quarta-feira, novembro 29, 2006

Pensamentos soltos

Sinto-me mal por não conseguir actualizar este blogue tão frequentemente como pretendo. Por isso deixo aqui algumas notas soltas acerca das minhas experiências quotidianas. E acreditem que têm sido muito ricas.

1- Sobre a questão da Metro do Porto e dos cartões de crédito aos administradores, só há uma coisa a dizer. É por situações como esta que o país não anda para a frente e nunca irá andar. Pior do que isso foi a lata com que Valentim Loureiro enfrentou as câmaras e disse barbaridades sem qualquer espécie de pudor. Muito mau.

2- Parece que vem aí nosso referendo sobre o aborto. Sim ou não é a resposta marcada para o dia 11 de Fevereiro e mais uma vez me parece que ninguém lá aparece para votar. O que quer isto dizer? Talvez falta de interesse dos portugueses. Ou descrença em algumas estruturas. Mas isto sou eu que penso.

3- Hoje fica ainda o registo da minha experiência no programa do Jorge Humberto. Abrir o jornal O Jogo na penúltima página com o microfone aberto. Um sonoro "muito bom" ao "material" apresentado no dito diário desportivo. Que mais podia dizer? Este Humberto é uma caixinha de surpresas e só faço uma recomendação a quem está perto dele: cuidado! Ele é perigoso! Que o diga a Magda...

A terminar fica apenas outra nota muito interessante. Já diz o velho ditado que "há mais marés que marinheiros". Acrescento outra frase: nem sempre que fala mais alto tem a razão do seu lado. O melhor mesmo é saltitar de sorriso em sorriso e curtir a vida...

domingo, novembro 26, 2006

Uma frase

Só para terminar por hoje e ir dormir, fica aqui uma frase interessante de Miguel Esteves Cardoso sobre os homens e as mulheres.

«Não é que sejam vaidosos [os homens] - mas gostam de passar por vaidosos. A culpa talvez seja das mulheres. Quando dizem que um homem é "muito convencido", subentende-se que é bastante giro»

Miguel Esteves Cardoso, no livro A Vida Inteira

Do Baú das Recordações

«Quanto à tua pessoa, tenho a dizer que és um diabinho com asas brancas. Por um lado está essa tua aparente independência do resto dos humanos, classificando-te como indiferente às pessoas, e por outro acho-te o mais apetecível dos humanos, pois és LINDO! Apesar da banalidade da expressão, espero conseguir transmitir-te aquilo que pretendo»

quinta-feira, novembro 23, 2006

Boatos

Os boatos são coisas muito chatas. Principalmente para as pessoas que são visadas pelos mesmos. Um dos mais recentes tem a ver com um escritor que admiro. Miguel Sousa Tavares e o seu Equador foram as vítimas mais recentes de um boato precisamente lançado num blogue. Por isso, tenham todos muito cuidado porque eu tenho um blogue e posso tornar-me boateiro.

Mas falando um pouco mais a sério, os boatos têm a capacidade de deixar sempre sob suspeita a pessoa atingida pelos mesmos. Fica sempre aquela dúvida a pairar no ar por muito que sejam negados. Já para não falar nas piadas fáceis e na má língua da opinião pública.

Puxando pela memória, lembro-me de dois boatos famosos que juntam pessoas da música e do futebol. Um deles é o da cantora das Doce e do futebolista Reinaldo e ainda o do futebolista Calado e do cantor Melão. E admitindo que são ambos mentira, estes dois episódios serão sempre relembrados com um largo sorriso à mistura. E obviamente surgirão as piadas...

Como dizia um dos meus professores, o melhor mesmo é ter a fama e o proveito!

segunda-feira, novembro 20, 2006

Novo blogue

Abriu hoje um novo tasco na net. Chama-se Bolas na Trave e tem a ver com a nova rubrica que estou a levar a cabo na Digital FM. Visitem porque vale a pena!

Basta clicar em Bolas na Trave

domingo, novembro 19, 2006

James

Ainda me lembro quando ouvimos James na primeira vez que nos vimos. Foi sem dúvida um grande começo para uma história que todos os dias cresce mais um pouco. E recordo os primeiros sorrisos, os encontros e desencontros, as músicas que foram passando nas horas daquela tarde. É fascinante viajar nesses momentos principalmente quando olhamos para trás e vemos prédios de sonhos construídos.
Hoje em dia deixo-me embalar nos ritmos coloridos desta banda com o pensamento preso nesses dias. E curioso é que uma das músicas se chama Destiny Calling…mas a que eu gosto mais é a She´s a Star
E só espero que estas músicas continuem a tocar nas nossas vidas porque estar contigo é viver junto ao mar e ver o pôr do sol todos os dias!

sábado, novembro 18, 2006

Não percebo

Há coisas que nunca hei-de perceber. Por muito que me esforce. E ainda consigo ficar surpreendido com as atitudes das pessoas quando pensava que já conhecia tudo. Talvez seja uma questão de imagem. Pelo meio ouço uma explicação sobre verticalidade e ainda me dizem que não sou coerente nas minhas atitudes. Tudo bem. Não percebo.

segunda-feira, novembro 13, 2006

Bola na trave

Iniciei hoje uma nova rubrica na rádio onde trabalho. Chama-se “Bola na trave” e é em directo todas as segundas-feiras a partir das 9h30. É uma espécie de visão descomprometida e diferente acerca do futebol. O outro lado do espectáculo sempre com um sorriso nos lábios. Estamos atentos às histórias engraçadas do futebol. Se quiserem colaborar podem enviar anedotas, textos, histórias nunca contadas, experiências ligadas ao desporto rei, entre muitas outras coisas. O e-mail é o bolasnatrave@gmail.com. Em breve pensamos criar um blogue. Se puderem ouçam…

domingo, novembro 12, 2006

Trabalho versus vida pessoal

Fui ao cinema ver um filme sobre uma revista de moda. Um dos temas tratados é o trabalho e a forma como condiciona a nossa vida pessoal. Fica uma ideia: para se ser muito bem sucedido numa das partes é preciso descurar a outra. Isto é, ou temos sucesso na vida profissional ou na vida pessoal. Esta é uma das mensagens do filme.
Para além disso, aborda a falta de privacidade e de certa forma os perigos da fama. A sensação que tenho é que todas as pessoas famosas são infelizes. E porquê? Porque não têm a possibilidade de fazer coisas banais, como por exemplo passear descontraidamente pelas ruas de uma cidade.
Bem, mas voltando ao trabalho e à vida pessoal, penso que o segredo estará sempre no meio termo. Cada coisa tem a sua hora e o seu espaço. Mas por vezes é difícil conciliar as duas. E depois é tudo uma questão de tomar opções. Há os que optam pelo trabalho e não têm vida pessoal. E há os que optam pela vida pessoal e não são tão bem sucedidos na carreira profissional.
O filme chama-se “O Diabo Veste Prada” e à primeira vista parece igual a tantos outros, mas não é.

domingo, novembro 05, 2006

Faltou a luz!

Sábado à noite. Falta a luz no exacto momento em que preparava o jantar. Na escuridão troco por breves instantes um olhar com a minha companheira de mesa. Uma ideia comum: encomendar comida! Até porque a vontade de jantar fora era nula.
De lanterna em punho procuro o número na lista telefónica e marco-o no telefone. «Boa noite, queria encomendar duas francesinhas.» Resposta do outro lado: «não quer nada porque não há luz!», num tom extremamente agradável (ao contrário). Despeço-me com delicadeza, só para ser superior a tamanha baixeza, e desligo. Depois perco-me de riso perante tal situação desconcertante.
Moral da história: sempre que faltar a luz vão jantar fora.

quarta-feira, novembro 01, 2006

sUBMARINe na Tertúlia

Grande concerto num local que tem qualquer coisa de especial. Confirmei a sensação de que ao vivo os sUBMARINe ganham uma outra dimensão e as músicas soam ainda melhor. Se tiverem a possibilidade de ouvirem esta banda ao vivo não a desperdicem porque vale muito a pena.