces.
Não me julgues de todo.
Apenas conhecer-me de perto.
E depois, julga o que quiseres julgar.

domingo, setembro 07, 2014

Book

"Não me deixes apaixonar por ti, pediu enquanto puxava o seu corpo nu contra o de Oriol que se limitou a suspirar, assumindo a recusa do pedido.

"Meteu a mão ao bolso e atendeu sem olhar o visor. Do outro lado, uma voz rouca atirou de forma doce. El teu cor batega per mi?"

quinta-feira, setembro 04, 2014

Dias sem fim