segunda-feira, outubro 29, 2007

Para relaxar

Quando mais um fim-de-semana chega ao final, fica uma música que me relaxa. Acho que estou a ficar cada vez mais velho porque aprecio estes ritmos mais, como hei-de dizer, sofisticados. É uma boa palavra, sem dúvida...



Michael Bublé - Me and Mrs Jones

sábado, outubro 27, 2007

Passagens

Aqui ficam umas passagens de uma das histórias do livro que estou a ler. Chama-se "Não Te Deixarei Morrer David Crocket" e é do meu escritor preferido, Miguel Sousa Tavares.

«E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter. Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas»

(...)

«E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre»

Frase do dia

«As raparigas boas vão para o céu...as más vão para todo o lado»

Vi por aí...

quinta-feira, outubro 25, 2007

Sabedoria popular

Esta tarde estava a olhar para um calendário do mês de Outubro (a pensar na marcação do que resta das férias) e reparei numa particularidade do mesmo. Em cada mês tinha algumas indicações viradas para as questões agrícolas e até alguns ditados populares. Uma espécie de sabedoria popular.

Então, tinha lá um item designado por gado. E lá estava escrito o seguinte: "mês favorável para a cobrição das porcas". Por isso, quem tiver criação de porcos não se esqueça de durante este mês levar o porco até perto da porca.

Mas o calendário não se ficava por aqui. Tinha um ditado: "Quanto Outubro for ervilheiro, guarda para Março o palheiro". Nada mais verdadeiro...

domingo, outubro 21, 2007

Detesto

- Detesto que pensem mal de mim

- Detesto viver com o pensamento no passado

- Detesto quando as semanas se sucedem sem darmos por elas

- Detesto ser contrariado quando quero muito fazer qualquer coisa

- Detesto passar a vida a dizer palavrões

- Detesto ver televisão ao domingo à noite

- Detesto as segundas-feiras de manhã

- Detesto a chuva miudinha

- Detesto esperar por quem nunca chega

- Detesto chorar pelo tempo que acabou

sábado, outubro 20, 2007

Histórias do mundo

«A polícia de Phnom Penh, no Camboja, prendeu no dia 12 uma vaca por reincidir em causar graves acidentes de viação. Desta vez, provocou a morte de um motociclista de 64 anos que embateu no animal parado numa estrada sem luz.

Em Janeiro, provocou cinco mortes após despiste do autocarro que evitou chocar com ela. O dono também incorre em seis meses de cadeia por negligência».


Acho que as vacas deveriam ser obrigadas a usarem coletes reflectores. E não deve ser nada agradável embater numa vaca parada no meio da estrada...

sexta-feira, outubro 19, 2007

Frase do dia

«Há momentos que deviam durar para sempre e outros que nunca deveriam ter acontecido»

Mas se alguns momentos durassem para sempre certamente que perderiam toda a piada. E aqueles que nunca deveriam ter acontecido por vezes ensinam-nos alguma coisa. O melhor mesmo é existirem momentos de todos os géneros e feitios nas nossas vidas...

segunda-feira, outubro 15, 2007

Frase do dia

"O caminho é sempre em frente mesmo que seja a subir"

Outra coisa, nunca fiquem pelas metades. Quando começam algo vão sempre até ao fim. Porque o caminho é sempre em frente e a mesma oportunidade pode não se repetir duas ou mais vezes. Por isso, tudo o que comecem...acabem...

sábado, outubro 13, 2007

Desencontros

Ontem acabei de ler um livro ("A Lua Pode Esperar" de Gonçalo Cadilhe) onde o autor menciona uma frase de Vinicius de Moraes que me chamou a atenção. O livro é sobre as viagens do escritor pelo mundo e escreve ele, citando o brasileiro, que "a vida é a arte do encontro".


E faz todo o sentido porque ao longo da vida estamos constantemente a encontrarmo-nos com pessoas. Cada situação da vida promove encontros com diversas pessoas. Seja na altura em que vamos à escola ou à universidade e até no emprego e consequentes relações profissionais. E por vezes torna-se até como que um capricho, na medida em que conhecemos pessoas ou revemo-las nos sítios mais improváveis do universo.

Pior do que aquelas pessoas que conhecemos e gostamos, muito, é o exercício de imaginar todos os encontros que nunca se irão verificar. Apesar de sabermos que iriamos gostar de encontrar esta ou aquela pessoa. Daí a frase de Vinicius de Moraes só ficar completa desta forma: "a vida é a arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida".

quinta-feira, outubro 11, 2007

Navio Hospital Gil Eannes

Durante as minhas férias de Setembro tive oportunidade de viajar por Portugal. Um dos destinos escolhidos foi Viana do Castelo, uma cidade muito interessante. Nessa incursão por Viana visitei o Navio Hospital Gil Eannes que está em exposição na antiga doca comercial de Viana do Castelo.


E vale muito a pena visitarem o navio por dentro e para além disso estão a ajudar a Fundação Gil Eannes que resgatou este navio para operações de reabilitação e restauro. «O navio hospital Gil Eannes constitui para os vianenses um precioso símbolo da notável tradição de qualidade da construção naval na Foz do Lima e, é uma memória viva da assistência prestada aos nossos pescadores da frota bacalhoeira nos mares gelados do Atlântico Norte, sendo igualmente, uma venerável relíquia da frota oceânica nacional do século XX de que é o único exemplar ainda existente».
Se subirem a bordo podem ver a ponte de comando, cozinha, casa das máquinas, consultório médico, gabinete de radiologia, bloco operatório, diversos camarotes e salas de exposições temporárias. Sabiam que em cada época de pesca se realizavam entre 4000 e 4500 consultas médicas? E cerca de 70 operações de grande cirurgia. Vale a pena visitarem!

Se estiverem interessados em saber mais consultem o site da Fundação em http://www.fundacaogileannes.pt/

quarta-feira, outubro 10, 2007

Chato

Queixo-me frequentemente de dormir poucas horas e andar com sono durante o dia, especialmente de manhã cedo e ao início da tarde. Mas a verdade é que quando durmo muitas horas fico ainda pior. Fico chato, mesquinho e de poucas falar. E toda a gente se queixa.

Hoje foi um desses dias, já que dormi até mais tarde porque estive de folga. E não aproveitei de forma conveniente um dia de descanso a meio da semana e depois de um fecho de jornal. É pena, mas é assim a vida.

Melhores dias virão.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Memória

Existem certos acontecimentos nas nossas vidas que ficam marcados. Ou melhor, passagens que ficam registadas no baú das memórias e que nos vão acompanhando ao longo dos anos. Algumas ficarão sempre guardadas.

E na maior parte das vezes não atribuímos grande importância no momento em que as vivemos, mas posteriormente assumem um significado maior. Ou porque sentimos saudades ou porque achamos que jamais voltaremos a vivê-las daquela forma. E se pensarem bem, encontrarão esses momentos. Por muito banais que possam ser.

Por exemplo, recordo-me das bolachas com queijo, magníficas, que a minha avó preparava com tanto cuidado. Não tinha grande segredo, já que se tratavam de duas bolachas Maria com um pouco de queijo no meio, mas tinham um sabor único. Tinha eu uns dez anos e quando me ia despedir dela era presenteado com essa oferta.

Agora, com alguns anos de distância, sei que as bolachas com queijo nunca mais terão o mesmo sabor. Um sabor que está guardado num cantinho especial...

sábado, outubro 06, 2007

Kuduro

Por mero acaso, e graças a um convite inesperado, assisti ao vivo a um espectáculo de Kuduro. Mais concretamente ao "Frederic Galliano and the African Divas" no Theatro Circo em Braga. E se na televisão aquele ritmo e aquela dança me pareceram interessantes, ao vivo fiquei no mínimo sem palavras.


Gostei de ver, e até gostava de saber dançar, e conta quem viu que a minha expressão era de verdadeiro espanto.

segunda-feira, outubro 01, 2007

Ainda pode piorar?

Domingo à noite. Sentado no sofá numa casa sem TV Cabo. Apesar das poucas possibilidades em termos de canais, o comando está constantemente em funcionamento. A RTP tem uma repetição do Gato Fedorento, a Dois está com as notícias, a SIC com a Familia Superstar e a TVI com o novo programa dos noivos.

Constato que todos agora apostam nos dotes artísticos, entenda-se vocais, das pessoas e por isso na televisão é só cantorias. A primeira pergunta que me surge é: isto ainda pode piorar?

Fica pelo menos a certeza que as noites de domingo junto à televisão são deprimentes. Quando não há alternativas para além dos quatro generalistas.