sexta-feira, janeiro 28, 2011

No ar

Sentei-me precisamente no sítio habitual. O mesmo de sempre. Passei as folhas que trago todos os dias comigo e esperei pelos derradeiros preparativos. Como se o mundo estivesse completamente suspenso para daqui a instantes ouvir o que a minha voz tem para transmitir.

Fixo o olhar no microfone, à minha frente, perdendo o pensamento em todos os momentos passados naquele estúdio. E foram muitos. Desvio o olhar para a janela, com o céu azul em fundo, sem perder a noção do quanto cresci ali dentro. Como se agora fosse o maior, mas o mesmo miúdo com medo de fazer asneira e vontade de mostrar serviço.

E naqueles breves instantes foi como se todo o filme estivesse a passar novamente. Breves segundos chegam para que deixe o passado e volte à realidade. Contagem decrescente, o sinal de que está tudo pronto e... estou no ar! Começou e acabou tudo da mesma forma. E o que começa, também acaba. Voltarei?