domingo, novembro 12, 2006

Trabalho versus vida pessoal

Fui ao cinema ver um filme sobre uma revista de moda. Um dos temas tratados é o trabalho e a forma como condiciona a nossa vida pessoal. Fica uma ideia: para se ser muito bem sucedido numa das partes é preciso descurar a outra. Isto é, ou temos sucesso na vida profissional ou na vida pessoal. Esta é uma das mensagens do filme.
Para além disso, aborda a falta de privacidade e de certa forma os perigos da fama. A sensação que tenho é que todas as pessoas famosas são infelizes. E porquê? Porque não têm a possibilidade de fazer coisas banais, como por exemplo passear descontraidamente pelas ruas de uma cidade.
Bem, mas voltando ao trabalho e à vida pessoal, penso que o segredo estará sempre no meio termo. Cada coisa tem a sua hora e o seu espaço. Mas por vezes é difícil conciliar as duas. E depois é tudo uma questão de tomar opções. Há os que optam pelo trabalho e não têm vida pessoal. E há os que optam pela vida pessoal e não são tão bem sucedidos na carreira profissional.
O filme chama-se “O Diabo Veste Prada” e à primeira vista parece igual a tantos outros, mas não é.

5 comentários:

Pedro Sá disse...

Acho que as duas são conciliáveis e julgo tb que mesmo que sejas muito conhecido consegues ter privacidae... mesmo andando na rua..
Eu acho e quero ehehehe

vieria2000 disse...

O filme só não é igual a tantos outros por causa da Meryl Streep. De resto, nada de novo na história. Ah e do bombardeamento de marcas de alta costura. Aquilo é que é vestir... Mas a mim o que mais me impressionou foi ver as ninas, durante metade do filme, a correr de um lado para outro numa grande metrópole como NY, sempre em salto agulha, e vestidas para um desfile de moda. Ah valentes!!

Eu penso que há casos em que conciliar vidas profissional/privada se torna dramático. Penso em profissiões que exigem viagens constantes à volta do mundo ou uma dedicação de 20 horas diárias. É tudo uma questão de opções, mas quem quer singrar em actividades com este nível de exigência acaba por ver a outra parte sacrificada. É bom ver a coisa de outro prisma: Qual é o parceiro que aguenta uma ausência assim? Não se pode generalizar os casos, pois há profissões bem mais fáceis de compatibilizar com a vida privada que outras. E depois não se pode condenar quem opta pela profissão. Que seja feliz assim!...

Bruno Marques disse...

Sim, depende também da profissão que escolhes. Mas para teres sucesso em qualquer profissão do mundo tens de te dedicar e descurar sempre um pouco a vida pessoal.
Mas também é verdade que há profissões que não exigem tanto de nós. Como sempre o segredo está no meio termo e em conseguir alcançá-lo.

carla disse...

Estou de acordo com a maior parte dos bloguistas, porque penso que a vida pessoal é conciliável com a profissional... claro que se pensarmos em algumas pessoas que têm muito sucesso no trabalho chegamos à conclusão que normalmente a vida pessoal é algo estranha e se calhar triste... mesmo assim se tivesse que optar. Sim agora coloca essa questão e se tivesse que optar? EU SEM SOMBRA DE DÚVIDA QUE OPTARIA PELA PESSOAL... principalmente porque vem o RODRIGO a caminho...
beijinhos

Bruno Marques disse...

Eu também optava sempre pela vida pessoal. Mas sou adepto dos meios termos e por isso atenções repartidas pelas duas vertentes. E tentar sair-me minimamente bem nas duas. Já agora ficam aqui os meus parabéns à futura mamã...:)