segunda-feira, fevereiro 06, 2012

Segunda

Curto. O espaço de tempo que separa o princípio do fim. Longa a espera pelo nascer do sol de um novo dia. Pode a noite ser tão escura, sem luar, pode a voz soar rouca junto ao ouvido. Cumprida. A hora junto ao mar e pôr-do-sol. Pode o frio acalmar o peito, sem temor, pode a mão tocar sem chama a tua pele. Sorte. O momento chegado sem contar. Pode o olhar enganar, verde ou azul, pode o caminho seguir sem qualquer destino.

Sem comentários: