sexta-feira, março 17, 2006

Algumas notas...

1. Sobre o Sporting e a questão da venda de património. Jorge Gabriel (no programa Trio de Ataque) disse algo muito acertado. Cristiano Ronaldo é um dos melhores jogadores do mundo, Simão Sabrosa é o capitão do Benfica e o jogador mais valioso do plantel e Ricardo Quaresma brilha no FC Porto e é uma mais valia no campeonato nacional. Estes três jogadores (e como estes outros) foram formados nas escolas do Sporting e saíram muito novos de Alvalade. Poderiam e deveriam ter jogado mais na equipa principal dos leões, com vantagens desportivas e económicas bem mais vantajosas. Tendo em conta o potencial de cada um, o Sporting poderia ter obtido maiores encaixes financeiros com as suas vendas. Como se isso não bastasse, tem de ver ainda dois grandes artistas (Simão e Quaresma) brilharem nas equipas de dois grandes rivais. O Sporting tem sem dúvida a melhor formação de Portugal, mas não sabe gerir o potencial que cria. Nem desportivamente, nem financeiramente.

2. O Benfica ficou fora das meias-finais da Taça de Portugal. Voltou a evidenciar nervosismo e falta de eficácia ofensiva (à semelhança do que tinha acontecido com a Naval) e por isso perdeu com o V. Guimarães. É pena que os seus dirigentes se venham desculpar com os tradicionais erros de arbitragem, quando os jogadores encarnados falharam golos de forma escandalosa. A isto chama-se atirar areia para os olhos das pessoas. Só não vê quem não quer. E até admito que o Benfica possa ter razão de queixa num ou noutro lance. Só que nas contas finais da temporada, os três grandes serão sempre os mais beneficiados pelos lapsos das arbitragens. Nenhum dos três pode dizer que saiu mais prejudicado que beneficiado pelos árbitros.

3. No meio de tudo isto, tem de ser realçada a postura de Luisão. No final do encontro com o V. Guimarães mostrou ser um verdadeiro líder. Primeiro, não tocou no trabalho da equipa de arbitragem e admitiu o momento menos feliz do Benfica. Depois, disse que iria sempre defender o grupo de trabalho e que embora fosse difícil conquistar o campeonato, ele e os seus companheiros iriam dar tudo até ao final do campeonato. Ao contrário de Koeman, que à mínima contrariedade deita logo a toalha ao chão, Luisão mostrou uma forte personalidade. Ganhou pontos junto da massa associativa e na minha opinião deixou Koeman cada vez mais sozinho para os lados da Luz.

4. Os grandes treinadores vêem-se na adversidade. Quando uma equipa vence e está na mó de cima, o trabalho de um treinador não exige grande perícia. Consiste “apenas”em manter os índices de confiança altos e fomentar a identificação dos adeptos com a equipa. Nos momentos maus, os treinadores bons sobressaem e os menos bons caem em desgraça, metendo os pés pelas mãos. Koeman, por exemplo, começa a parecer demasiado nervoso (e isso transmitiu-se para os jogadores) e perde toda a coerência. Deixou de dar conferências de imprensa (por iniciativa própria), disse que não contava com Mantorras e agora convocou-o, não dizia mal das arbitragens e agora diz e por fim passou a comportar-se como um louco no banco de suplentes. Uma imagem algo recorrente em alguns técnicos portugueses. Perdeu algumas das virtudes de um treinador holandês, virado para o espectáculo e fair-play, evidenciadas aquando da sua chegada a Portugal. Sem ser espectacular, Co Adriaanse conseguiu pelo menos ser fiel aos seus ideais, mesmo sendo ferozmente criticado por muita gente. Nunca disse mal de nenhum árbitro e vai continuando a apostar no futebol ultra-ofensivo. E com isto não quero dizer que Adriaanse é melhor do que Koeman. Parece-me é que é mais coerente (tem mais personalidade) e está mais perto de ser um bom treinador. No final da temporada tiraremos as dúvidas.

5. O sorteio das meias-finais da Taça de Portugal ditou um Porto-Sporting. Isto quer dizer que apenas um grande estará na final do Jamor. É bom que surjam equipas de menos dimensão na discussão dos troféus em Portugal. Pessoalmente, gostava de ver o V. Guimarães na final porque tem uma massa associativa muito dedicada ao clube. Iriam trazer grande entusiasmo à final. Do outro lado, como é óbvio, queria que estivesse o FC Porto.

2 comentários:

vieria2000 disse...

Sobre o meu clube, subscrevo a tua análise especialmente sobre as figuras de Luisão e Koeman no Benfica actual. Eu penso o mesmo e até já o tinha mencionado com alguma sátira no blog.

Bru dou-te os parabéns pela idoneidade dessa tua apreciação transversal do actual panorama futebolistico nacional (agora falei bonito). Prefiro ler a tua "coluna" que a dos desportivos (tens a vantagem de ser meu amigo!).

Bruno Marques disse...

Oh...estás a exagerar!!! Não está uma análise assim tão boa. Quanto à comparação com outras "colunas" de desportivos, não sei se isso é bom ou mau. :D Eu é que tenho de te agredecer por leres o que eu escrevo.

A melhor sensação que se pode ter é saber que alguém lê o que escrevemos. Nunca é de mais dizê-lo: obrigado por seres minha amiga!