sábado, julho 31, 2010

Música

Para embalar este sábado:

sexta-feira, julho 30, 2010

Noutros tempos

Pensando bem na evolução dos tempos, antigamente existia um pouco mais mistério. Veja-se o exemplo dos telefones. Nunca sabiamos quem estava lá do outro lado a tentar estabelecer uma ligação connosco. Existia aquela ansiedade antes de levantarmos o auscultador e dizermos o tradicional: "estou?!". Noutros tempos, um telefonema era uma coisa importante que não acontecia com muita frequência. Deixava mais espaço ao misterioso.

Quem tinha telefone em casa era quase considerado rico. No início o telefone não estava ao alcance de qualquer um e a comunicação entre as pessoas era um bem muito precioso.

Hoje em dia tudo é diferente. Cada pessoa tem o seu telefone pessoal, vulgo telemóvel. Mais, sabemos sempre quem nos está a ligar, salvo aqueles números privados ou anónimos, e temos ainda a possibilidade de adicionar uma fotografia ao contacto e termos no visor a imagem da pessoa que nos está a ligar. E quase sempre só olhando para o telemóvel sabemos qual vai ser o assunto da conversa porque sabemos de antemão quem está do outro lado.

Noutros tempos, o gosto pelo desconhecido fazia-nos atender o telefone. Agora, a vulgarização faz-nos atender só quem nós queremos e quando queremos. A culpa é de já não existir mistério como antigamente.

quarta-feira, julho 28, 2010

Música

Apetece-me ouvir esta música hoje. Não se explica, ouve-se porque apetece. E um dos grandes segredos é ir fazendo aquilo que nos apetece, sempre que nos apetece. Sem prejudicar terceiros...óbvio...

terça-feira, julho 27, 2010

Dias

Se as segundas-feiras são complicadas, as terças também. Particularmente aqui na Redacção. E é entre a correcção de uma página e a criação de um pdf que escrevo este post. Esta noite a responsabilidade é acrescida porque o Jornal Opinião Pública terá amanhã nas bancas uma edição especial do 19º aniversário.

Esta terça-feira foi complicada (está ainda a ser), mas foi levemente atenuada por algumas situações. Por exemplo, tivemos direito a bolo, champanhe e até presentes. Tudo da responsabilidade de um presidente da Junta que cumpriu rigorosamente aquilo que foi prometendo quando desafiado por algumas pessoas aqui da Redacção.

O ambiente, esse, é o normal aqui da Redacção. Períodos de silêncio e maior concentração, alternados por autênticos delírios saudáveis, polvilhados com gargalhadas desmedidas. Tranquilo, portanto...

segunda-feira, julho 26, 2010

Telefones

Hoje passei grande parte do meu dia ao telefone. É mau, sem dúvida, mas pior do que isso é muitas pessoas não atenderem os telefones/telemóveis. Para quê existir a possibilidade de estarmos sempre contactáveis quando não queremos atender os telefonemas. Para as pessoas que raramente atendem o telefone/telemóvel, deixo aqui o meu conselho: atirem-no ao mar neste Verão!

Porquê?

Porque sim...

quinta-feira, julho 22, 2010

Recordação

Para recordar uma grande música. A palavra certa é "brutal"!

quarta-feira, julho 21, 2010

...

Há coisas que nunca mudam. Continuo sem conseguir chatear-me contigo...

terça-feira, julho 20, 2010

Artigos...

Longe vão os tempos em que a publicação de artigos escritos por mim era motivo de um brilhozinho nos olhos. Aliás, guardo religiosamente tudo o que escrevi nos primeiros passos dados nesta coisa a que chamam jornalismo. Provavelmente é aquela visão romântica de principiante em algo que desde cedo começamos a criar como sonho na nossa cabeça.

Com o passar dos anos, o sentimento de que somos especiais e de que podemos fazer algo que marque a diferença vai-se perdendo. Ter uma grande reportagem ou uma pequena nota de rodapé é quase o mesmo. Deixa-se de ligar ao espaço que nos dão. É claro que continuo a adorar escrever e qualquer peça com a minha assinatura tem a garantia de que ali está o melhor que consigo realizar.

O olhar que coloco no produto final é que já não é o mesmo. Os olhos deixaram de brilhar. Só isso. Ou, infelizmente isso. Tenho de procurar o antídoto, a poção mágica. Se ainda existir...

Herói

Muitas vezes o herói da história também precisa de ser salvo...

segunda-feira, julho 19, 2010

Segredo

Para cumprir o seu objectivo, um segredo tem de ser partilhado por pelo menos duas pessoas. Um segredo requer que essas duas pessoas guardem para si e não contem a mais ninguém. Um segredo pode perder-se na eternidade se for muito restricto. É giro guardar um segredo durante algum tempo e ir partilhando aos poucos com algumas pessoas. Para mim, um segredo só faz sentido quando deixa de ser segredo.

domingo, julho 18, 2010

Post-it

A não esquecer...

quinta-feira, julho 15, 2010

Japonês

Nestas férias fui experimentar pela primeira vez um restaurante japonês e apaixonei-me! Confesso que estava relutante, sobretudo quanto ao peixe cru, mas até esse me atraiu bastante. Basicamente gostei de tudo o que comi e estou ansioso por repetir a experiência.


Tendo em conta esta recente paixão, o meu próximo passo é aprender a comer com os pauzinhos. Já consegui, nessa minha incursão pelo restaurante japonês, mas tratavam-se de uns pauzinhos batoteiros porque tinham aqueles elásticos que facilitam muito a tarefa. E este facto serve como boa desculpa para voltar a atacar no sushi. Uma pessoa precisa de praticar para aprender...

Esta experiência serve também para provar que não devemos dizer que não gostamos ou torcer o nariz a qualquer coisa sem termos primeiro tentado. Gosto de experimentar coisas novas e diferentes. E para já tem corrido bem. Sim, porque nas férias fui também jantar a um restaurante indiano pela primeira vez. Bem, mas essa história fica para outra ocasião.

quarta-feira, julho 14, 2010

Contraluz

Quero muito ver este filme por causa deste trailer...

terça-feira, julho 13, 2010

Escolham

Entre os frios e calculistas e os sentimentalistas e calorosos. O que preferes?

A saudade

Ter saudades pode ser considerado mau. Numa perspectiva de que podemos sofrer quando sentimos saudades, não tendo presente ou perto de nós o objecto do nosso saudosismo. Geralmente a saudade está conotada com algo negativo.

Mas pensando bem, só temos saudades das coisas boas que se atravessaram na nossa vida. Saudades de pessoas, momentos, locais, fases da nossa vida, o que quer que seja. No meio disto tudo, só temos saudades se já tivermos vividos grandes momentos ou tivermos construído algo de muito forte. Por isso, antes do sentido negativista da saudade há sempre qualquer coisa de positivo associado.

Vivam cada pequeno gesto até à exaustão. E só depois sintam a saudade bater ao de leve...

domingo, julho 11, 2010

Ontem

O momento mais alto da minha noite de ontem. Eu estive lá! :)

quarta-feira, julho 07, 2010

Vitaminwater

«Ahh! O Paulo do departamento financeiro, que te espirra para cima quando o encontras no elevador! E que depois vai ter contigo vezes sem conta ao gabinete, com olhos de constipado… depois de o teres recusado 17 vezes, ele já deve ter percebido que será difícil vocês tem link no facebook!
Ainda estás hesitante entre estender-lhes um lenço para que se possa assoar, ou volta a explicar-lhe que mesmo que naufraguem numa ilha deserta, não irias querer partilhar a sua companhia!
Mas se optares por ingerir já esta bebida, vais certamente apreciá-la.
Poderá dar-te a ajuda que necessitas para te proteger dos obstáculos do dia-a-dia…ou pelo menos, da maior parte deles…»

Sabor framboesa – maçã (c + zinco)

terça-feira, julho 06, 2010

Humor

O humor é primo direito da sedução. Por isso, o sentido de humor é uma boa forma de seduzir alguém. Certo?

sexta-feira, julho 02, 2010

213

O que gostaria de estar a fazer daqui a cinco anos?

O que acha que estará a fazer daqui a cinco anos?


In O Livro das Perguntas