terça-feira, março 26, 2013

Harmonia

Assim como os dias passam, a luz se transforma em escuridão, no vai e volta do tempo. Sem parar, sem espaço para respirar, sem forma de definir o destino. Entregue nas mãos do acaso, deixando tudo ao eterno desconhecido.

As vidas passam, da mesma forma que os dias. E as noites e o céu negro numa imensa solidão do vazio. Nada. Apenas uma Estrela, lá longe, só, perdida no abismo sem fim. Iluminada, brilhante, insuficiente para preencher um denso buraco negro.

Numa noite avistou a Lua. Imponente, cheia, num brilho que parecia cobrir com um manto de luz a imensidão do céu. Sem escolher, a Estrela aprendeu a partilhar a noite com a Lua. Como se nada mais se passasse no céu. Contava as horas de luz, durante o dia, à espera que noite chegasse.

A Estrela apaixonou-se pela Lua. O amor cresceu. E a Estrela fica sempre no céu à espera do regresso da Lua, quando a noite cai. Espera a sua harmonia, o seu complemento, o seu amor.

"Kyekye pe aware"

Sem comentários: