sábado, outubro 02, 2010

Pontuação

Não é fácil colocar um ponto final, parágrafo. Implica terminar e resolver tudo o que estava na frase anterior para depois começar de novo. Uma nova ideia, uma nova frase, mas ao mesmo tempo dar seguimento ao que está para trás. A dificuldade está em continuar por um novo caminho sem perder o fio à meada. Até porque geralmente não podemos apagar tudo o resto, sob pena de estarmos a perder mais tempo.

Colocar vírgulas é bem mais fácil. Permitir parar para respirar, alterar um bocadinho o rumo, encadeando a mensagem. Fluindo e dando ordem ao percurso que o texto deve seguir. A virtude está em saber colocar as vírgulas no sítio certo.

Mais complicados são os pontos de exclamação e interrogação. Exclamação pode ser surpresa, arrebatamento, espanto, dor, raiva. Basicamente dá a cor ao nosso texto, podendo ser também o acordar para algo bom ou mau. As interrogações são o que nos faz pensar. São as perguntas para as quais às vezes temos a resposta, noutras nem por isso.

Pessoalmente, gosto das reticências. Marcam a interrupção do pensamento, da ideia, do destino para poder ou não continuar. Gosto porque abre a porta ao mistério, ao suspense. Deixa qualquer coisa no ar, deixa ao critério de quem lê e obriga a pensar. Fica qualquer coisa em aberto para que sejam os outros a completar.

A pontuação é o que ordena e dá sentido ao nosso texto. Saber utilizá-la correctamente pode ser quase um segredo bem guardado. Ou então basta seguir as regras básicas da ortografia. E pontuar quase sem emoção.

Ponto final, parágrafo.

Sem comentários: