quinta-feira, outubro 05, 2006

Tempo que acabou

Lá fora chove...
Choro o tempo que acabou!
Solta-se um mar revolto que afoga o meu peito.
Acabou, ficou tudo lá no passado,
Recordações de dias de chuva,
Tempos em que o sol brilhava...
Agora vivo agarrado a tudo o que acabou!
Parou, terminou a beleza dos dias,
E agora, quieto no meu canto,
Viajo nas memórias do tempo que acabou...

4 comentários:

vieria2000 disse...

"Solta-se um mar revolto que afoga o meu peito." - adorei este verso.

Às vezes surpreendo-me quão nostálgico podes ser, quando quem te ouve pensa "carpe diem", os melhores dias ainda estão para vir. Mas quem tem veia poética, pode lá abdicar de um certo saudosismo.. Força, continua.

Bruno Marques disse...

Se calhar sou um misto das duas coisas. Mas sou nostálgico. Sem dúvida.
Não me vejo com muita veia poética. Não escrevo nada de grandioso, nem tenho inspiração a qualquer hora ou momento. Os verdadeiros poetas têm...

carla disse...

tão cedo, Bruno, para pensares já numa mudança de carreira. A meteorologia não parece ter nada a ver com a tua cara...(agora a carla) mentiroso fui espreitar à janela e não estava a chover... não bás para a meteo... (agora a magda) olha, bruno, não gostei nada que 'andasses' a enganar a minha amiga carla, tá bem... que seja a última vez... tás avisado. (agora a carla) olha que ela é má...tás abisado

Bruno Marques disse...

Ai,ai...o que fazer com estas duas?!?! Realmente eu sou bom a enganar as pessoas. Ando a enganar-vos a fazer de conta que escrevo poesia! Eu sou assim! Maquiavélico! O Diabo em pessoa! E não vou mudar de carreira tão cedo. Muito menos para a metereologia.