terça-feira, outubro 28, 2008

Uma folha em branco

Quantas vezes nos deparamos com uma folha em branco? Que surge como que um desafio à inspiração e à correcta ordenação das palavras. Há dias em que não é fácil preencher o espaço em branco e contemplar de seguida um belo texto.


Há dias em que as palavras fluem naturalmente, sem grande esforço, outros em que simplesmente são arrancadas lá do mais fundo espaço onde habitam. Seja na cabeça ou no coração. E comparo uma folha em branco à nossa vida.

Quando nascemos somos uma folha em branco. Os anos passam e vamos escrevendo nessa folha as nossas memórias, sensações, vivências, amores, desencantos e outras coisas que tais. A folha pode ficar amarrotada, rasgar-se, o texto pode às vezes ser triste, mal escrito, mas no fim de tudo é o "nosso texto". É a nossa folha preenchida. É a nossa vida.

4 comentários:

Jorge Rita disse...

ó Bruno não a andas conviver excessivamente com o Sá pois não????
:)

flá disse...

bonito texto, e pensar q partiu de uma treta de uma folha em branco...

Bruno Marques disse...

Jorge, tens toda a razão. Parece mesmo que ando a conviver excessivamente com o Sá. Ele realmente tem-me ligado muitas vezes. Deve ser disso...:)

Flá, quando comecei a escrever o texto também não sabia muito bem onde ia dar. Mas foi fluindo! :D

Isandes disse...

Nice! (Até existe "O Livro em Branco", k já conta com muitas edições, sério!)