quinta-feira, fevereiro 23, 2006

A arte de comunicar

Regra geral, trabalha-se mal a comunicação em Portugal. Muitas organizações têm endereços de e-mail para inglês ver e não tratam processos de candidatura como deve ser. Os canais de comunicação externa estão viciados à partida e na realidade não servem de mediação entre emissor e receptor de uma mensagem. Um exemplo: procuro emprego e já enviei inúmeros currículos (quer por e-mail, quer pelo correio) para todo o tipo de organizações. Contam-se pelos dedos de uma mão o número de respostas obtidas. Nem para me comunicarem que não estavam interessados ou que ficaria na base de dados.

Quem também trabalha mal a comunicação são os clubes portugueses. Veja-se o caso do FC Porto. Num clube que se quer projectar cada vez mais na Europa do futebol, não é admissível estabelecer um blackout tão prolongado. Assim perde investidores, deixa de ter destaque nos espaços noticiosos e pior do que isso promove a divulgação de constantes notícias falsas nos órgãos de comunicação. Isto porquê? Porque não existem fontes oficiais da parte do clube que veiculem informação fidedigna. Quem fica a perder mais é o clube e toda a massa adepta e simpatizante do FC Porto. Já não estamos em tempo de guerrilhas pessoais nem birras sem razão aparente. Estamos numa sociedade altamente globalizada e na qual uma boa comunicação é meio caminho andado para o sucesso.

Poucos sabem aproveitar as potencialidades dos meios de comunicação social. Muitos há que ainda não perceberam a existência de uma relação de sobrevivência mútua. Precisamos uns dos outros para atingirmos objectivos. Por muito bons ou muito maus que achemos os seus projectos. A arte de comunicar passa por perceber que um pormenor no presente faz toda a diferença num futuro próximo.

1 comentário:

Gi disse...

Concordo ipsis verbis.Infelizmente, é o país que temos e pouco se faz para alterar seja o que for.

bjs