terça-feira, junho 14, 2011

Conversa

As situações caricatas acontecem em qualquer esquina. E esta não foi bem numa esquina, mas de caricato teve tudo. E de certeza que tenho um ar bastante amigável porque todos os velhinhos e afins têm tendência para meter conversa comigo. Devo ter algo escrito na testa e ainda nem dei por isso.

Do género, uma senhora dos seus 70 anos ver-me parado na rua, abrandar o passo, olhar-me por instantes e desatar a falar. E falou dos bêbedos que fazem estragos no café do outro lado da rua, das marchas populares que já não são o que eram antigamente, da crise (claro), daquilo que as pessoas não compram, da pouca vergonha que acontece todos os dias no prédio onde mora...

E tudo isto seria aparentemente normal se tivesse entrado na conversa. Ora, basicamente fiquei a olhar para a senhora (um pouco incrédulo) e devo ter soltado uns três ou quatro "pois", seguidos por "claro" ou "compreendo" e mais meia dúzia de "sim". E depois de dez minutos nisto, em que me limitei a ouvir, a senhora atravessou a estrada e foi embora.

A sensação é que para além do ar amigável, devo mesmo ser um bom ouvinte. E naquele dia fiz a minha boa acção do dia. Ajudei uma velhinha. A desabafar...

1 comentário:

Anónimo disse...

Treteiro!
Mas é sempre bom ter essa capacidade... desabafar não é fácil por isso revela algo de especial que faz levar as pessoas a ultrapassarem as suas barreiras de encontro ao outro... ao desconhecido, nesta situação específica.

Carla