segunda-feira, fevereiro 28, 2011

...

Por demasiado complexo que possa parecer. Um olhar basta, um gesto simples, um estalar dos dedos. Existir é quanto baste. Chama-se empatia.

Provocações

Para ler e reflectir.

Provocações em formato ilow cost/i para melhorar as nossas cidades - Local - PUBLICO.PT

Hoje é dia de...

Em Portugal, qualquer pessoa pode tentar a sorte e criar um ‘Dia Nacional’. Basta lançar uma petição e angariar pelo menos mil assinaturas para a proposta ser analisada por uma comissão parlamentar.

Se à Assembleia da República chegar um requerimento com mais de quatro mil assinaturas, o assunto sobe automaticamente a plenário, explicou à Lusa Luís Nunes da Ponte, assessor do presidente da Assembleia da República.

Na actual legislatura o Parlamento recebeu três pedidos para a criação de efemérides: o Dia da Natalidade/Dia da Grávida, Dia da Hemocromatose e o Dia da Epilepsia. Até ao momento, só a ‘Grávida’ poderá vir a ser Dia Nacional, já que as outras duas propostas foram recusadas.

Durante o anterior mandato, as petições que chegaram à casa das leis revelaram mais imaginação, sugerindo a celebração da Fruta, do Cão ou da Vida ao Ar Livre. Das sete propostas recebidas apenas uma entrou para o calendário: o de Luta Contra a Paramiloidose.

A lista de "dias" é infindável e entre nacionais, europeus, internacionais, mundiais ou universais há de tudo. A Lusa contabilizou 354 efemérides no ano. Existem dias que parecem pequenos para tantos eventos. A 21 de Março, por exemplo, celebra-se a Poesia, a Eliminação da Discriminação Racial, a Floresta, o Sono, a Marioneta, a Síndrome de Down e a Árvore.

Para os amigos do ambiente, 2 de Fevereiro é Dia do Vigilante da Natureza, mas também das Zonas Húmidas, 14 de Março é Dia Internacional de Luta contra as Barragens e 24 de Abril celebra-se mundialmente o Animal de Laboratório.

Para gostos mais eclécticos, pode-se comemorar o Trânsito e a Cortesia ao Volante (5 de Maio), o OVNI (24 de Junho) ou mesmo o orgasmo (31 de Julho).

In Correio da Manhã

sábado, fevereiro 26, 2011

Música

Haverá algo melhor para nos expressarmos do que a música?

sexta-feira, fevereiro 25, 2011

(A)manhã

A primeira música desta manhã. Em boa companhia. Para começar bem o final da semana.

quinta-feira, fevereiro 24, 2011

Adeus ou até já?

Na vida tudo pode ser um adeus como um até já. Existem histórias que começam e acabam e outras que ficam a meio. Podem ser ou não retomadas depois, nesta ou noutra vida. E cometemos o erro de estarmos a dizer adeus quando afinal seria só um até já.

Jamais conseguiremos antecipar aquilo que a vida nos reserva e se calhar é aí que o mistério e o interesse se inscrevem. Vivemos os dias devagar, uns atrás dos outros, saboreando cada momento e na esperança de que só nos estejam reservadas coisas boas. Mas cada história tem a sua forma de acabar. Mais ou menos controlada por nós. Quero crer que é quase sempre de forma totalmente descontrolada, mas aí reside a emoção, o sentimento, se preferirem.

Tudo são histórias. Que se cruzam ou não em determinado ponto do caminho. Cada um tem a sua multiplicidade de histórias. Para viver e para contar. Gosto mais do simples e vago "até já". "Adeus" é demasiado definitivo para o meu gosto.

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

Experiências

Com as pontinhas dos dedos. Bem ao de leve. Tentem percorrer todos os contornos dos lábios, nariz, olhos, queixo, pescoço...até onde a imaginação vos possa levar. Experimentem...

segunda-feira, fevereiro 21, 2011

...

Como se a porta se fechasse de cada vez que viro costas. Como se a casa ganhasse vida, dia após dia. Como se a delicadeza de um olhar fosse capaz de virar tudo a meu favor. Pelo sim, pelo não, deixo que me levem pela mão, com a tranquilidade que não é minha, mas tua.

domingo, fevereiro 20, 2011

Música

Sweet...

Words

Trocaria todas as palavras por um simples beijo. Um aperto no peito ou apenas um curto e distante olhar. Talvez perfeito esse teu subtil toque na minha face. Mas tudo o que tenho para te dar são palavras.

Nada acontece por acaso...

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de inicia-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.
Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade.

Pablo Neruda

sábado, fevereiro 19, 2011

True

«A felicidade só é real quando é partilhada»

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

À procura

Afinal de contas andamos todos à procura do mesmo. Dinheiro, amor, amizade, realização profissional, paz de espírito, sucesso, reconhecimento. Não anda muito longe disto. Talvez por isso existam demasiados choques entre os seres humanos. Demasiados atritos, discussões, desentendimentos, sem que na maior parte das vezes exista um perfeito entendimento da situação. E dessa forma surgem ainda mais conflitos pouco esclarecedores.

A única diferença poderá estar na quantidade ou qualidade de cada um dos itens que determinam a nossa existência. Para alguns, todo o amor do mundo é pouco. Outros acham que o dinheiro nunca é demasiado. O mesmo se coloca para todas as outras questões, resumindo-se ao uns contentam-se com tão pouco e outros nunca estão contentes com o que têm.

A insatisfação é realmente onde se escreve toda a nossa existência. Estamos sempre à procura de mais e mais. Esteja onde estiver. Vamos à procura.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Praga

Na memória...

Simples

Acho que é uma repetição aqui no blogue, mas é uma música que faz parte do leque das minhas preferidas. As coisas simples acabam por ser as mais significativas. Normalmente brotam de forma natural, do íntimo, são genuínas. Por isso, como que nos apanham desprevenidos. Embora seja aquilo que esperamos sempre.

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

Insólito

Uma fotogaleria no site da revista Sábado mostra alguns dos recordes do Guiness mais insólitos no que ao corpo diz respeito. Há de tudo, desde a maior cabeça até ao maior pêlo de sobrancelha do mundo. Ou por exemplo, a maior língua. Com medo de assustar os leitores mais susceptíveis, escolhi o homem com as maiores mãos do mundo. Ao todo, 31 centímetros de comprimento. O senhor chama-se Leonid Ivanovych Stadnyk.

Se pretenderem ver toda a fotogaleria, aqui fica.

Relax

Depois de um longo dia de trabalho gosto de descontrair um pouco com os phones nos ouvidos. Não passo sem música no meu dia-a-dia. É algo impossível.

segunda-feira, fevereiro 14, 2011

Tempo II

Terei sempre tempo para ti.
Por muito que a areia se escape por entre os dedos
E o mar afogue todas as memórias passadas.
Deixarei, como sempre deixo, a marca do meu corpo junto ao teu.
Resistirei às amarguras dos dias,
Sem qualquer outra grande pretensão
Que a de guardar todas as palavras gastas.
Tens todos os breves instantes nas tuas mãos.
Procura-me, encontra-me, perde-te...

Música

Porque hoje é o dia perfeito para falar no tema.

domingo, fevereiro 13, 2011

Anúncio

Hoje fiquei a conhecer a Pink Lady pela televisão. E não consigo deixar de sorrir sempre que vejo esta publicidade.

...

«Shakespeare disse que a vida é cheia de som e fúria e que, no fim, não significa nada.»

You will meet a tall dark stranger

sábado, fevereiro 12, 2011

Falta de chá e muito sono

Ontem dei de beber ao meu telemóvel. Chá verde. Mas pouquinho para não causar grandes problemas. Acho que não gostou muito porque o líquido ficou em cima do visor e tive de limpar tudo. Aparentemente está tudo bem com o telemóvel. O melhor é mesmo não experimentar mais aventuras do género. Embora ache que iria gostar de um fino traçado bem fresquinho.

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

Cartoon

La piú bella Italia...


Música

Está no título desta música e é bem verdade. There is a light that never goes out.

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Filme

Se puderem vejam este filme: 500 Days of Summer. Bom filme e grande banda sonora. Fica a sugestão com imagens.

O actor que mais morreu

Ora aí está uma notícia mais ou menos interessante. Foram divulgados alguns números sobre cinema e concluiu-se que o actor que mais vezes morreu em filmes foi Robert De Niro. No total, o actor morreu 14 vezes, concretamente nos filmes: Bloody Mama, Bang the Drum Slowly, Mean Streets, Brazil, The Mission, Cape Fear, This Boy's Life, Mary Shelley's Frankenstein, Heat, The Fan, Jackie Brown, Great Expectations, 15 Minutes e Hide & Seek.

Outra curiosidade é que enquanto De Niro foi morto por Al Pacino no filme Heat, Pacino foi morto por De Niro em Righteous Kill. Al Pacino que tem "apenas" 9 mortes cinematográficas. Nesta lista mortal, Bruce Willis ocupa o segundo lugar, com 11 mortes. Depp tem o recorde de morte mais sangrenta pelo filme Nightmare on Elm Street.

Sorrir

Afinal sorrir pode não ser tão bom assim. No entanto, corro o risco e sorrio para as pessoas que se cruzam comigo. Aconteça o que acontecer...

quarta-feira, fevereiro 09, 2011

A crise e os bolos

Que o país está em crise e que existem pessoas em dificuldades até entendo. Agora, interromperem a minha caminhada para casa para me pedirem uns trocaditos para comer um bolo, isso já não compreendo.

Nunca devemos negar comida às pessoas ou muito menos ignorar as suas necessidades mais básicas. Até era capaz de pagar um lanche completo, dois ou três pães, uma sandes de queijo ou fiambre. Mas, um bolo?! É uma novidade para mim. A crise parece estar a aguçar os pedidos de quem precisa.

O sorriso

Um dos melhores elogios que se pode fazer é dizer: "tu fazes-me sorrir". Invariavelmente, a resposta é outro sorriso. E implicitamente surge o elogio. Certo? :)

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

O Face

Definitivamente o Facebook é uma arma poderosa em termos de comunicação. E os seus utilizadores são cada vez mais olhados como consumidores, num filão explorado pelos publicitários. Na verdade, os conteúdos partilhados são importantes mensagens de marketing e publicidade.

Não havendo ainda legislação no que se refere a dados livremente publicados pelos utilizadores nas redes sociais (em especial no Facebook, que conta com 500 milhões), é frequente os utilizadores não se aperceberem de que cada vez que clicam "gosto disto" ou descarregam aplicações os seus dados ficam registados num sistema de classificação automática de perfis de consumidores. Basicamente, todos os dados inseridos nas redes sociais são aproveitados para outros fins.

É preciso ter bem a noção da importância de qualquer informação colocada no Facebook. Já para não falar que os olhos do mundo estão centrados em tudo o que se passa nas redes sociais. Por exemplo, ainda na passada semana um suposto desabafo escrito por um jogador de futebol serviu para algumas notícias e tema de conversa em muitos locais. Já para não mencionar os casos de informações "oficiais" que surgem em primeira mão nas ditas redes sociais.

domingo, fevereiro 06, 2011

Tributo

Aqui fica o tributo a Gary Moore, músico irlandês hoje falecido.

Alternativo

Já tinha mais ou menos a noção de que é preciso ponderar bem todas as situações e ter sempre um sistema alternativo ao que pensamos utilizar. Mas hoje fiquei também a saber que para além do alternativo é preciso ainda o alternativo do alternativo.

E quando nada parece funcionar como pretendemos é porque simplesmente aquele não é o nosso dia nem a nossa hora da sorte.

sábado, fevereiro 05, 2011

Numa conversa...

«...as coisas boas são boas porque são feitas por pessoas...»

Música

Música clássica! Mas porquê? Porque não?!

sexta-feira, fevereiro 04, 2011

All the way up

O pessimismo é do pior que pode existir. Raramente é bom prenúncio, para além de impossibilitar uma total aplicação das capacidades. Ficamos apenas naquele cantinho restrito com medo do que vem a seguir. Geralmente sou optimista. Acredito sempre que vai correr bem, por riscos que existam em qualquer passo dado. Mesmo que algumas ondas negativas nos façam balançar. O caminho é em frente, com trabalho árduo e dedicação. Como sempre foi até aqui.

quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Clássico

Sobre o jogo de ontem. A razão é só uma. O FC Porto realizou a pior exibição da época e o Benfica jogou muito seguro e certinho. Nada mais há a dizer.

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Governo

«O governo é um brinquedo muito perigoso. É usado para travar guerras, impor ideologias e enriquecer os governantes»

«A ideia perigosa que todos precisamos de aprender é que quanto mais limitarmos o crescimento do governo, melhor estaremos»

Matt Ridley

Dicionário do diabo

planear

v.t.
Pensar no melhor método para atingir um resultado acidental.

Mudar

Mudar não é fácil. Obriga a deixar tanta coisa para trás. Mas vivemos na esperança de fazer as escolhas certas, mesmo correndo riscos. O destino final é sair a ganhar. Percorrendo o escuro, com medo, acreditando que algures no caminho a luz nos acompanhará e mostrará uma saída feliz. Na verdade, vamos constantemente à procura da nossa felicidade. Ainda que isso implique sentirmo-nos miseráveis por vermos as pessoas de quem gostamos a sofrer. Mais do que o nosso próprio sofrimento. Tudo será por uma boa causa. Eu acredito!

O amor

«O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.»

Miguel Esteves Cardoso