domingo, junho 09, 2013

Borboletas

Uma grande letra. Muito bem escrita. Um excerto:

«A Primavera instalada, vai avançada, até tardia
Oito e meia, com luz
Abundante, ainda é dia
No botão cinza da cidade surgiu cor, então vi-a
Entre pássaros, abelhas, flores, era uma fantasia
Na viagem é certo, numa paragem de metro
De mala e bagagem por perto
Quis falar, na garganta senti um aperto
Onde vais? De onde vens? Queres vir a um concerto?
Que tirada mal sacada, ainda bem que fiquei quieto
Mas pensei em convidar-te e levar-te numa nave
Para longe, para cima
Vem comigo, tenho a chave
Assim como um chavalo à espreita pela fechadura
Travessura, o teu lado fora do meu alcance é tortura
Tão perto e tão longe tás aqui neste lugar
Pela mente a flutuar, até quando vai durar?
Não sei, não vás, não quero voltar a mim
Quero sempre ficar assim, sem princípio nem fim, ouh!

Não percebes que eu não
Consigo esperar mais tempo em vão
O que é que sentes? Borboletas
O que é que sentes? Borboletas
Borboletas, Borboletas, Borboletas, Borboletas»

O resto da letra segue na música.

sábado, junho 08, 2013

...

Não quero ser melhor ou pior do que ninguém. Apenas igual a mim próprio, respeitando a minha essência.

sexta-feira, junho 07, 2013

June

Não está sol, mas não deixa de ser dia 7 de Junho. Como a música também não deixa de ser estranha, leve, solta.