quinta-feira, dezembro 27, 2007

Amar

«Nunca devemos amar em silêncio, nada é mais perigoso do que dividir com outrém os pensamentos vividos em silêncio. Um amor feliz precisa do turbilhão das palavras, das frases aparentemente inúteis e sem sentido, precisa de adjectivos, de elogios, do ruído das banalidades. Não há felicidade que não seja tantas vezes fútil, tantas vezes inútil»

MST - "Não Te Deixarei Morrer, David Crocket"

2 comentários:

flá disse...

Que grande verdade e que grande momento do Miguel Sousa Tavares. Outro escritor que é capaz de te comover bastante ou pelo menos pôr-te a pensar muito é o José Luís Peixoto (que sobrenome giro...). É o que estou a ler, tu ias gostar muito dele, acredito.

Bruno Marques disse...

Miguel Sousa Tavares é o meu favorito. Nunca li nada do José Luís Peixoto mas já ouvi falar muito bem dele. Qualquer dia leio alguma coisa dele para tirar as dúvidas. :)