sábado, fevereiro 09, 2013

De manhã

Um respirar fundo, tão natural. Assim como o silêncio matinal sob um sol ainda tão perto como se nos beijasse a face. E o silêncio, a calma, a tranquilidade. Onde nem o frio se atreveu ainda a dar o ar da sua graça. A manhã tão leve por entre as passadas ritmadas da corrida com a cabeça ainda solta e sem fantasmas a pairar. A corrida pela manhã. E o silêncio tão bom de sentir.

Sem comentários: