quarta-feira, agosto 25, 2010

No barbeiro

Temos tendência para achar que os carecas não têm nada para fazer num barbeiro. E no mesmo sentido, quando lá vão, deveriam pagar menos do que os outros. Porque pouco ou nada têm para cortar. O que acontece é que cortando muito ou pouco cabelo, todos pagam o mesmo por fazer um corte.

Por isso é que muita gente deixa crescer o cabelo até já não ver bem para a frente e quando se desloca até ao barbeiro corta o mais que puder. Para todos os efeitos, é compensatório. Admito que quando vou cortar o cabelo, gosto que as pessoas olhem e digam: "bem...cortaste o cabelo!...". E assim a ida seguinte ao barbeiro/cabeleireiro também é mais longínqua.

Mas ir tratar do cabelo é muito mais do que o simples corte. Por isso, todo este pensamento é redutor. Que o digam as mulheres...

Sem comentários: