quinta-feira, fevereiro 28, 2013

...

Muitas vezes não sei o que hei-de pensar. O que posso esperar, se devo acreditar ou não. Se posso contar que a sorte esteja do meu lado ou se me vai abandonar uma vez mais. Mil e uma sensações atravessam todo o corpo, sem qualquer tipo de controlo. De pouco adianta planear. De pouco servirá navegar nos pensamentos. Resta respirar um segundo atrás do outro.

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Para relembrar

Sê 

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.

Pablo Neruda

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Talento

Qualquer talento ou pessoa talentosa é passível de ser igualada na sua capacidade para criar algo. A diferença é que a falta de talento obriga a maior esforço, a trabalhar muito para se conseguir igualar o talento. E quem tem talento apenas precisa de ser como é. Tudo acontece de forma natural, inata.

Os animais

Um homem sozinho que passeia um cão pela trela está à espera de encontrar uma mulher sozinha a passear uma cadela.

Loucura

«Sim, você é louco, louquinho. Mas vou lhe contar um segredo: as melhores pessoas são assim.»

Alice In Wonderland

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

O rigor é isto

«O FC Porto venceu o Málaga com golo de João Moutinho em fora-de-jogo»

Foi desta forma que ontem à noite a SIC Notícias abriu o desporto na edição de meia noite. E desta forma ignorou por completo uma grande exibição do Porto na Liga dos Campeões que banalizou aquela que muitos dizem ser a equipa sensação da presente edição da prova. Ignorou o facto dos portistas terem sido melhores do que o Málaga, desvalorizando a grande qualidade de jogo apresentada e o facto de ter sido esmagador na posse de bola, de ter sido a única equipa a querer ganhar a partida e a controlar os acontecimentos do primeiro ao último minuto.

O Málaga fez um remate à baliza em todo o jogo. E fez um remate porque o Porto não deixou fazer mais nenhum. Li em alguns jornais espanhóis que a exibição de ontem foi a pior do Málaga esta época. Acredito. Mas os espanhóis jogaram aquilo que o Porto permitiu que jogassem. Por muito que custe a admitir.

E porque se esquecem que quem não viu o jogo vai assim ficar com uma ideia errada do que se passou na noite de ontem no Estádio do Dragão. Tudo isto se torna mais grave quando se afirma de forma peremptória que o golo foi em fora-de-jogo. Para mim João Moutinho está em linha e no máximo admito que seja um lance duvidoso, discutível. Difícil porque os jogadores se estão a movimentar em sentidos contrários e se trata de uma jogada muito rápida. Na televisão e em câmara lenta é sempre mais fácil tirar as medidas, dar opiniões e apresentar certezas. Ainda assim, sempre ouvi dizer que em caso de dúvida os auxiliares devem beneficiar quem ataca. Ninguém pode dizer que o lance do golo, ao vivo e a cores, na hora, no estádio, não deixe dúvidas.

Por cá iremos constantemente desvalorizar os nossos feitos. Seja num jogo de futebol, seja numa qualquer inovação alcançada. O título de abertura do noticiário da SIC ignora por completo o que se passou no Porto-Málaga. O rigor não é isto.


P.S.: Vi o jogo em directo na TVI e outra coisa que me irrita solenemente é um dos comentadores não acertar num único nome dos jogadores do Porto. Não saber e trocar o nome dos jogadores do Málaga até dou de barato pois pode não estar tão familiarizado, embora tenha o dever de estar minimamente preparado. Agora chamar Lucho Gonzalez ao Mangala e Jackson Martinez ao Alex Sandro, isso já começa a ser demais. É que não acertou uma única vez com o nome correcto.


segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Passado, presente, futuro

«Vivo sempre no presente.
O futuro não o conheço.
O passado, já o não tenho.»

Bernardo Soares

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

...

Será que também temos sorte ao jogo?

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

...

Qual capa de super herói. Qual poder sobrenatural. Qual força invencível. Carne, osso e coração.

domingo, fevereiro 10, 2013

1-0 ou 5-4

Li isto no zerozero.pt e só queria acrescentar que estou do lado de José Peseiro.

"Peseiro «mal em Portugal» porque prefere o espetáculo

José Peseiro foi ainda confrontado com as palavras de Vítor Pereira, técnico do FC Porto, que disse preferir uma vitória por 1-0 em vez de 5-4; ora, Peseiro tem uma opinião diferente. «Entre 1-0 e 5-4, prefiro ganhar por 5-4. Se estou mal em Portugal? Se calhar estou, se calhar devia estar em Inglaterra e aí ganhar por 5-4 é espetacular. Mas tenho de me adaptar», respondeu José Peseiro."

sábado, fevereiro 09, 2013

De manhã

Um respirar fundo, tão natural. Assim como o silêncio matinal sob um sol ainda tão perto como se nos beijasse a face. E o silêncio, a calma, a tranquilidade. Onde nem o frio se atreveu ainda a dar o ar da sua graça. A manhã tão leve por entre as passadas ritmadas da corrida com a cabeça ainda solta e sem fantasmas a pairar. A corrida pela manhã. E o silêncio tão bom de sentir.

sexta-feira, fevereiro 08, 2013

...

Não sou um escrevinhador, muito menos um escritor. Transformo em palavras tudo o que vagueia no nada sem definição. Apenas.

quinta-feira, fevereiro 07, 2013

À primeira

Nem todos conseguem atingir os seus desejos à primeira. E isso até pode ser bom. Embora difícil na parte em que todos falam como se fosse algo fácil, mas enriquecedor porque nos dá uma outra perspectiva das situações. E deixaremos em muitos casos de julgar as pessoas a destempo ou de achar que algo é tremendamente natural, básico, tão normal como um simples piscar de olhos. O que para muitos de nós é um simples movimento dos dedos, para outros é uma tarefa jamais concretizável.

O certo também é que não estamos habituados a viver ou a pensar nos problemas dos outros. Nos seus medos, nos seus receios, na inconstância dos momentos, na dificuldade que por vezes parece ridícula. E é quando passamos para o outro lado, ocupamos o outro lugar que aprendemos realmente a viver. A dar valor, a perceber, a ter mais cuidado com as palavras e a deixar o "desta água não beberei" para a cautela que se aconselha.

Na verdade crescemos nas dificuldades. Damos valor, conseguimos ser mais comedidos e maduros. Olhamos de uma outra forma para os outros. Porque os outros também somos nós. E devemos aprender. Essencialmente sermos humildes o suficiente para não desistirmos e sabermos que um dia estamos no topo, no outro no fundo do poço. Mais tarde ou mais cedo, da maneira mais fácil ou mais sinuosa, aprenderemos à custa daquilo que a vida nos traz.

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Messi, Messi, Messi

domingo, fevereiro 03, 2013

Comentário

«Um arranha-céus em forma de jogador de futebol com uma camisola azul e branca»

Comentário de Luís Freitas Logo, ontem, após o golo de Mangala no jogo do FC Porto com o V. Guimarães