segunda-feira, setembro 22, 2014

...

«Que nunca nos deixemos ficar na segurança de não arriscar, por mais que o risco nos faça tremer... Que o medo seja sempre superado, pela certeza de querer alcançar, ou pelo menos querer tentar. Que nunca percamos um beijo, por ter medo de amar, um olhar por ter medo de gostar, um qualquer momento por ter medo de viver. Mas que nunca os tenhamos demais, por medo de estarmos sós ou por querer preencher vazios.»

 Rita Palma

1 comentário:

Anónimo disse...

Viver implica mesmo esta aventura e não acomodação... plenos sempre dos riscos e limitações temporais que temos, aproveitando tudo ao máximo para buscar a felicidade, nos mais pequenos nadas.

1+1