segunda-feira, dezembro 26, 2011

Viver

Não existem segredos e grandes mistérios para se viver. Esqueçam as grandes soluções, as fórmulas secretas ou as receitas milagrosas. Levantem a cabeça, deixem que o sol e a chuva batam de frente, de olhos fechados, visualizem tudo o que nos é dado. A vida é uma dádiva inexplicável que precisamos saber aproveitar.
Aproveitemos os pulos do coração, as corridas da respiração, o transcendente que nasce de cada passagem. Acreditemos no impossível, no sonho por realizar, na aventura louca e infantil, na experiência por conquistar dos beijos que ainda aprendemos a dar. Um a um, trocados e saboreados lentamente, com a calma do sol que se põe no horizonte.
Deixemo-nos encantar pelos sorrisos pueris, encantados na graça do desejo secreto por revelar. Viver está na graciosidade do momento em que encaramos as voltas da montanha russa, sem apontar o dedo, de braços bem no ar, festejando a hora e todos os segundos de felicidade. Que nos marca, que vai connosco, guardada nos recantos profundos da superfície da pele. A pele onde habitam os sentimentos mais reais.
A vida que foi feita para viver a mil, não é mais do que a vontade voraz de fazer permanecer marcas tatuadas nas pessoas. Como se viver fosse deixarmos-nos ficar cá para a eternidade. E ter essa visão desde o paraíso.

Sem comentários: