quarta-feira, agosto 29, 2007

As grandes questões

Os desenhos animados que nos habituamos a ver na televisão levantam algumas questões pertinentes. Basta pensarmos um bocadinho.


Por exemplo, como é que o pato Donald tem sobrinhos, se não tem irmãos?
Ou como é que o canário Tweety consegue manter o equilíbrio com uma cabeçorra daquelas?

Por fim, e reportando-me ao Popeye, porque é que a policia não investiga o sujeito que vende os espinafres ao Popeye? ...com aquele efeito serão mesmo espinafres?

Levantar cedo

As manhãs são normalmente uma coisa terrível. Principalmente quando nos levantamos às 8 da manhã. E se durante cinco dias da semana a situação é complicada, então que dizer das segundas-feiras? São duas vezes pior.

Quem nunca passou por aqueles momentos logo a seguir ao toque do despertador em que pensamos: "só mais cinco minutos e já me levanto!". E depois ficamos naquele impasse de quem tem de trabalhar mas ao mesmo tempo tem demasiado sono para sequer estruturar uma ideia. Bem, eu sou assim praticamente todos os dias de manhã.

E talvez por isso quase todos os dias sou obrigado a tomar o pequeno almoço em andamento, ou seja, a bordo da minha viatura e a caminho do emprego. Para poupar tempo e não chegar atrasado. Curioso é que chego sempre a horas e às vezes até antes do tempo. O percurso também é curto e isso ajuda...

Mas a razão de tanto sono não podia estar mais à vista. Já passa da meia-noite e onde estou eu? A escrever no meu blogue! Boa Noite!

domingo, agosto 26, 2007

Quote

«Todos os dragões da nossa vida são talvez princesas que esperam ver-nos um dia, belos e corajosos. Todas as coisas aterradoras não são mais, talvez, do que coisas indefesas que esperam que as socorrámos»

Encontrei esta citação algures por aí. Não sei a quem pertence nem em que circunstâncias surgiu. Mas gostei e cá está!

Por isto e por aquilo

Por todas as pessoas que nunca iremos conhecer, por todas as coisas que nos vão passar sempre ao lado, por tudo o que já vivemos e gostavamos de viver outra vez, por todas as palavras que ficam por dizer, por tudo aquilo que nunca iremos fazer.

Pelas pessoas que conhecemos e já não vemos, por todas as insatisfações, por tudo aquilo que nunca há-de bater certo, pelas conversas que nunca teremos.

Pelas semanas que passam ser darmos conta, pelas noites mal dormidas, pelo que dissemos e depois nos arrependemos, pelas mudanças drásticas na vida, pelos sonhos nunca cumpridos, por tudo aquilo que jamais iremos controlar.

Por estas razões e mais algumas somos os seres mais completos do universo e simultaneamente os mais insatisfeitos e menos preenchidos...

sábado, agosto 25, 2007

Grande som

Não é novidade, mas não deixa de ser uma grande música...



The Cure - Lullaby

terça-feira, agosto 21, 2007

o GRANDE dia aproxima-se

Com pézinhos de lã o GRANDE dia aproxima-se. Espero eu. E vai saber muito bem colocar o preto no branco, por um lado, e será um mar de dores de cabeça por outro. Mas dores de cabeça saudáveis e que vão dar muita responsabilidade.


É um passo importante e cheio de significado para mim. E para a metade da minha felicidade.

A Saudade

«As coisas vulgares que há na vida não deixam saudade
Só as lembranças que doem ou fazem sorrir
Há gente que fica na história da história da gente
E outras de quem nem o nome lembramos ouvir
São emoções que dão vida
A saudade que traz
Aquelas que tive contigo e acabei por perder
Há dias que marcam a alma e a vida da gente
E aquele em que tu me deixaste não posso esquecer»

Faz parte de um fado da Mariza e de ouvir traz saudades. Assim de uma assentada lembro-me de muitas pessoas que deixam saudades. Principalmente aquelas que já partiram, mas que ficam marcadas cá dentro. Quero acreditar que a vida é mesmo assim. Tanto dá como nos tira. No entanto, as marcas ficam connosco.

domingo, agosto 19, 2007

Quote

«É sina do mundo serem só notados os extremos, os do bem como os do mal»

sexta-feira, agosto 10, 2007

Surreal

Há coisas que pensamos que nunca acontecerão. E o que aconteceu numa das minhas últimas madrugadas só tem um nome: SURREAL.

Nunca pensei ouvir: "gosto muito da tua voz" ou "és lindo de morrer". Principalmente às quatro da manhã, depois de uma insistência com cinco chamadas e o visor do telemóvel a indicar "anónimo". E com sono, meio a dormir e sem responder, ficar a saber que o intuito da pessoa que estava do outro lado era repetir a gracinha na noite seguinte.

E mais, pediu-me que lhe escrevesse um poema. O anonimato ou as possíveis admiradoras até são coisas engraçadas quando não acontecem a meio de uma bela noite de sono.

terça-feira, agosto 07, 2007

A casa

Sinto-me orgulhoso. Perto de concretizar o sonho de ter um cantinho meu e da minha mais do que tudo. E está mesmo perto de ser uma realidade, devendo acontecer este mês.

Para já fica o nome da rua onde irei viver. Rua Mário Cesariny nº 27, em Famalicão. Um nome muito chique.