quarta-feira, outubro 12, 2011

Alma

Que me assustam os dias
E as noites escuras.
Que me percam os medos
E os desejos surdos.
Que me matam as horas
E as manhãs desprovidas.
Que me revoltam as amarguras
E as emoções soltas.
Que me beijam as palavras
E os sentidos amarrados.
Que me vejam perdido
E quem sabe me encontrem.
Que me sintam a alma
E no fundo me entendam.

3 comentários:

Anónimo disse...

"A quem me sei: eu escrevo."

Bruno Marques disse...

Isso é de outro poema.

Anónimo disse...

Não deixa de fazer sentido neste.Penso eu.
A alma só alguns para além do próprio conhecem.
Por muito que se escreva, descreva. tente fotografar, não se entende assim.