domingo, dezembro 30, 2012

Crise

A palavra crise está presente constantemente nas conversas, nas notícias, nos slogans de publicidade, em tudo quanto é sítio. E honestamente já chateia. Por isso, eu vou deixar de utilizar. E na derradeira ocasião para a utilizar (pelo menos este ano) quero escrever o seguinte:

Crise é centros comerciais a abarrotar de gente.

Crise é lojas com prateleiras de roupa vazias.

Crise é filas nas lojas para pagamento das compras realizadas.

Crise é restaurantes cheios de gente e espera para comer.

Crise é crescimento nos bens de consumo considerados de luxo.

Crise é aumento nas vendas de automóveis de luxo.

Crise é o destino mais escolhido para a passagem de ano ser o Dubai.

Crise é os hotéis do Porto lotados para a passagem do ano.

Crise é ainda algo apenas para alguns e sempre para os mesmos.

E pronto, prometo tão cedo não colocar a palavra crise no meu leque de palavras utilizadas para escrever.

quinta-feira, dezembro 20, 2012

Fim do mundo

Para que horas está marcado o fim do mundo?

segunda-feira, dezembro 10, 2012

sexta-feira, dezembro 07, 2012

Apresentação

Dia 15 de Dezembro, sábado, pelas 18 horas, no Café Concerto da Casa das Artes de V. N. Famalicão. Apresentação do livro "Adeus e Até Já". Estão todos convidados!

Back

O regresso é mais ou menos isto. Ir e voltar. E parece que passou uma eternidade e que entretanto está tudo de pernas para o ar.

sexta-feira, novembro 30, 2012

Fechar os olhos

Dos olhos, para os olhos, nos teus olhos.

quinta-feira, novembro 29, 2012

Estou cansado

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.

Álvaro de Campos

Ordenar

Um dia escrevo sobre mágoas. Talvez até um livro repleto de mágoas. Não só as minhas, mas também as das outras pessoas todas. Porque todos temos mágoas. As nossas, as dos outros, as dos que nos são próximos e vivemos como se fossem nossas e as dos desconhecidos que por ouvirmos ou vermos nos consomem à mesma.

Se calhar não escrevo. Guardo-as até ao dia em que tiver uma sala, várias estantes e todas as mágoas ordenadas por nome, tamanho e origem. Mágoas por "d" de "dor" ou por "s" de "saudade". E deixo-as estar organizadas para quando precisar de me recordar delas, saber bem onde estão. Não porque me esqueça, mas antes por me sentir sempre perdido no meio destas e de outras mágoas.

Um anjinho

Durante o dia de hoje cheguei à conclusão que sou a pessoa mais fácil de aturar. E ao mesmo tempo a pessoa mais fácil de lidar e a mais fácil de contentar. Então reparem: se me fizeram todas as vontades, não atormentarem o meu sistema nervoso e os meus desejos foram ordens prontamente seguidas, não causo qualquer espécie de problema. É muito fácil de me terem calmo e tranquilo, não perturbando o funcionamento normal da rotina diária. Minha e dos outros.

terça-feira, novembro 27, 2012

Ouvir antes de deitar

Esta é uma daquelas músicas que nos deixam esmagados. Como muitas desta banda em particular. Fica para ouvir.


domingo, novembro 25, 2012

Perturbar

De tudo o que não me perturba existe uma pequena parte que acabará por me perturbar. Somente pela perturbação que contém.

sábado, novembro 24, 2012

Oh me

...


quinta-feira, novembro 22, 2012

Planear

O melhor plano é não fazer planos.

terça-feira, novembro 20, 2012

As bolinhas

«As bolinhas devem estar amestradas»

Dito assim tem várias interpretações. Mas contextualizando, chega-se à conclusão que Vítor Pereira, treinador do FC Porto, diz coisas engraçadas. O treinador portista referia-se às bolas do sorteio da Taça de Portugal que ditou um SC Braga - FC Porto, segundo o próprio um jogo grande e o tipo de partida que a sua equipa mais gosta de jogar.

E fui ao dicionário copiar o significado para aqui:

amestrado adj.
Ensinado, doutrinado, instruído, adestrado. (Diz-se não só das pessoas, mas também dos animais como ensino especial.)

amestrar v. tr.
1. Tornar mestre. 2. Ensinar proficuamente, industriar.

Conclusão: se as "bolinhas" que ele estava a falar são as do sorteio, então devem ter virado bichos.

Pois

...


quote

«Não crie expectativas. Crie gado, pois pelo menos dá dinheiro!»

segunda-feira, novembro 19, 2012

Porco chinês

Mais uma prova de que na Ásia proliferam os casos insólitos.



domingo, novembro 18, 2012

O Pai Natal já chegou!

Hoje é o dia 18 de Novembro e ontem o Pai Natal chegou a Portugal. E digo Portugal porque ontem assisti à chegada do dito cujo à capital do país, ou seja, Lisboa. Mais concretamente aos Armazéns do Chiado. Com direito a uma pequena gala com canções de Natal, cantadas por um grupo de jovens da Maia, e muita neve que caiu sobre a multidão que assistiu ao acontecimento.

Eu gosto do Natal e da figura do Pai Natal mas chegar a meio do mês de Novembro parece-me um exagero. É cedo demais tendo até em conta que esta época será particularmente complicada para muitas pessoas que terão pouco dinheiro para gastar em presentes de Natal. Logo, ver tantas imagens alusivas ao Natal e durante tanto tempo será como um prolongamento do sofrimento de ver e não poder gastar dinheiro.

Mas claro que o evento e a promoção feita pelos Armazéns do Chiado foi digno de registo. Especialmente pela neve que caiu durante a interpretação do All I Want For Christmas celebrizado pela voz de Mariah Carey.

sábado, novembro 17, 2012

Acordar

O acordar é lento. Todos os dias o despertar de um novo dia que começa devagar. Vê-se o sol entre nuvens, para já sem sinal de chuva. A luz que entra pela janela indica que há mais um dia. Para acordar pé ante pé.

sexta-feira, novembro 16, 2012

Perguntas possíveis

Hoje logo pela manhã vi uma notícia sobre um senhor asiático (penso que chinês) a correr feito maluco mas de quatro. Estilo macaco. A notícia era que tinha entrado para o Guinness por ter batido o recorde de corrida de quatro. E estas foram as questões que desde logo assaltaram a minha mente. Portanto, as perguntas possíveis de serem feitas perante tal situação:

Será que já acordei?

Ui, isto é estúpido, não é?

Por que é que estas coisas só acontecem para aqueles lados?

Os chineses não fecham bem a porta, pois não?

Será que os macacos também podem entrar nesta competição?

Espera lá, ele está mesmo a correr de quatro?

É possível correr naquela posição? Então não é só uma posição para outro tipo de actividades?

Ah...espera lá...isto é o noticiário da manhã?

É na TVI, certo?

Vai bater o recorde de quem? Do Usain Bolt?

Espera lá...ele não está de quatro?

Isto não é normal, pois não?

É verdade. Ele estava mesmo a correr de quatro e parecia muito feliz por isso. Eu não acho isto nada normal.

Verdade?

Onde cabe um, cabe um milhão.

Percebe

Que sou assim mesmo nos dias bons.
Que aguento sem o teu conforto.
Que passo e não olho para trás.
Que não sou aquilo que esperas.

As horas que são menos boas.
As palavras que me dão desconforto.
As horas que correm para a frente.
As voltas interiores em que desesperas.

Sem esperares respostas concretas.
Sem perceberes muitas vezes onde ando.
Sem deixares que esteja ausente.
Sem prometeres que amanhã será um dia melhor.

Abrir o jogo

Regra geral não gosto de abrir o jogo. Não pretendo criar falsas expectativas nas pessoas ou de alguma forma defraudar alguém. Gosto de abordar os assuntos quando estão concretizados. Com todas as certezas e não falar em algo que pretendo atingir mas que ainda não é palpável. Não faz grande sentido dar como certo o que não o é.
Por isso, guardo o jogo o máximo que consigo sem dar muito nas vistas, escondendo muitas vezes o brilho no olhar ou a desilusão impossível de disfarçar. É claro que os que estão mais perto de nós têm obrigatoriamente de ter algumas noções. De acompanhar o processo, mesmo não tendo de conhecer os assuntos em profundidade.
É bom guardar a distância de segurança para evitar desilusões. Muitos pensarão que as desilusões, as nossas e as dos outros, fazem parte e que terão o seu quê de didáctico. Eu acho que quantas menos, melhor. Daí querer sempre resguardar-me de qualquer eventualidade. Difícil segurar-me em muitas ocasiões, mas um "mal" necessário para melhor lidar com todas as situações.

Música

...




quinta-feira, novembro 15, 2012

Eu no jornal


Hoje no OP

O som nos meus ouvidos A rádio nunca foi um desejo claro, apesar do curso de Comunicação Social e da vontade de fazer jornalismo. Foi daquelas coisas nas quais entramos a medo, temendo o pior e não criando expectativas que possam ser demasiado elevadas. Dizem que a rádio deixa um "bichinho" e acho agora que foi esse "bichinho" que me foi devorando e consumindo, transformando esta passagem radiofónica numa espécie de paixão sem explicação. Foi também graças às pessoas que encontrei, ao apoio que me deram, que comecei a comentar jogos de futsal, depois de futebol e por fim os relatos todos os fins-de-semana. Que comecei a fazer directos no exterior, que iniciei a leitura dos noticiários em directo, que passei pelas reportagens, entrevistas, rubricas. E fui crescendo com aquele som nos meus ouvidos.
Entre muitas histórias para contar, partilho uma que marcou o resto da jornada. Separou o receio inicial do arranque para algo mais prometedor. Jogo de futsal no Pavilhão Municipal de Famalicão entre FAC e Piedense para a Taça de Portugal. Como habitualmente acompanhava o futsal do FAC, por essa altura no principal escalão da modalidade, foi destacado juntamente com o Aristides Ferreira para a cobertura do jogo. Eu faria os comentários e análise do jogo e o Aristides o relato. Essa tarde desportiva de sábado incluía ainda o habitual hóquei em patins, também com relato de um jogo do Riba d'Ave Hóquei Clube a seguir ao futsal e feito pelo mesmo Aristides. Tudo corria dentro do previsto até que o empate na partida não atava nem desatava e foi necessário jogar-se o prolongamento. Com o tempo a passar e o meu colega de trabalho a ter ainda de se deslocar para Riba d'Ave, a sugestão veio de estúdio com o Arcindo Guimarães a dizer que eu ficaria a assegurar o resto do relato do jogo enquanto o Aristides sairia para rumar ao hóquei em patins. Incrédulo e a pensar "como é que eu saio desta?!", lá peguei no microfone enquanto o Aristides arrumava as suas coisas. A emissão estava em estúdio para compromissos publicitários e regressou pouco depois em directo ao pavilhão. Praticamente sem pensar no que vinha a seguir, imaginei os relatos que costumava ouvir e lá segui em frente.
Correu bem e foi o passo definitivo para acreditar que era capaz. Mais ou menos desta forma a rádio foi exercendo o seu fascínio. Algo como as palavras que dizemos ao microfone à nossa frente e que não temos a noção da quantidade de pessoas que nos estão a ouvir. É a sensação do quarto fechado em que falamos sozinhos e os auscultadores nos ouvidos em que ouvimos perfeitamente o que dizemos ou as indicações do colega em estúdio. Uma espécie de voz da consciência que sabe bem ouvir. É o som que se ouve, nos marca e jamais se esquece. Porque por muitos anos que passem, continuarei com o som da rádio nos meus ouvidos. Por fim, quero deixar os votos de muitas felicidades a todos os que contribuem para a emissão diária da Rádio Digital FM e esperar que estes 23 anos de existência sejam apenas o começo de uma jornada, a cada dia que passa, ainda mais grandiosa.

terça-feira, novembro 13, 2012

Frase do dia

"Uma cela muito bera"

segunda-feira, novembro 12, 2012

Positivo

Esta manhã acordei com esta música na cabeça. Não perguntem porquê.


A senhora Merkel

Não, não vou seguir a maioria dos portugueses e insultar aqui no meu blogue a senhora Merkel. Vou apenas referir (e agradecer) o grande serviço prestado nos três noticiários da hora de almoço. Enquanto almoçava, vi a senhora Merkel a sair do Palácio de Belém, a entrar no carro, o carro a passar, a senhora a sair do carro na chegada ao Forte de S. Julião, a ser recebia pelo Primeiro Ministro Passos Coelho e (imagine-se) os dois bem juntinhos, lado a lado, a olharem o mar. E pronto, como podem ver estou neste momento a digerir a quantidade de informação útil que me foi servida durante o almoço pelos noticiários dos canais generalistas portugueses.

quinta-feira, novembro 08, 2012

Ctrl+Alt+Del


quarta-feira, novembro 07, 2012

If only

...


Pensar

É o que eu tento fazer sempre...


terça-feira, novembro 06, 2012

Cogumelos

Só uma pequena nota sobre os cogumelos. As notícias sobre cogumelos não têm sido as melhores, nomeadamente porque o veneno de algumas espécies de cogumelos matam inúmeras pessoas todos os anos. E normalmente pessoas que passam algumas dificuldades e que vêem na apanha de cogumelos uma forma de conseguirem ter alguma comida na mesa.

Ora, qual não foi o meu espanto quando uma notícia na televisão dava conta do surgimento de uma aplicação para o iPhone, capaz de ajudar as pessoas a distinguir as várias espécies de cogumelos e a saber quais os comestíveis ou não.

Agora a pergunta que eu faço: será que a maioria das pessoas que vai aos montes apanhar cogumelos tem iPhone?

quinta-feira, novembro 01, 2012

Let me


...

Neste preciso momento deu-me aquela vontade de escrever. Mas não sei bem sobre o quê. A vontade talvez tenha chegado de um texto que acabei agora de ler sobre o livro "Morreste-me", de José Luís Peixoto. Um texto bem escrito sobre um livro difícil.

E tudo isto me leva a pensar que não é fácil escrever. Mesmo tendo vontade nunca se vai a lado algum se não existirem inspiração e assunto. E estes dois "ingredientes" resumem-se naquilo que nos rodeia. Na nossa vida e nas pessoas que nos acompanham. Sem o sumo é impossível beber um belo refresco.

quote

"Uma única coisa é necessária: a solidão. A grande solidão interior. Ir dentro de si e não encontrar ninguém durante horas, é a isso que é preciso chegar. Estar só, como a criança está só."

Rainer Maria Rilke

segunda-feira, outubro 29, 2012

Piropo II

«O teu pai deve ser terrorista. És cá uma bomba!»

Mundo

O Mundo é composto por pequeninos mundos dentro da vida de cada um. E cada vida tem uma pessoa lá dentro no meio de uma pluralidade infinita de realizações. Neste Universo infindável.


Piropo

Do alto de um andaime...

«Não sei com quantos paus se faz uma canoa, mas o teu pai só com um fez um avião.»

sexta-feira, outubro 26, 2012

New Day

Há o dia velho e o dia novo. Hoje é um novo dia.


quinta-feira, outubro 25, 2012

Para mexer

Para agitar e afastar a rinite...

Apontem: rinite!

Alguém sabe a diferença entre constipação e crise de rinite alérgica? Pronto, eu tenho nariz entupido, pingo constante e voz nasalada. Mas não estou constipado. Por isso, por favor parem de dizer para eu ir tratar esta constipação. Porque eu estou é numa crise de rinite alérgica.

P.S.: Não tomem Desloratadina Generis 5 mg! Acho que só ajuda a piorar. Ou então está é a fazer libertar tudo de uma vez.

quarta-feira, outubro 24, 2012

Cansaço

"Porque é que é sempre nos momentos em que estamos mais cansados ou mais felizes que sentimos mais a falta das pessoas que amamos? O cansaço faz-nos precisar delas. Quando estamos assim, mais ninguém consegue tomar conta de nós. O cansaço é uma coisa que só o amor compreende. A minha mãe. O meu amor. E a felicidade. A felicidade faz-nos sentir pena e culpa de não a podermos participar. É por estarmos de uma forma ou de outra sozinhos que a saudade é maior."

Miguel Esteves Cardoso


terça-feira, outubro 23, 2012

Arbitragem e futebol

«É errado dizer que o Benfica não ganha por causa da arbitragem. Isso é uma forma de desresponsabilizar a equipa. Se essa estratégia fosse correta, o Sporting teria ganho nove campeonatos nos últimos 10 anos. É preciso romper com o paradigma do dirigente desportivo que insulta e provoca. Rui Rangel pode ser uma lufada de ar fresco.»

Esta declaração pertence a Fernando Tavares, candidato a vice-presidente do Benfica na lista de Rui Rangel. E realmente sempre que o Benfica não ganha a culpa é do árbitro. E se esse discurso tem de se alterar no Benfica, eu acrescentaria que terá de se alterar em todo o futebol português porque é sempre a mesma coisa. Temos jogadores, treinadores e dirigentes perfeitos e infalíveis. E os árbitros são uns incompetentes já que nunca podem falhar e falham.

segunda-feira, outubro 22, 2012

Upss...

Apontar num papelinho ou num caderninho é uma acção óptima para evitar qualquer tipo de esquecimentos. O pior é quando nos esquecemos que apontámos algo de que não nos podíamos esquecer.

Completas

A meu favor tenho o teu olhar
testemunhando por mim
perante juízes terríveis:
 a morte, os amigos, os inimigos.

E aqueles que me assaltam
à noite na solidão do quarto
refugiam-se em fundos sítios dentro de mim
quando de manhã o teu olhar ilumina o quarto.

Protege-me com ele, com o teu olhar,
dos demónios da noite e das aflições do dia,
fala em voz alta, não deixes que adormeça,
afasta de mim o pecado da infelicidade.  

Manuel António Pina

sábado, outubro 20, 2012

Love it

...

TB & M

«Há sempre um sítio pra fugir, se queres saber um sítio onde podes descansar.
Há sempre alguém pra te agarrar, pra te esconder.
Se vais cair eu vou-te ver antes da dança, antes da fuga, eu sei-te ver.
Antes do tempo te mudar eu vou saber, antes da névoa te vestir e te levar,
Há um sítio onde o escuro não chegou para onde podes ir, um rio para libertar.»

Starting line

...

sexta-feira, outubro 19, 2012

Manuel António Pina


Acabei de ler agora que morreu o escritor Manuel António Pina. Gostava de ler aquilo que este senhor escrevia, inclusive nas suas crónicas no Jornal de Notícias, escritas até há bem pouco tempo.

E é curioso que tive a oportunidade de o conhecer. Foi em Joane, numa homenagem que lhe foi feita pela Associação Teatro Construção, tendo-lhe feito algumas perguntas para uma reportagem para a Famatv. E desde esse dia que simpatizei ainda mais com Manuel António Pina por ter sido na altura tão simpático e acessível. E será esta a imagem que certamente ficará.

«As palavras não servem só para dizermos coisas, para descrevermos coisas e os nossos sentimentos... As palavras criam mundos...  O meu trabalho é com palavras... Tive essa sorte. Trabalhar com uma coisa de que gostava e é natural que eu goste de fazer jogos de palavras... A fazer jogos de palavras encontram-se coisas fantásticas, há palavras que são amigas umas das outras, que se dão bem umas com as outras e gostam de estar juntas, há palavras que se detestam, outras que funcionam mal, que estão sempre a acotovelar-se... E isso é um Mundo fantástico, um mundo maravilhoso e ao mesmo tempo misterioso... Às vezes - e tenho quase a certeza de que já vos aconteceu -, as nossas palavras dizem coisas que nós não queremos dizer, como se começassem a falar sozinhas... Falam pelos seus próprios meios e isso é também uma aventura permanente. Não podemos dominá-las muito, ficam tristes... Como vocês, se começarem a controlar muito a vossa vida diária, ficam tristes, deprimidas... Com as palavras é igual, é preciso dar-lhes liberdade, mas também não se pode deixá-las a falar sozinhas ou começam a dizer o que não queremos, em vez de falarmos nós.»

Manuel António Pina

quarta-feira, outubro 17, 2012

Grey

Para tentar perceber as razões de tanto alarido (e porque me ofereceram o livro), comecei a ler o afamado livro de E. L. James, "As Cinquenta Sombras de Grey". Depois de oito capítulos, finalmente tiveram início as descrições de que todas as pessoas falam. E sinceramente o que o senhor Grey começou por fazer não me pareceu nada de extraordinário.

Depois, só percebo o sucesso deste livro porque as mulheres existem em número superior aos homens neste planeta a que chamamos Terra. Porque efectivamente se trata de um livro destinado ao sexo feminino e escrito por alguém que resolveu contar os seus sonhos e os seus ideais de perfeição.

Até porque o senhor Grey, com um corpo de deus grego e olhos cinzentos, nunca poderia existir na realidade. É produto da cabeça da senhora escritora. E cá para nós, ninguém tira a virgindade a alguém e depois a meio da noite vai tocar piano em tronco nu, deixando a espectacular donzela na cama exausta a dormir. E mais não digo.

segunda-feira, outubro 15, 2012

Sol

Do alto do topo da montanha, a luz que escolhe e ilumina o caminho. O calor que nos alenta, o brilho que envolve e liberta a cada passo. Escondido até ao nascer do dia, sobe e aquece até junto ao mar descer e desaparecer. Como a marca visível de todos os dias, o sol tatuado no meu braço.

Para sempre

...


domingo, outubro 14, 2012

This Time

Aqui, agora, neste momento. Música.

Na tua pele

A pele que toquei já os demais tocaram,
Ao de leve ou apertando bruscamente.
Sentindo só porque o desejaram
Na viagem sem rumo, levemente.
Os gemidos, pouco a pouco, conquistaram
Fraquejando nos minutos lentamente
Morrendo no caminho, os dedos viajaram
E ao toque dos desejos sucumbiram
Na tua pele, friamente.

Revisão

Última revisão feita e por isso já existe a versão final. Acredito que ainda possam surgir algumas mudanças até ao formato definitivo. Mas agora só resta esperar para ver no que resulta.

Última revisão feita ao som de uma boa selecção musical. ;)

De mais e de menos

Em Portugal há gente de mais a comentar tudo o que de menos se faz neste país.

Lugar

Um lugar, aquele lugar, qualquer lugar. O lugar de uma boa música.

sábado, outubro 13, 2012

A morte das estrelas

A morte das estrelas - JN


Gostei da fotografia.

sexta-feira, outubro 12, 2012

Lucky

...


quinta-feira, outubro 11, 2012

...

"O fogo onde ardo não queima,
Nada vejo mais que nada;
Todo o sonho é vazio...
E não importa sequer
Se é quente ou se é frio.
Quando esqueço o canto negro
Que faz cego o coração,
Todo mundo fica inerte
E é nada o que se verte
Da ferida aberta da paixão."

quarta-feira, outubro 10, 2012

...

Só existe uma palavra. Embora se possam escrever muitos textos.
Só há uma verdade. Embora a contemos de diferentes maneiras.
Só há uma vida e uma morte, mas muitas vidas e diversas formas de morrer.
E "só" é somente uma pequena limitação para tudo o que podemos criar e experimentar.

Espião

"Espião" dos adversários do F. C. Porto é "doente" pelos "dragões" - JN 

Confesso que sinto um bocado de inveja da emprego deste senhor. :)

segunda-feira, outubro 08, 2012

Parque da Cidade

Desde a inauguração e a primeira visita ao Parque da Cidade (ou da Devesa) que sou um cidadão famalicense mais feliz. Vale o que vale até porque a minha opinião não passa disso mesmo e muito pouca diferença poderá fazer. Mas não será por isso que deixarei de escrever que a beleza e a grandiosidade de uma cidade está não só na imponência das obras, no número de habitantes ou até no número de visitantes que consegue atrair, mas sobretudo na qualidade de vida que proporciona a todos os que nela habitam. E isso indubitavelmente não tem preço.

O Parque da Cidade dará mais saúde aos famalicenses, transformará o seu quotidiano, tornando-o mais agradável e proporcionando uma alternativa para uma qualquer actividade de lazer ainda para mais em contacto com a natureza. E se cá estamos todos para em força apontar o dedo aos governantes e políticos deste país, nestes momentos devemos também enaltecer a coragem de quem acreditou neste projecto e tudo fez para que o mesmo se concretizasse. E é cada vez menos comum a aposta no verde, nos espaços em que se promove a natureza em detrimento do cimento, dos prédios, do crescimento desmesurado e desgovernado das cidades e das regiões. E na minha opinião (mais uma vez a minha opinião) Famalicão tem crescido de forma equilibrada e sustentada. Mérito a quem o tem.

Nada melhor do que ter a possibilidade de passear num espaço verde dentro de uma cidade, poder praticar desporto em contacto com a natureza, ler um livro com um rio por perto, assistir a espectáculos ao ar livre ou simplesmente poder ficar sentado num banquinho e respirar ar puro.

É óbvio que nem tudo está perfeito e operacional ou simplesmente conforme o idealizado. Mas são pormenores ou "pormaiores" passíveis de resolução com o tempo. Levantam-se ainda questões como a segurança e o possível vandalismo de algumas zonas, mas as mesmas pessoas que garantiram a concretização deste projecto serão certamente capazes de garantir a segurança de todos quantos diariamente usufruem e usufruirão do Parque da Cidade.

Como famalicense, sinto orgulho no Parque da Cidade. E é mais uma razão para gostar de viver nesta cidade.

Cabeça

...


Espaço

Suave a forma como entra no ouvido, bem à medida de uma segunda-feira de céu cinzento e alguma chuva.


domingo, outubro 07, 2012

quase

"Quase nada me falta
Para tudo ser quase perfeito...
Quase chego a pensar que são os quases
Que quase dão sentido à existência.
Fosse tudo completo e adquirido,
Fosse tudo conquistado e vivido
E a vida era quase incongruência!"

JPA

quinta-feira, outubro 04, 2012

Macho

O pai entra no quarto do filho e vê um bilhete em cima da cama. Lê o bilhete, temendo o pior. 

Pai, é com grande pesar que te informo que fugi com meu novo namorado, o João, um italiano muito lindo que conheci no Algarve. Estou apaixonado por ele. Ele é muito gato, com todos aqueles 'piercings', tatuagens e aquela super-moto BMW que comprou há dias. Mas não é só por isso que vou com ele, é que...também descobri que não gosto de mulheres e, como sei que não vais consentir isso, decidimos fugir e ser muito felizes neste mundo.

...Ele quer adoptar filhos comigo, e isso é tudo o que eu sempre desejei para mim. Aprendi com ele que a cannabis é óptima, uma coisa natural, que não faz mal a ninguém, e ele garante que no nosso pequeno lar não vai faltar marijuana. O João acha que eu, os nossos filhos adoptivos e os seus colegas gays vamos viver em perfeita harmonia.

Não te preocupes pai, eu já sei cuidar de mim, apesar dos meus 15 anos. Já tive várias experiências com outros tipos e tenho a certeza que o João é o homem da minha vida. Um dia eu volto para que tu e a mãe conheçam os nossos filhos.

Um grande abraço e até algum dia.

Do teu filho, com amor.

O pai quase a desmaiar, continua a ler. 

P.S.: Pai, não te assustes é tudo mentira!!! Estou na casa da Cátia, a nossa vizinha boazona. Só queria mostrar-te que existem coisas muito piores do que as minhas notas escolares que estão na primeira gaveta.

Abraços

Teu filho, burro, mas macho

quarta-feira, outubro 03, 2012

Sempre frango com massa

Sem tirar mérito ao futebol do Barcelona, tão pouco criticar a forma simples e vistosa como jogam, a verdade é que regra geral os jogos dos catalães têm apenas uma equipa em campo. E ontem não foi muito diferente, apesar dos elogios à postura do Benfica.

E quando vou começar a ver qualquer jogo do Barcelona já sei de antemão como vai ser o jogo e quem vai ganhar. Salvo raríssimas excepções. Por isso tudo se começa a tornar monótono e a verdadeira essência do futebol deixou de lá estar. Nomeadamente o imprevisto, a emoção que nos faz vibrar, a incerteza que mexe com os nossos sentimentos.

Fazer tudo demasiadamente bem, ser extremamente eficaz e ter uma fórmula que resulta sempre também não é bom. Porque as pessoas se cansam e acabam enfastiadas com mais do mesmo. É como comer sempre massa com frango estufado. É delicioso mas mais tarde ou mais cedo chegará o momento em que preferimos comer outra coisa qualquer.

psycho killer

Run, run, run, run, run, run, run, run, run, run, run away...


terça-feira, outubro 02, 2012

Final de tarde

Pode chamar-se e dizer-se várias coisas sobre esta música. Boas e más. Certo é que me anima e dá vontade de dançar. O que por si só seria outra imagem terrível.


Mourinho

O que os olhos vêem nem sempre é o suficiente.

Mou: "Odio mi vida social"

segunda-feira, outubro 01, 2012

quote

"Malandro não pára, malandro dá um tempo"

Cidade de Deus

Heart

Grande, muito grande...a música. :)




Miracle

Chegar lá...sem milagres...


sexta-feira, setembro 28, 2012

Os astros

Ser bem sucedido em qualquer tarefa passa pelo empenho colocado, pelo empurrão inicial e pelos astros favoráveis que cumprem a pequena parte que leva a cortar a meta.

É assim

Ao que parece o Relatório e Contas do Benfica foi chumbado e Luís Filipe Vieira saiu da Assembleia Geral do clube com seguranças e com os associados a pedirem a sua demissão.
Já estou a contar os minutos para aparecer alguém ligado ao Benfica a dizer que o FC Porto está metido nisto e que comprou os sócios do Benfica para criarem instabilidade. E ao que parece um árbitro presente na Assembleia deixou passar em claro uma falta grosseira na área por carga do Maxi Pereira sobre um dos seguranças do Vieira.
O Porto controla mesmo tudo...

terça-feira, setembro 25, 2012

Si...

«Si pudiera vivir nuevamente mi vida, en la próxima trataría de cometer más errores. No intentaría ser tan perfecto, me relajaría más. Sería más tonto de lo que he sido, de hecho tomaría muy pocas cosas con seriedad. Sería menos higiénico. Correría más riesgos, haría más viajes, contemplaría más atardeceres, subiría más montañas, nadaría más ríos. Iría a más lugares adonde nunca he ido, comería más helados y menos habas, tendría más problemas reales y menos imaginarios. Yo fui una de esas personas que vivió sensata y prolíficamente cada minuto de su vida; claro que tuve momentos de alegría. Pero si pudiera volver atrás trataría de tener solamente buenos momentos. Por si no lo saben, de eso está hecha la vida, sólo de momentos; no te pierdas el ahora. Yo era uno de esos que nunca iban a ninguna parte sin un termómetro, una bolsa de agua caliente, un paraguas y un paracaídas; si pudiera volver a vivir, viajaría más liviano. Si pudiera volver a vivir comenzaría a andar descalzo a principios de la primavera y seguiría descalzo hasta concluir el otoño. Daría más vueltas en calesita, contemplaría más amaneceres, y jugaría con más niños, si tuviera otra vez vida por delante. Pero ya ven, tengo 85 años... y sé que me estoy muriendo.»

...

Ser ou não ser...


segunda-feira, setembro 24, 2012

Ouvir

Uma das músicas do novo filme de Woody Allen. Fiquei fã. E do filme, gostei!


sexta-feira, setembro 21, 2012

Palavra que gosto

empatia

quinta-feira, setembro 20, 2012

Arrival

Ver e ouvir.


Não me importava...

Villas Boas quer contratar...director geral da Roma

...de ficar com o lugar! :)

Comidinha

Ontem no Top Chef americano o desafio dos chefs era confeccionar a última refeição de um conceituado leque de júris. Ou seja, cada um escolheu aquela que seria a sua perfeita e derradeira refeição. Uma espécie de condenado à cadeira eléctrica com oportunidade para poder saciar os seus apetites.

Curiosamente, as escolhas não foram muito elaboradas e complicadas, passando pelo pombo, frango assado ou salmão grelhado. A prova talvez de que os pratos mais simples são provavelmente os que nos dizem mais. Se calhar porque nos remetem para memórias de infância, para os cozinhados das nossas avós, das nossas mães, para os sabores que nos transmitem as melhores sensações. E agora que escrevo sobre isto, lembrei-me das bolachas Maria com queijo que a minha avó preparava. Não são propriamente uma refeição, mas algo cujo sabor me remete para as melhores recordações.

E pensando naquela que seria a minha última refeição, entre muitos pratos que me agradariam, acho que escolheria um suculento e saboroso bife grelhado, com batatas fritas muito finas e às rodelas e um belo de um ovo estrelado a acompanhar. Sem esquecer que o bife teria de ser nem muito bem, nem muito mal passado e o ovo teria de ser à minha moda. Passado dos dois lados mas sem exageros porque gosto sempre de um bocadinho de gema para molhar com o pão.

quarta-feira, setembro 19, 2012

Das secas

No hospital, diz o médico:

- O senhor é o dador de sangue?

- Não, eu sou o da dor de cabeça!

terça-feira, setembro 18, 2012

Fui sabendo de mim

Fui sabendo de mim
por aquilo que perdia

pedaços que saíram de mim
com o mistério de serem poucos
e valerem só quando os perdia

fui ficando
por umbrais
aquém do passo
que nunca ousei

eu vi
a árvore morta
e soube que mentia 

Mia Couto

segunda-feira, setembro 17, 2012

Voo

Voar e sensação de liberdade.


domingo, setembro 16, 2012

Manifestação

Seria muito bom que a mega manifestação do dia de ontem tivesse reflexos significativos na evolução do país. Não deixa de ser notável e assinalável que tal se tenha verificado e só demonstra por um lado a união de um povo e por outro a situação dramática de Portugal. O pior é que é sempre necessária uma situação quase limite para que todos acordem. Porque quem escolhe quem nos governa somos nós. E o povo continua a demarcar-se de exercer os seus direitos, patente nos números da abstenção das várias eleições dos últimos anos.

E a Troika e o FMI só são conhecidos em Portugal porque basicamente pedimos o seu auxílio. Porque não fomos capazes de nos governar sozinhos. E é sempre normal que nas questões de dinheiro alguém ajude os outros com um preço. E o preço dessa ajuda é aquilo que estamos a pagar directamente dos nossos bolsos. Há condições a respeitar. Pedimos ajuda, agora teremos de nos sujeitar às regras impostas. Porque as aceitamos. Mais uma vez é tudo culpa nossa.

Por fim, há algo que me deixa algumas perguntas. Mudar de governantes neste momento vai ajudar a resolver a crise? Não será trocar apenas por trocar? Não será adiar tudo? O que é preciso mesmo são soluções. Não dizer que isto não está bem, que assim não pode ser, mas não apresentar alternativas. Esqueçam os partidos, os lugares que anseiam ocupar ou ficar bem na fotografia. É a hora da unidade nacional. É o país e o povo português que estão em causa.

sexta-feira, setembro 14, 2012

O tempo

É daquelas coisas que nunca pára ou dá descanso. É feito de retrospectivas, previsões e futurologia. Quando somos mais jovens fazemos muitos planos para o futuro e prevemos o que vem a seguir. O que queremos e desejamos fazer.

À medida que o tempo e os anos passam, fazem menos planos e temos menos desejos ou vontades por concretizar. Chega-se a uma idade em que não faz sentido fazer grandes projecções mas antes viver o dia a dia com tudo aquilo que nos traz.

E passados mais alguns anos, o melhor mesmo é começarmos a ir na corrente. Deixamos a futurologia e ficamos somente pelas retrospectivas e pelos regressos ao passado.

E assim segue o tempo.

quarta-feira, setembro 12, 2012

Política

Em Portugal há muito tempo que os políticos não querem saber de governar o país. Apenas de fazerem política, quererem ser eleitos a qualquer custo e deitar abaixo quem está no poder. Neste momento seria recomendável todos os partidos, em conjunto, encontrarem soluções para os problemas. E o que fazem eles?

domingo, setembro 09, 2012

Ainda no Trio de Ataque

Um dos comentários do twitter em rodapé no programa:

"inside information: Luisão suspenso por um ano, excepto nos dias em que o Benfica jogar."

:)

Números

A assistir na televisão ao Trio de Ataque onde se discute números de transferências, Witsel e Hulk.

E uma coisa é clara. Qualquer jogador vale aquilo que um clube oferece por ele. As clausulas de rescisão são para proteger os jogadores. Protecção mínima. Nem Hulk, nem Witsel valiam as clausulas de rescisão.

Conclusão: o Benfica vendeu Witsel muito bem. Porquê? Porque alguém pagou 40 milhões.

Crise?!

Estranho que este país esteja em crise. Ontem em Braga vi carros e mais carros a circularem, pessoas, muitas pessoas e consumo, muito consumo.

Vi os restaurantes completamente a abarrotar, vi os proprietários a desdenharem clientes e vi muita gente bem vestida e divertida. Por isso, crise, depressão, poupar dinheiro para as adversidades futuras é coisa que está na imaginação de todos. Esqueçam lá isso.

sábado, setembro 08, 2012

quote

"The North Star has a deep love for the moon. She is always in the sky waiting for the return of the moon"

sexta-feira, setembro 07, 2012

Hoje

Na manhã tranquila de sexta, igual à manhã de tantos outros dias do ano.


quinta-feira, setembro 06, 2012

...

...


Brincadeira

Isto só pode ser brincadeira. Jorge Jesus foi ontem castigado por 15 dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol devido a declarações proferidas no final do Benfica-FC Porto, disputado a 3 de Março. Melhor ainda é que depois de tanto tempo para ser decidido este caso, o treinador do Benfica teve a sorte de ser castigado logo quando as competições em Portugal estão paradas. Ou seja, o mesmo é dizer que ele está de castigo mas não falhará nenhum jogo do Benfica. Só pode ter sido coincidência e uma tremenda sorte para Jorge Jesus (tom irónico).

Pergunto: para que serve um castigo destes? É mesmo um castigo? É que eu acho que isto quer dizer que Jorge Jesus poderá a fazer tudo o que quiser, assim como qualquer outro treinador (ou não), porque nada lhe acontecerá e em nada se prejudicará, a ele ou ao clube. Aqui neste futebol quase tudo passa impune. Relembro só um caso em Espanha em que Fábio Coentrão foi expulso do banco pelo árbitro num jogo de domingo e na quarta-feira já não jogou com o Barcelona para a Supertaça porque logo na segunda-feira foi castigado com quatro jogos de suspensão. E reparem noutra diferença, foi castigado em jogos e não em dias. Porque é no jogo que os treinadores e os jogadores são intervenientes.

Para finalizar, e só em jeito de previsão, acho que Luisão também será castigado (daqui a uns meses) mas terá um castigo em que apenas ficará impedido de jogar na Taça da Liga (quando o Benfica se iniciar na competição pelo que entretanto é melhor esperar mais um pouco para se decidir o castigo). Ou então será castigado em 30 dias, num mês em que as competições parem. Pode até propor-se 30 dias em Agosto de 2013. Ainda lhe sobrará um dia para, por exemplo, poder jogar na Eusébio Cup.

quarta-feira, setembro 05, 2012

Destiny

Modo repeat...


quote

«O homem é capaz de promover muitas acções, mas as maiores é o destino que as dirige pessoalmente.»

Henrik Ibsen

terça-feira, setembro 04, 2012

Se

Se eu fosse poeta, escreveria assim:

"Abnegação

Chovam lírios e rosas no teu colo!
Chovam hinos de glória na tua alma!
Hinos de glória e adoração e calma,
Meu amor, minha pomba e meu consolo!

Dê-te estrelas o céu, flores o solo,
Cantos e aroma o ar e sombra a palmar.
E quando surge a lua e o mar se acalma,
Sonhos sem fim seu preguiçoso rolo!

E nem sequer te lembres de que eu choro...
Esquece até, esquece, que te adoro...
E ao passares por mim, sem que me olhes,

Possam das minhas lágrimas cruéis
Nascer sob os teus pés flores fiéis,
Que pises distraída ou rindo esfolhes!"

Antero de Quental

quinta-feira, agosto 30, 2012

...

«Eu gosto de olhos que sorriem,
de gestos que se desculpam,
de toques que sabem conversar
e de silêncios que se declaram»

Machado de Assis

terça-feira, agosto 28, 2012

Justiça

Afinal há justiça no futebol.

Este Braga

Quis escrever este post enquanto vejo o jogo do Braga contra a Udinese. É já o terceiro jogo que vejo do Braga e o futebol que jogam, de forma rápida e descomplicada, com muita posse de bola e qualidade de passe. Em suma, um futebol vistoso e atractivo. Daqueles que leva adeptos aos estádios.

E o Braga até pode nem passar a eliminatória rumo à Champions, mas posso escrever já aqui que foi e é muito superior à Udinese. Sai com nota muito positiva desta eliminatória. Se não passar é futebol. E o futebol nem sempre faz justiça aos melhores.

E nem quero referir o facto do Braga ter grandes jogadores, maioritariamente portugueses, e um treinador, também português, que tem muita qualidade e percebe do assunto. É a prova clara de que em Portugal também há bons jogadores e treinadores. Curiosamente uma equipa formada com muitos dos proscritos dos chamados "grandes" do futebol português. Que devem pôr os olhinhos nesta equipa e ter cuidado na luta pelos títulos esta temporada.

E a partir de hoje torço por este Braga. Pelo bom futebol e pelo espectáculo positivo que proporciona. Sou fã. E agora vou ver atentamente o resto do jogo.

segunda-feira, agosto 27, 2012

Feels good

A minha segunda-feira foi passada ao som desta música. Por muitos anos que passem será sempre uma grande música.


sexta-feira, agosto 24, 2012

quote

«Há gente que não é pessoas»

quarta-feira, agosto 22, 2012

Pas

Hoje enquanto caminhava para casa na hora de almoço, uma senhora que se cruza comigo, diz o seguinte para a sua família:

«Pas de chance...já só há vitela assada...»

O que traduzido quer dizer qualquer coisa como "sem sorte" ou "falta de sorte". A parte da vitela assada vocês já sabem.

segunda-feira, agosto 20, 2012

Qualquer coisa como

Uma má notícia é a morte de alguém ou uma doença que nos impeça de viver plenamente ou no limite de viver. Tudo o resto são notícias ou acontecimentos menos positivos, talvez negativos. E sobra tentar contornar a situação e procurar uma forma alternativa de viver melhor.
Por isso, não dá para baixar os braços, embora às vezes os baixemos, não dá para largar as crenças, embora as larguemos, não dá para mandar tudo às ortigas, embora demasiadas vezes mandemos. Mesmo que os fantasmas pairem sobre as nossas cabeças. Mesmo que nos falhem quando mais pedimos que qualquer coisa se concretize. Mesmo apesar dos desejos constantemente adiados.
Agarrados às crenças e aos sonhos vamos com a corrente e sorrindo porque o dia chegará quando tiver de chegar.

terça-feira, agosto 14, 2012

quote II

«Rir é correr o risco de parecer tolo. 
Chorar é correr o risco de parecer sentimental. 
Estender a mão é correr o risco de se envolver. 
Expor os seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. 
Defender os seus sonhos e ideias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. 

Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas pelas suas atitudes, elas tornam-se escravas, privam-se de sua liberdade.
Somente a pessoa que corre riscos é livre!»

Séneca

Blogue

De volta aqui ao blogue. Onde mais ou menos tudo começou. Porque foi o espaço onde foi possível ter leitores. E a escrita só faz sentido quando existe pelo menos um leitor. Que não apenas quem escreve.

segunda-feira, agosto 13, 2012

quote

"Ama como a estrada começa"

Mário Cesariny

sexta-feira, agosto 10, 2012

Bipolar 3

:)))


Bipolar 2

:)


Bipolar

Adoro piadas sobre bipolaridade. :)


quinta-feira, agosto 09, 2012

Devagarinho

Começar o dia bem devagarinho. Sem forçar...


terça-feira, julho 31, 2012

...

«Percorremos caminhos por onde levamos os nossos sonhos, carregamos as nossas expectativas e enfrentamos os nossos medos. E cada marca impressa, cada sapato velho esquecido no caminho nos remete para uma etapa vencida.»

sexta-feira, julho 13, 2012

Expressão

«Assalta-me o cérebro»

segunda-feira, julho 09, 2012

Experimentar

As experiências podem não correr bem. Sobretudo quando se trata da primeira vez, da primeira tentativa, da primeira incursão por um caminho nunca antes desbravado. Mas mais do que tudo precisamos experimentar o novo e o desconhecido.
Sem experimentar nunca saberemos se é mais por ali ou por aqui, se podemos ser bem ou mal sucedidos. E experimentar e errar também faz parte. Não importa o número de experiências erradas, desde que se encontre o certo, a saída, o objectivo cumprido.

...

...uma luz que ilumina,
uma estrela que brilha...
...junto da lua.

sábado, julho 07, 2012

Arroz...

...doce! Feito por mim...:)

quarta-feira, julho 04, 2012

Para trás e para a frente

Aqui na rua existe um senhor, com os seus 70 anos, que todos os dias passeia para trás e para a frente entre os prédios e as ruas aqui perto. Quase indiferente ao que o rodeia, passeia-se, de manhã à noite, cantando, falando sozinho, por vezes, usando vernáculo. Sempre sozinho. Apenas a bengala, de madeira, nunca apoiada no chão e balançando, na mão, suspensa. Os dias que passam indiferentes, não são os mesmos sem os passos curtos, demorados, do senhor do chapéu, às vezes gorro, de Inverno, ou sem nada, quando lhe apetece. E somente tudo o que lhe apetece. No caminho diário pelas horas, muitas horas contadas. Hoje tinha algo diferente. Na mão que segura a bengala, um pequeno saco azul. O lanche. Penso. E nada melhor do que estar prevenido. Mesmo quando a alegria passa por caminhar sem destino, todos os dias de igual forma.

terça-feira, julho 03, 2012

Noite

Quando a noite cai, há sempre a lua para a abrilhantar.

O que não se vê


De tudo o que existe,
Uma parte a vista não alcança
Seja sentimento ou beijo perdido.

Mas se tudo o que não vemos, existe
Para quê a existência
E não o simples aquecer da alma...

O que vemos no entardecer do dia passou,
Voltou de olhos molhados fechados
Numa manhã junto ao mar embarcou.

segunda-feira, julho 02, 2012

Será?

«Escrever é como o exercício físico. Se não praticares ficas molengão»

Richard Russo

quinta-feira, junho 28, 2012

Na multidão

Mas afinal quantos somos? Por vezes muitos, demasiados, todos os que conseguirmos arranjar. Sentimos as mãos por baixo do nosso corpo, sustentando o nosso peso, qual estrela de rock no meio de um concerto. Na certeza de que mesmo que exista uma multidão que nos rodeie, apenas podemos contar exclusivamente connosco.

terça-feira, junho 26, 2012

caminhando

É a caminhar que se faz o caminho. Sendo escuro, estreito, nos cause pânico ou algum medo. É caminho para desbravar.

Mugly, o cão mais feio do Mundo - JN

Mugly, o cão mais feio do Mundo - JN

segunda-feira, junho 25, 2012

Verdade

"Ovelhas não são para mato"

domingo, junho 24, 2012

animais

"Deixa o cãozinho esgravatar que a cadelinha não é nossa"

sexta-feira, junho 22, 2012

Inspiração

«A inspiração existe, mas tem de encontrar-te a trabalhar»

Pablo Picasso

A minha verdade


quarta-feira, junho 20, 2012

Ao contrário

«Na minha próxima vida, quero viver de trás para frente. Começar morto, para despachar logo o assunto. Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo. E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer. Por fim, passo nove meses flutuando num "spa" de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço adequado a cada dia que passa, e depois - "Voilà!" - desapareço num orgasmo.»

Woody Allen

terça-feira, junho 19, 2012

Ternura

Desvio dos teus ombros o lençol,
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão: que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
onde uma tempestade sobreveio...

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...

Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!

David Mourão-Ferreira

segunda-feira, junho 18, 2012

quote

«A paciência é amarga, mas o seu fruto é doce»

Jean-Jacques Rousseau

sábado, junho 16, 2012

...

Doces salgados, picantes amargos, ácidos suaves.

Substituir

"O futebol é um jogo para 22 homens, 11 de cada lado. Os jogadores chutam a bola de um lado para o outro. A bola tem de entrar numa baliza, defendida por um guarda-redes. O jogo demora 90 minutos e no final ganha sempre a Alemanha"

Gary Lineker, ex-jogador de futebol

"No futebol é como no amor. O que acontece antes pode ser muito bonito, mas não passa de um namorico. A bola tem de entrar lá dentro"

Max Merkel, jogador e treinador austríaco

Chat

"Convidamos para você vir ver um jogo, estar presente num dos nossos jogos do Europeu, tá?"

Cristiano Ronaldo, jogador da Selecção, para Cavaco Silva

"Obrigadinho!"

Presidente da República, agradecendo a Cristiano Ronaldo

segunda-feira, junho 11, 2012

Retiro

«Há quem procure lugares de retiro no campo, na praia, na montanha; e acontece-te também desejar estas coisas em grau subido. Mas tudo isto revela uma grande simplicidade de espírito, porque podemos, sempre que assim o quisermos, encontrar retiro em nós mesmos. Em parte alguma se encontra lugar mais tranquilo, mais isento de arruídos, que na alma, sobretudo quando se tem dentro dela aqueles bens sobre que basta inclinar-se para que logo se recobre toda a liberdade de espírito, e por liberdade de espírito, outra coisa não quero dizer que o estado de uma alma bem ordenada.»

Marco Aurélio

quarta-feira, junho 06, 2012

Reflectir

Texto de Fernando Dacosta para reflexão.

«Quando cumpria o seu segundo mandato, Ramalho Eanes viu ser-lhe apresentada pelo Governo uma lei especialmente congeminada contra si. O texto impedia que o vencimento do Chefe do Estado fosse «acumulado com quaisquer pensões de reforma ou de sobrevivência» públicas que viesse a receber. Sem hesitar, o visado promulgou-o, impedindo-se de auferir a aposentação de militar para a qual descontara durante toda a carreira.
O desconforto de tamanha injustiça levou-o, mais tarde, a entregar o caso aos tribunais que, há pouco, se pronunciaram a seu favor. Como consequência, foram-lhe disponibilizadas as importâncias não pagas durante catorze anos, com retroactivos, num total de um milhão e trezentos mil euros. Sem de novo hesitar, o beneficiado decidiu, porém, prescindir do benefício, que o não era pois tratava-se do cumprimento de direitos escamoteados - e não aceitou o dinheiro.
Num país dobrado à pedincha, ao suborno, à corrupção, ao embuste, à traficância, à ganância, Ramalho Eanes ergueu-se e, altivo, desferiu uma esplendorosa bofetada de luva branca no videirismo, no arranjismo que o imergem, nos imergem por todos os lados. As pessoas de bem logo o olharam empolgadas: o seu gesto era-lhes uma luz de conforto, de ânimo em altura de extrema pungência cívica, de dolorosíssimo abandono social.
Antes dele só Natália Correia havia tido comportamento afim, quando se negou a subscrever um pedido de pensão por mérito intelectual que a secretaria da Cultura (sob a responsabilidade de Pedro Santana Lopes) acordara, ante a difícil situação económica da escritora, atribuir-lhe. «Não, não peço. Se o Estado português entender que a mereço», justificar-se-ia, «agradeço-a e aceito-a.
Mas pedi-la, não. Nunca!». O silêncio caído sobre o gesto de Eanes (deveria, pelo seu simbolismo, ter aberto telejornais e primeiras páginas de periódicos) explica-se pela nossa recalcada má consciência que não suporta, de tão hipócrita, o espelho de semelhantes comportamentos.
“A política tem de ser feita respeitando uma moral, a moral da responsabilidade e, se possível, a moral da convicção”, dirá. Torna-se indispensável “preservar alguns dos valores de outrora, das utopias de outrora”. Quem o conhece não se surpreende com a sua decisão, pois as questões da honra, da integridade, foram-lhe sempre inamovíveis.
Por elas, solitário e inteiro, se empenha, se joga, se acrescenta - acrescentando os outros.
“Senti a marginalização e tentei viver”, confidenciará, “fora dela. Reagi como tímido, liderando”. O acto do antigo Presidente («cujo carácter e probidade sobrelevam a calamidade moral que por aí se tornou comum», como escreveu numa das suas notáveis crónicas Baptista-Bastos) ganha repercussões salvíficas da nossa corrompida, pervertida ética.
Com a sua atitude, Eanes (que recusara já o bastão de Marechal) preservou um nível de dignidade decisivo para continuarmos a respeitar-nos, a acreditar-nos – condição imprescindível ao futuro dos que persistem em ser decentes. Autor: Fernando Dacosta

Nota: Já escrevi algures no Expresso um comentário sobre Ramalho Eanes, mas sinto-me na obrigação de dizer algo mais e que me foi contado por mais que uma pessoa.

Disseram-me que perante as dificuldades da Presidência teve de vender uma casa de férias na Costa de Caparica e ainda que chegou a mandar virar dois fatos, razão pela qual um empresário do Norte lhe ofereceu tecido para dois. Quando necessitava de um conselho convidava as pessoas para depois do jantar, aos quais era servido um chá por não haver verba para o jantar. O polícia de guarda em vez de estar na rua de plantão ao fio e chuva mandou colocá-lo no átrio e arranjou uma cadeira para ele não estar de pé. Consta que também lhe ofereceram Acções da SLN-BPN, mas recusou.»