domingo, dezembro 31, 2006

Bom ano de 2007!

Ok Go

Espero que o ano de 2007 seja repleto de sucessos pessoais e profissionais. Se o novo ano não puder ser melhor que o de 2006 pelo menos que seja igual ao que agora vai terminar. Para que entrem em 2007 bem animados, deixo aqui este vídeo dos Ok Go. Espero que gostem. Bom 2007!

sábado, dezembro 30, 2006

Gatos...

Quem nunca fez aquele jogo do "se eu fosse um animal, qual seria?". Quase toda a gente já jogou esse jogo. Eu se fosse um animal acho que escolheria ser um gato. Mas não um gato qualquer. Queria ser gato persa. Daqueles que passam o dia sem fazer nada, que gostam muito de miminhos e só comem e dormem. Era uma vida dessas que eu precisava...

A propósito de gatos, gosto também de os ouvir a ronronar. Aquele ruído de satisfação que é também um misto de charme e preguiça. Ultimamente tenho tido a sorte de ouvir muitas vezes ronronar, curiosamente sem ter gatos ou gatas por perto.

Só para fechar por hoje e ir dormir, esta história dos gatos fez-me recordar um diálogo do filme "Vanilla Sky" que gostei particularmente. É um dos últimos diálogos, protagonizado pelo Tom Cruise e pela Penélope Cruz. É assim:

"David: Lembras-te do que me disseste uma vez? Cada minuto que passa é uma hipótese perdida de voltar tudo ao princípio.
Sofia: Eu encontro-te outra vez.
David: Vejo-te numa outra vida... quando ambos formos gatos".

Deixar de fumar

Uma das coisas que gostava de pedir para o ano de 2007 era que todos os fumadores deixassem de o ser. Para o bem da sua própria saúde e também daqueles que de perto lidam com eles. Imagino que não seja fácil, mas façam um esforço.

É curioso porque o problema do tabaco colocou-se há pouco tempo no meu local de trabalho. O tempo está frio, fecham-se as portas, liga-se o ar condicionado e o fumo anda no ar. Consequência: duas ou três baixas por narizes entupidos ou alergias latentes.

Como é óbvio há que respeitar as opções das pessoas. Quem quer fumar deve fazê-lo, mas tendo em consideração que no mesmo espaço há outras pessoas que também fizeram uma opção. A contrária, ou seja, a de não fumar. Logo têm de existir locais próprios para receberem fumo e os fumadores.

sábado, dezembro 23, 2006

FELIZ NATAL!

Jingle Bell Rock

Distribuam sorrisos nesta quadra natalícia. Estejam perto daqueles que realmente contam e aproveitem o Natal ao máximo. Feliz Natal e um FANTÁSTICO 2007!

Finais felizes

Esta semana tive oportunidade de ver dois filmes com temas diferentes e consequentemente com finais distintos. O primeiro que vi foi "O Amor Não Tira Férias" que trata como não podia deixar de ser a temática do amor numa época muito especial: o Natal. É um filme que não traz nada de novo mas que nos deixa ficar bem com o mundo. Já para não falar no prazer de ver a interessante Cameron Diaz.

Quanto ao segundo filme desta semana, "O Tempo Que Resta" que vi na Casa das Artes em Famalicão, é bastante mais dramático já que trata a história de um fotógrafo que descobre que tem um cancro e que lhe restam apenas três meses de vida. Também gostei deste filme, embora não recomende a ninguém algumas partes, mas é um filme triste. Abandonamos a sala deprimidos porque temos sempre a tendência de nos colocarmos na posição do actor/actriz principal. E acreditem que não queria nada estar nessa posição. Se virem este filme vão perceber ainda melhor o porquê...

Comparando estes dois filmes, chego facilmente à conclusão que prefiro os filmes com finais felizes. Isto porque para coisas tristes e que correm mal já chega o nosso dia-a-dia. E se algum dia escrever livros ou sei lá, argumentos para filmes (és crente!), só escreverei enredos com finais felizes. Dá uma motivação maior e pelo menos podemos viver na ilusão da felicidade durante o tempo que perdemos a ler um livro ou a assistir a um filme.

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Dias agitados

Há dias que são agitados por natureza. Já sabemos o que esperar deles. Há outros que nos apanham desprevenidos quando pensamos que temos tudo controladinho. Desenganem-se porque há sempre algo que foge ao nosso controlo.

Esta semana está a ser a semana de todos os casos. Novidades atrás de novidades e trabalho para ser feito. A redacção agita-se, como em todos os inícios de semana, e só se começa a ter tempo para respirar a partir de quinta-feira. Mas respira-se, com maior ou menor dificuldade, e trocam-se sorrisos nos entretantos. Sempre sorrisos porque é assim que se toca a vida para a frente.

E quando em casa, na cama e perto de fechar os olhos, recordo todas as asneiras que disse, todas as gargalhadas que soltei e o quão hilariantes foram alguns momentos do meu dia. Mas também se trabalha. E muito. Mas a sorrir torna-se tudo muito mais fácil...

Sigo logo atrás de ti...

Segue o teu caminho...e eu sigo o teu caminho também...

sábado, dezembro 09, 2006

Quem pára a ASAE?

Os últimos tempos têm sido de intenso trabalho para a ASAE. Não há feira, restaurante, bar ou estabelecimento que escape às inspecções deste organismo. As notícias sobre as intervenções da ASAE têm sido uma constante, num trabalho que é sempre de grande aparato e que pelos vistos tem dado resultados.

Para quem não sabe, ASAE quer dizer Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e é uma autoridade administrativa nacional especializada no âmbito da segurança alimentar e da fiscalização económica. Ou seja, «é responsável pela avaliação e comunicação dos riscos na cadeia alimentar, bem como pela disciplina do exercício das actividade económicas nos sectores alimentar e não alimentar, mediante a fiscalização e prevenção do cumprimento da legislação reguladora das mesmas».

Não consigo é perceber o porquê destas inspecções momentaneamente tão regulares e impossíves de passar despercebidas. Embora me pareçam muito úteis.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

O Amor e a Loucura

Diz-me onde vais ó Loucura
Quando o Amor já ficou para trás.
Diz-me o que persegues
E eu acompanho-te...
Vê o que fizeste!
Parei para pensar e tudo o que tinha acabou
Onde estavas enquanto caía num poço sem fundo?
Viajavas de mão dada com a Perdição
E eu fui contigo...
O Amor partiu rumo a outras paragens
E a Loucura, essa, ficou ao meu lado!

Sempre que quiseres

«Deixa-me tecer a malha do meu encanto,
respirar paixão até à embriaguez,
sugar as nódoas tatuadas no percurso,
expulsar medos e perder-me na efémera felicidade...»

sábado, dezembro 02, 2006

A Partilha

Tive a oportunidade de assistir na Casa das Artes à peça de teatro "A Partilha". Achei muito interessante e tem momentos verdadeiramente hilariantes. De todas as actuações gostei particularmente da Rita Salema que encaixa muito bem no tipo de personagem que encarna.

O título é curioso porque para além da partilha da herança da mãe das quatro personagens, há também a partilha de sentimentos e experiências de vida das quatro irmãs a quem a mãe morreu. Um momento trágico serve para unir as quatro irmãs que apesar de serem todas muito diferentes encontram nesse momento uma forma de se aproximarem.

Esta peça prova que é nos momentos mais complicados que os seres humanos sentem maior necessidade de unirem forças, e até de abrirem o coração, e dizerem aquilo que realmente pensam sobre determinadas questões. Valeu muito a pena pela actualidade dos temas abordados e pelas interpretações de Teresa Guilherme, Rita Salema, Patrícia Tavares e Cristina Cavalinhos.