quarta-feira, novembro 14, 2007

Poema

Enquanto vai faltando a inspiração (e o tempo) fica aqui o excerto de um dos poemas que mais gosto. É de Eugénio de Andrade e intitula-se "Procuro-te".


"Procuro-te: fruto ou nuvem ou música.
Chamo por ti, e o teu nome ilumina
As coisas mais simples:
O pão e a água,
A cama e a mesa,
Os pequenos e dóceis animais,
Onde também quero que chegue
O meu canto e a manhã de Maio.

Um pássaro e um navio são a mesma coisa
Quando te procuro de rosto cravado na luz.
Eu sei que há diferenças,
Mas não quando se ama,
Não quando apertamos ao peito
Uma flor ávida de orvalho.

(...)

Porém eu procuro-te.
Antes que a morte se aproxime, procuro-te.
Nas ruas, nos barcos, na cama,
Com amor, de dia, triste, alegre, procuro-te."

Eugénio de Andrade

2 comentários:

who's yo' mama?! disse...

Eugénio de Andrade é mesmo qualquer coisa! :)

Bruno Marques disse...

Sem dúvida. Parabéns pelo bom gosto! :)