quinta-feira, janeiro 31, 2008

A chamada

Ontem recebi uma chamada cujo objectivo era tirar uma dúvida sobre algo que escrevi aqui no blogue. Fiquei chateado por essa pessoa apenas ter ligado, de propósito, para fazer "essa" pergunta. Como tal, resolvi brincar com a situação e respondi "sim, é verdade, está de cinco meses". Pior é que o meu interlocutor acreditou.

"Achas?", perguntei, "sem barriga...", concluí. Mas ele continuou a insistir e questionou a razão de ter escrito "aquela" frase. "Foi uma private joke", retorqui. E finalmente o silêncio do outro lado. Tudo ficou explicado. E para a próxima, quando me ligares, pergunta-me antes como tenho passado... :)

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Começar mal

O Governo optou por uma remodelação com as trocas nos ministérios da cultura e da saúde. Ora, na saúde entrou a ministra Ana Jorge que no meu entender entrou muito mal. E porquê? Porque nas primeiras declarações que prestou à comunicação social, pelo menos nas duas intervenções que tive a oportunidade de ver e ouvir, ela teve de fazer uma pausa para se libertar do catarro.

Vamos ter uma ministra da saúde que tem problemas de saúde? Agora catarro, daqui a uns tempos sabe-se lá o que poderá ser. Não está bem escolher uma ministra que se vem logo a fazer a um tratamentozinho. Só esperamos que não tenha de recorrer aos hospitais ou às urgências portuguesas...

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Defina "coiso"!

É caso para dizer que algumas pessoas andam com o "coiso" na boca. Ou "coisa", como preferirem. E de facto é uma palavra muito interessante porque tem vários significados e pode ser aplicada em diversas circunstâncias. "Chega-me aí essa coisa", por exemplo, ou "é preciso pegar na coisa para depois se fazer o coiso". São aplicações desta palavra que podem afinal de contas ser relativas às mais variadissímas situações.

Mas tem também vantagens. Quando não nos lembramos de uma palavra podemos sempre substituí-la por "coisa" ou "coiso". É vantajoso. Mesmo quando queremos ser eruditos e falar de assuntos que ninguém entende, podemos recorrer a esta palavra. É bonita. E só encontro uma melhor do que esta que é "mambo". "Dá-me aí esses mambos" ou "isto aqui está cheio de mambos espectaculares". Tem outro nível, eu sei, e soa mais a estrangeirismo mas gosto também bastante. Aprendi-a com o pai do meu futuro afilhado ou afilhada. ;)

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Frase do dia

«É melhor não se ficar demasiado feliz nem demasiado triste com os altos e baixos da vida»

Anónimo

quarta-feira, janeiro 23, 2008

A memória

«A memória é a nossa escola da vida. É a nossa única verdadeira defesa contra a traição e o abandono. Tudo pode ser traído e abandonado, menos a memória. É mais fiel que qualquer amigo, é mais longa que a própria vida, é mais verdadeira do que qualquer verdade que temos como certa.

(...)

Enquanto me lembrar, estarei vivo, porque esse é o mais certo indício de vida. Eu estarei vivo e, vivendo, não deixarei morrer quem caminhou comigo, ao longo do caminho»

Miguel Sousa Tavares - "Não Te Deixarei Morrer, David Crocket"

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Únicos

Porque gritamos? Porque temos ataques de choro ou de riso? Como é que conseguimos estar contentes e no minuto seguinte demasiado tristes? Porque razão amamos alguém ou não conseguimos viver sem essa pessoa? Porque sofremos e ficamos magoados? Porque precisamos de amigos, de conversar, de nos sentirmos amados? Porque ficamos calados ou distantes? Porquê?

Somos únicos, complexos, finitos, densos, intensos, sensíveis, emotivos, diferentes, mas muito, muito interessantes...

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Pensamento do dia

«Cada pessoa que passa na nossa vida passa sozinha, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra»

Saint-Exupéry

quinta-feira, janeiro 17, 2008

Ideias

Ter boas ideias é meio caminho andado para o sucesso. Uma boa ideia pode despoletar grandes realizações. Valorizo bastante as pessoas que conseguem encontrar grandes ideias e fazer as apostas certas na vida.

Gostava de ser um iluminado por meros instantes e ter "a ideia". Depois era trabalhar para que ela vingasse. Espero que esse dia chegue e ao mesmo tempo vou procurando.

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Ilumina-me

Eu já encontrei a minha luz...



Tu és a minha luz...

terça-feira, janeiro 15, 2008

Eu aprecio

Basicamente aprecio pessoas que gostam de criticar. Que acham que são as melhores pessoas do mundo e que só aquilo que elas fazem é que é bem feito. E que tiram muitas ilações e conclusões quando poucos ou nenhuns conhecimentos têm de determinadas questões.

Aprecio quando abrem a boca para dizerem barbaridades e fazer piadinha fácil com o que os outros fazem. É bonito de ver. E por isso aprecio bastante essas pessoas. Aprecio e desejo que vivam felizes dessa forma.

Basicamente, aprecio uma boa ironia e gosto de ser irónico às vezes...

domingo, janeiro 13, 2008

Ponte

«As Câmaras que fazem ponte todas as semanas

“Ajuda a motivar os trabalhadores”, diz fonte oficial da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Ao que a SÁBADO apurou, pelo menos quatro Câmaras antecipam para sexta-feira os fins-de-semana dos seus funcionários. Em Famalicão só se trabalha até ao meio-dia e em Vila Verde, Trofa e Terras de Bouro as portas da autarquia nem abrem nesse dia.
Na Câmara da Trofa até há uma justificação extra: “Fizemos uma consulta popular e percebemos que os munícipes preferem assim”, explicam à SÁBADO, referindo-se ao facto de, para compensarem as horas de trabalho de sexta-feira, os funcionários ficarem de serviço durante as horas de almoço de segunda a quinta-feira – entram às 9 horas da manhã e saem às 15h45. Esta moda não engana: vai pegar.»

In revista “Sábado” nº 193

sábado, janeiro 12, 2008

Frase do dia

«A paródia não é o destino eterno do homem?»

Milan Kundera

Poli

Ontem de manhã cheguei ao trabalho e preparei o noticiário de desporto para ler na rádio. Depois preparei o da FamaTV e gravei-o para posterior edição.

De tarde, editei as notícias de desporto da televisão e nos entretantos escrevi umas peças para o jornal que sai na quarta-feira. De seguida fiz de cameraman numa entrevista que decorreu nos estúdios da FamaTV e finalizei o dia de trabalho com a preparação da edição da tarde das notícias de desporto para a rádio.

Gosto de ter os dias preenchidos e ontem foi um desses casos. E tudo trabalhos diversificados.

quarta-feira, janeiro 09, 2008

Conversa

Gosto muito de estar na conversa. Na treta ou a dar à língua, como se diz na terminologia mais popular. E essa virtude, ou defeito, já vem comigo desde os tempos de escola. Gostava muito de conversar com o colega do lado durante as aulas. E com os da frente, os de trás, com toda a gente. E por causa disso tive alguns naturais amargos de boca.

Ainda não perdi esse vício e por isso perco-me algumas vezes a conversar. O tema até pode ser um qualquer disparate mas não deixa de ser interessante. Acho que uma boa conversa faz falta, por muito que se corte na casaca de alguém, e para além do mais temos de andar bem informados. E uma conversa também serve para ficarmos a par das últimas novidades.

Quanto aos temas, esses dependem do interlocutor. Mas não sou esquisito e considero-me capaz de conversar sobre quase todos os temas. Agora, há uns que são mais apelativos do que outros. Mas conversa é conversa e gosto sempre de participar.

Frase do dia

«Estou a sentir uma ligeira entumescência...»

Se vocês soubessem como gosto da palavra entumescência. E tem vastas aplicações. Certo Jorge?

segunda-feira, janeiro 07, 2008

...

Lendo algumas das coisas que escrevo, não só aqui no blogue como noutros sítios, cheguei à conclusão que me sirvo muitas vezes das reticências. Porquê?... não sei bem...

Se calhar porque transmite a sensação de que algo fica no ar. É quase que uma pausa para pensar no que vamos escrever a seguir. E depois porque abre um espaço no texto para as pessoas, se quiserem, acrescentarem algo de seu. Darem continuidade...

Vou ver à Wikipédia e a definição é a seguinte: "A utilização deste género de pontuação indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite, por parte de quem exprime esse conteúdo, reticência, omissão de algo que podia ser escrito, mas que não o é". Lá está, vai de encontro ao que eu escrevi acima.

Por muita coisa que qualquer um de nós escreva, fica sempre algo por dizer. Os textos nunca são completos ou totalmente fechados. Daí as reticências. Gosto de deixar algum mistério...

As palavras nunca são suficientes para transmitirem tudo o que queremos....

domingo, janeiro 06, 2008

Quando o Telefone Toca

Agora chegou uma nova febre às madrugadas das televisões portuguesas. Oferecer dinheiro a altas horas da madrugada a quem ligar para o programa e tentar adivinhar nomes de animais, capitais, países, etc, etc, etc...

Ora, na madrugada de sábado quando me preparava para ir para a cama passei pela SIC. Estava precisamente a iniciar o programa "Quando o Telefone Toca" e fiquei por lá a ver no que aquilo ia dar. Entrou a apresentadora, cheia de moral, e o tema de abertura eram nomes de animais começados pela letra "a".

O primeiro telespectador disse andorinha e os restantes foram por aí fora dizendo anaconda, abelha ou por exemplo aranha. Até que liga um telespectador que se sai com o seguinte nome de animal começado pela letra "a": alifante. A apresentadora ainda disse que não tinha percebido bem à primeira, mas o senhor fez o favor de repetir: "alifante".

Desliguei a televisão e fui bem disposto para a cama. Estes programas da madrugada dão cabo de mim.

quinta-feira, janeiro 03, 2008

Frase do dia

«Ela explodiu em cima de mim»

quarta-feira, janeiro 02, 2008

Em 2008

Se 2008 não for melhor do que 2007 pelo menos que seja igual. Já não seria mau.

- Em 2008 espero ser bem sucedido profissionalmente e que surjam novos projectos.

- Em 2008 quero passar mais tempo com os meus verdadeiros amigos.

- Em 2008 pretendo continuar a construir a felicidade a dois e dar um passo importante.

- Em 2008 gostava de ver a minha casa mais preenchida com mobilia.

- Em 2008 quero continuar a ser feliz, esperando que todos tenham mais respeito pelo próximo e que o amor prevaleça sobre todos aqueles sentimentos e atitudes desnecessárias.