sábado, janeiro 23, 2010

Amor na adolescência

Antes de começarem a ler este post, ponham a música a tocar...

Era Verão e o pretexto para a reunião de todos aqueles jovens estudantes era uma festa de anos. Das tradicionais. Com comida, pista de dança e uma aparelhagem a debitar música. As hormonas aos saltos, os rapazes a piscarem o olho às raparigas. Os pares mais ou menos feitos e todos os desejos quase cumpridos.

Ele sempre tivera aquela paixão desde que se lembrava de ter começado a reparar em raparigas. Ela era a menina popular da turma e a que despertava maior atenção. Mas sem ter uma beleza demasiado evidente. O problema é que ela estava nos braços de outro rapaz, o mais corajoso e capaz de conquistar tão inatingível prémio.

A música que tocava era esta. Eles viviam um amor na adolescência. Daqueles vividos à flor da pele, platónicos ou exacerbados, mas em que a paixão parece bater forte. Talvez por isso inesquecíveis. Para todos...

3 comentários:

sofia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sofia disse...

A música marca claro que sim...esta música marca! Esses amores...esses amores tinham algo de especial.Seria da idade? Do meio? Das circunstancias? Da inocência? Fosse do que fosse era giro...

Jorge Rita disse...

Meu amigo, este Senhor não era meu idolo de juventude porque não fui dessas merdas. Muito menos referencia. Mas a música sim! Os Nirvana são a minha banda de juventude.
Fabuloso! Ainda hoje ouvi esta musica!
(a proposito tenho um cd do unplugged com outros registos da banda nunca editados que é a joia da coroa da minha pobre discoteca!)