terça-feira, dezembro 27, 2005

Boxing Day

O Boxing Day é o primeiro dia útil após o Natal, que nos países de língua inglesa é considerado como feriado. Tradicionalmente, nesse dia são distribuídos os presentes (gifts ou boxes). Serve também para levar adeptos aos estádios ingleses. O futebol não pára e existem quatro jogos agendados para um espaço de pouco mais de uma semana, incluindo o tal Boxing Day. A razão desta decisão dos ingleses é muito simples. Consiste em aproveitar o Natal e o Ano Novo para promoverem o espectáculo e venderem o produto futebol, o sustento de jogadores, árbitros, treinadores, dirigentes, entre outros.

Podem dizer-me que é uma sobrecarga em termos físicos para os jogadores, mas parece-me que as vantagens são maiores que as desvantagens. Para além disso, os jogadores são muito bem pagos para jogarem e também têm de fazer sacrifícios. Os espectadores pagam o seu bilhete para verem bons espectáculos, tendo nas férias de Natal uma óptima oportunidade para irem com as famílias ao futebol. Desta forma ganham-se ainda mais adeptos. É o mínimo que se pode “dar” a todos os sofredores do desporto rei que acompanham ao longo de um ano inteiro a sua equipa do coração. Um argumento plenamente válido.

Esta é a forma de promover o desporto e o espectáculo. Assim se consegue levar público aos estádios e rentabilizar o futebol. Não há outra forma de o conseguir. Falta que em Portugal cheguem a essa conclusão, em detrimento do “salve-se quem puder, eu quero é que a minha equipa ganhe a qualquer custo”. O futebol é cada vez mais um negócio, um produto que precisa de ser vendido. Para isso tem de ser credível e bem promovido.

5 comentários:

vieria2000 disse...

Mas também só em Inglaterra é que imagino isso a acontecer, onde o futebol é especial. Os ingleses conceberam-no, e vivem-no de forma única. É incomparável. Não vejo nos países latinos isso a acontecer. É que o Natal, é bom que se diga, não é vivido em inglaterra, país anglicano, com o mesmo espirito religioso que em Espanha, Itália ou Portugal, por exemplo, em que nem a paixão se sobrepoem ao significado da quadra em que a vida praticamente pára para poder vivê-la. Eu penso que estas ideis poderão explicar estas diferençs entre a atitude dos ingleses e as restantes.

Bruno Marques disse...

Compreendo o teu ponto de vista e tem toda a lógica. Mas a quadra natalícia podia servir para reunir a família num estádio de futebol. É claro que o nosso futebol não se compara ao deles, nem a nossa mentalidade. Mas deixa-me ser idealista...:-D

vieria2000 disse...

Eu acho que numa cultura judaico-cristã como é a dos paises latinos Natal não rima com futebol. E os próprios jogadores oriundos destes países não devem achar piada à ideia de passar a quadra num Hotel a preparar um jogo de futebol em vez de gozarem, como todos, o calor do lar junto dos q mais amam. Mesmo a troco de mais dinheiro. É que estes, antes de jogadores, são homens. Acho que os hábitos britânicos caem bem na cultura britânica. Na nossa nem por isso. E com isto não digo que acho bem ou mal o hábito dos ingleses jogarem a 26 de Dezembro. É apenas uma interpretação.

vieria2000 disse...

Já agora BOM ANO Bru! Felicidades para 2006.

Bruno Marques disse...

BOM ANO também para ti! Espero que 2006 seja melhor para todos nós em muitos aspectos cruciais...